Sri Aurobindo - 17 de outubro de 2010

Clique aqui para comentar esta publicação






~ O CHOQUE e O MEDO ~

Eu sou Sri Aurobindo.

Irmãos e irmãs na humanidade, eu lhes apresento minhas saudações e minhas homenagens.
Eu voltei porque o conselho dos Melquizedeques pediu para expressar-lhes alguns elementos com relação a uma palavra importante.
Essa palavra é a palavra medo para permitir que saibam, além das palavras, se isso for possível, o que representa o medo para a humanidade encarnada hoje.
O medo é uma secreção do mental.
O medo é uma secreção, mais especificamente, da parte arcaica de seu cérebro.
O medo é então uma secreção, ele não é vocês.
O medo é um elemento bloqueador e aprisionador, impedindo que encontrem o momento presente e que se estabeleçam em meio à sua Presença.
O medo é ou o medo da repetição de uma situação já vivenciada, ou da apreensão de algo desconhecido, vindo modificar um equilíbrio pré-estabelecido tendo conferido, em meio à personalidade, um sentimento de equilíbrio e de segurança.
Existe certo número de medos, ditos ‘arquetípicos’, relativos, por exemplo, ao medo da morte, ao medo da doença, ao medo do abandono, certo número de medos oriundos de experiências traumatizantes, vivenciadas ou individualmente, ou ao nível coletivo de toda humanidade.
O medo é um elemento paralisante.
É uma emoção originada do mental e que induz, literalmente, uma ação, uma reação.
Essa ação e essa reação podem se constituir, com frequência, do que é denominado ansiedade ou estresse, refletindo a perda, a ruptura de um equilíbrio Interior, que esse equilíbrio Interior seja estabelecido em meio à personalidade, como em meio à realização do Si.

***



O medo é então o que se opõe, formalmente, ao estabelecimento da Alegria, à manifestação da Alegria.
O medo é literalmente uma secreção, ou seja, ele é elaborado a partir do zero, frequentemente sem qualquer suporte real.
O medo se manifesta pela antecipação, pela projeção de uma Ilusão sobre outra Ilusão.
De fato, tudo é em função do olhar, do olhar que você sustenta e do ‘ponto de vista’ que você sustenta.
Se a Consciência se estabelece em meio ao Si, em meio ao Coração, naquele momento, o medo não tem qualquer razão de existir porque, o Coração sendo encontrado, não pode ali haver aniquilação, mesmo pela supressão de toda forma de vida em meio à Dualidade, dessa Alegria inextinguível que é o Coração.
O medo é, portanto, uma secreção visando impedi-los, por sua estruturação e por seu impacto ao nível mesmo químico, de realizar sua Presença a vocês mesmo em meio ao Coração.
Cabe diferenciar os medos associados às projeções, os medos associados ao desconhecido porque os medos associados ao desconhecido irão se manifestar sistematicamente quando a Consciência humana for confrontada a um elemento irrompendo na realidade comum.
É apenas na imersão total em certos estados de Consciência associados ao Coração, em ressonância com o Coração, que nenhum virá preocupar um estado de Consciência ligado ao que é chamado de Maha Samadhi ou Grande Samadhi, realizado por alguns seres.
Independentemente desse estado tão particular de realização do Maha Samadhi, do estado de Samadhi absoluto, o ser humano será submetido a esse medo do desconhecido, porque isso está engramado no cérebro arcaico e, portanto, independe de toda manifestação da Consciência Unitária.
Esse medo visa, antes de tudo, uma preservação desse veículo que é chamado de corpo.
Deste modo, tudo o que vier ameaçar a existência mesmo desse corpo vai se traduzir por um medo refletindo, novamente, um desejo de fuga e um desejo de evitar um medo vindouro ou um sofrimento vindouro.
O medo é então uma manifestação emocional, resultante de algo que não é conhecido, apreendido, experimentado em meio ao mental.

***



O que acontece, hoje, ao nível de toda humanidade encarnada, meus Irmãos e minhas Irmãs, é a volta do Supramental tal qual eu havia anunciado em minha vida.
Hoje, em suas palavras, vocês chamam isso de Onda Galáctica.
Essa Onda Galáctica que eu tinha percebido, visto, não vem sozinha.
Ela se acompanha de certas manifestações inéditas, portanto desconhecidas para sua Consciência comum.
Essa irrupção de outra realidade, de outra Dimensão, se vocês preferirem, em meio à sua Dimensão de vida mesmo Ilusória, vai produzir, de forma muito natural, um sentimento de retração e de medo, acessível pela ‘egrégora de medo’ existente nesse planeta.
Esse medo tornar-se-á, ao nível coletivo, um elemento tangível, perceptível que irá refletir, em sua Consciência, a reação que vocês têm, de maneira geral, a título individual, frente ao desconhecido.
O que vem é Luz, mas a Luz lhes é desconhecida.
O que vem é revelação e o desvendar dos seus véus.
Essa irrupção do desconhecido irá se traduzir, inicialmente, por uma resposta emocional coletiva do tipo medo ou negação, traduzindo-se, em um segundo momento e em um terceiro momento, por um período de negociação, ou de negação, para alguns.
Essa negação podendo se traduzir, ao nível sempre emocional, pela raiva e por uma recusa.
E depois, diante do estabelecimento de alguns fatos, bem reais mesmo em meio à sua Ilusão, seguir-se-á, definitivamente, para alguns, um estado de aceitação desse desconhecido porque haverá uma reconexão real e então uma identificação do que lhes parecia desconhecido, como perfeitamente conhecido e perfeitamente identificável.

***



Isso sendo colocado, convém compreender que a Consciência comum passará sistematicamente, em todo ser humano, por várias dessas etapas.
A aquisição intelectual, a aquisição ao nível conceitual ou ao nível da percepção, não os impedirá, no momento oportuno, de experimentar e de sentir, a menos que esteja imerso no seu Maha Samadhi, de experimentar esse sentimento de medo.
A rapidez com que vocês irão transformar esse medo, essa secreção, a rapidez com que vocês serão capazes de se estabelecer no Coração, irá permitir-lhes sair da emoção e se instalar em um estado particular de Samadhi.
Esse Samadhi foi denominado de diferentes modos.
Em termos médicos, isso poderia se assemelhar a uma catalepsia.
Em linguagem mais, eu diria de sua época, isso se chama um fenômeno de estase.
A capacidade de sua consciência limitada para penetrar as esferas do Ilimitado e para se abandonar à Luz, como foi definido em várias reprises, será sua garantia da aceitação dos fatos porque são desses fatos que se trata e não de projeções.
A chegada da Luz é um fato.
A modificação de seu sistema solar é uma realidade e uma verdade, quer queiram ou não, quer vocês aceitem ou não.
Nós não estamos no domínio das percepções que pertencem a cada um, mas nós estamos no domínio das percepções globais e globalizantes, que se estabelecem como fato indubitável e perfeitamente real, em sua realidade.

***



O que vem se estabelecer é a Verdade.
É o retorno da Luz Supramental.
O medo é então secretado pelo mental porque o mental é a negação do Supramental, assim como o ego e a personalidade são a negação total da existência do Si ou de um estado outro que a personalidade.
Isso é o que vocês são chamados a viver, de maneira iminente, em termos humanos e em termos Terrestres.
Como uns e outros lhes disseram, a Terra decide, em sua Consciência (pela ‘lei de atração e de ressonância’ que colocará em ação a Merkabah Interdimensional coletiva e a Merkabah da própria Terra), e irá criar as condições propícias à revelação.
Essa revelação, que está em curso em suas Cruzes e sobre seu Sol e sobre os outros planetas do sistema solar, alcançará muito em breve a Terra.
Tentem, para compreender o mecanismo, ver quais foram suas reações frente aos seus próprios medos, que isso seja o medo do abandono, o medo da privação, que isso seja o medo da doença ou o medo da morte.
Qualquer que seja esse medo, observem quais são as condutas de esquiva, quais são as reações que vocês adotaram naqueles momentos porque há todas as chances de que as etapas que vocês vão passar, naquele momento, sejam em perfeita ressonância com o que vocês vivenciaram como medo até agora.
Se vocês têm medo de vazio, vocês viverão as mesmas sensações que o medo do vazio.
Se vocês têm o medo de carecer, vocês viverão a mesma sensação quando se colocarem na situação de carência.
O que não se deve dar crédito porque é isso que se manifestará, mas não será absolutamente a Verdade do que será vivenciado pela revelação da Luz.
Isso será apenas projeção dos seus próprios medos e das suas próprias reações aos seus próprios medos, nesses momentos precisos.
Alguns entrarão então em resistência e em negação, de maneira prolongada, o que será prejudicial para a entrada na estase ou no Coração.
Outros, tendo reconectado a Luz, compreenderão, de imediato, do que se trata.
Cada um, de fato, viverá o seu próprio estado Vibratório no momento, em função do seu referencial e das suas experiências vividas.

***



Vocês não podem combater o medo com a esquiva.
Vocês não podem combater o medo com sua própria vontade ou com seu próprio conhecimento.
É apenas na aceitação e não na negação que se encontra a solução para o medo.
O que é importante gravar, em algum lugar de sua Consciência, mesmo limitada, é que o que vem é apenas Alegria, o que vem é apenas Revelação, o que vem é apenas manifestação da Luz Unitária.
Qualquer que seja o filtro que possa ali aplicar sua consciência limitada, é bem disso que se trata.
Isso não é, unicamente, senão o retorno da Luz.
Esses são os alguns elementos que eu vim compartilhar com vocês porque o elemento ‘medo’ é certamente o que intervém na humanidade, em sua totalidade.
Porque vocês são de qualquer maneira uma totalidade, quer queiram ou não, em meio à Ilusão.
Independentemente do seu nível de Consciência pessoal e do seu estado de realização de Si, vocês estão, no entanto, submetidos a um ambiente coletivo planetário.
A emoção que vai se manifestar, em um primeiro momento, pode ser denominado um ‘choque’.
Esse choque é, em todo caso, uma sideração.
Essa sideração, culminando no medo coletivo, ao qual, obviamente, convirá nem se identificar de maneira alguma, nem aderir, porque esse não é seu medo, assim como isso não é seu choque.
Passado esses dois primeiros estágios, seguir-se-á o momento em que vocês identificarão vocês mesmo o que ocorre como um medo pessoal, remetendo-os então aos medos existentes e tendo existido em sua encarnação.
O ‘antídoto’ para o medo, naquele momento, não sendo nem a negociação nem a negação, mas bem a aceitação desse desconhecido que vem.
Da sua capacidade para desidentificar-se desse veículo de medo, da sua capacidade para descristalizar-se de seus apegos, será vivenciado, de maneira muito diferente, esse período.

***



acolhimento, o abandono e a aceitação da Luz que vem é um processo fundamental e novo ao nível da coletividade humana, e vocês fazem parte, mesmo se vocês realizaram o Si, dessa coletividade, ainda.
É aí que o seu papel (para aqueles de vocês que terão revelado ou realizado o Si ou que terão acendido, de uma maneira ou de outra, ao seu corpo de Estado de Ser) assumirá todo seu significado e sua importância porque é graças a essa Merkabah Interdimensional que vocês atingirão em sintonia a Merkabah Interdimensional coletiva e a Merkabah Interdimensional da Terra.
Essa etapa representa a primeira etapa da Ascensão.
Ela é iminente.
Não busquem a data, não esperem nem temam nada.
Basta, simplesmente, se estabelecerem cada vez mais facilmente em sua Consciência cardíaca, na Vibração do Coração, na Tri-Unidade, na Coroa Radiante.
Aqueles de vocês que têm a chance de perceber, já, o Triângulo Sagrado ao nível do sacro, poderão viver esse período de medo com um estado de dissolução extremamente rápido do medo.
Aqueles de vocês que têm a chance de vibrar, já, em meio ao Fogo do Éter, da Coroa do Coração, poderão também ali se recarregar porque haverá, evidentemente, uma ressonância em sua capacidade para se estabelecer em meio ao Coração e à Luz que vem, que é, é claro, a Luz Vibral, exatamente a mesma que aquela que vocês vibram no seu Coração.
E então, o sentimento do desconhecido coletivo será rapidamente substituído por um sentimento do conhecido e pela experiência do conhecido porque é, definitivamente, o mesmo nível de Consciência que se manifesta, desta vez, ao nível da humanidade.

***



A irrupção, em meio à sua realidade transitória chamada de 3ª Dimensão dissociada, de alguns elementos pertencentes à Luz Vibral, em sua constituição como nos elementos que a preenchem, representa, indiscutivelmente, um ‘choque’ importante para o conjunto da humanidade.
Nós disso temos estritamente Consciência, mas nós temos também confiança e Consciência de que aqueles dentre vocês que fizeram as ‘Núpcias Celestes’, por toda essa Terra, como aqueles que despertam, ainda hoje, para a realidade da Luz Vibral, serão, em todo caso, as garantias do bom desenrolar desta etapa.
Como vocês sabem, a Luz irá se estabelecer, mas ela pode ainda se estabelecer de diferentes modos.
Cabe a vocês escolher, coletiva e individualmente.
Quanto melhor vocês se alinharem consigo mesmo e com sua Verdade final, melhor vocês permitirão àqueles que fazem parte do seu ambiente, por sintonia, por imitação, diluir o medo, porque alguns poderão compreender, naquele momento, que isso que vem é a Luz, mesmo ela sendo desconhecida.
Lembrem-se de que quanto mais vocês afastarem o ‘choque’ e o ‘medo’ coletivo, mais vocês encontrarão rapidamente, e de forma certamente amplificada, o que vocês têm desde já vivenciado, que isso seja ao nível da Coroa Radiante da cabeça, da Coroa Radiante do Coração ou do sacro porque haverá, efetivamente, uma ressonância formal das suas estruturas Interiores, a maior parte relacionada com a Vibração da Luz Vibral e do Amor.

***



Não há nenhum local melhor que outro.
Não há nenhum lugar melhor que outro.
Há apenas uma Lucidez, uma Atenção e uma Intenção a manifestar.
Não foi à toa que o Arcanjo Miguel e o Arcanjo Anael lhes sugeriram para observar seus Céus e o Sol.
Mais do que nunca isso está valendo.
Lembrem-se de que essa observação exterior corresponde ao que acontece em seu Interior.
Assim, aqueles capazes, até mesmo, de se conectar à Consciência do Si, à Consciência cardíaca, vivem já as primícias no seu Coração, em seu peito.
Essa opressão e essa impressão de vastidão que invade o peito correspondem à realidade do que está em via de acontecer.
A iminência (em nosso tempo, para nós, fora do seu tempo) está quase em sobreposição com a iminência do seu tempo.
As próximas semanas são momentos privilegiados para permitir-lhes encontrar o Si.
A Ilusão do seu tempo que transcorre é doravante precioso.
Cabe a vocês definir as suas prioridades.
As suas prioridades do momento determinarão o seu devir futuro.
A preparação, eu lembro a vocês, é antes de tudo Interior.
Certamente, uma preparação exterior pode ser concebível sob condição de que ela não seja um ‘álibi’ para fugir da sua preparação Interior.
Muitos de vocês, por diferentes canais, mesmo independentemente do Coração, percebem e sentem essa iminência sem poder sempre explicá-la.
Ela é real.
Ela irá se tornar cada vez mais palpável, a cada dia, a cada semana.
Cabe a vocês, então, agir, não para evitar o medo e o choque coletivo, mas mais para se estabelecer, cada vez mais facilmente, em sua Alegria Interior.
Jamais as circunstâncias foram tão propícias para realizar esse objetivo da Luz.
Eis, meus Irmãos e minhas Irmãs, o que eu tinha para dar, para entregar a vocês.
Se me concederem ainda um pouco de tempo, eu quero bem tentar ali fornecer um esclarecimento complementar, se houver em vocês questionamentos.

***



Pergunta: Os medos da infância, que não se sente mais, podem ainda aparecer?

Querida Irmã, como eu me expressei, é totalmente isso que irá acontecer.
A secreção do medo e o peso do choque, desencadeados por essa irrupção de outra realidade em meio à sua realidade ilusória, irão revelar, em cada ser humano, os medos arquetípicos.
É inelutável.

***



Pergunta: Ter a impressão de que o Coração está apagado ou afastado, assim como os arrepios no corpo, faz parte desse processo?

Totalmente.

***



Pergunta: Convém ir ao mais profundo dos medos quando eles ressurgirem?

Não.
Atenção e a Consciência seguem aí onde vocês colocam sua Intenção.
A única Atenção e Intenção a aplicar é essa do Coração.
Não é questão de negar o que ali irá se manifestar, mas de não lhe dar peso nem consistência.
Vocês não podem superar o medo mergulhando nele.
Vocês apenas podem superar o medo coletivo ou individual estabelecendo-se no Coração.

***



Pergunta: Os animais domésticos sentirão esses medos e o que se pode fazer por eles?

No que diz respeito aos animais, não há qualquer medo a ter para eles, da mesma forma que para as crianças.
O medo coletivo humano afetará muito pouco o sentido animal e o instinto do animal.
Lembrem-se de que esse medo está situado ao nível do mental e unicamente ao nível do mental.
Os animais não têm medo da Luz.

***


Nós não temos mais perguntas. Nós lhe agradecemos.

***


Irmãos e Irmãs na humanidade, nós estamos com vocês e nós nos alegramos.
Que a Paz esteja em vocês.
Até breve.



************
************



Mensagem do Bem Amado SRI AUROBINDO no site francês:
17 de outubro de 2010
(Publicado em 22 de outubro de 2010)

***


Tradução para o português: Zulma Peixinho



************


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário