BIDI - 28 de outubro de 2012 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação




 - Ensinamentos de BIDI - 
Sri Nisargadatta Maharaj

ÁUDIO mp3 ORIGINAL:


E bem, BIDI está com vocês e os saúda, e nós iremos prosseguir, se vocês bem o quiserem, nossos diálogos e conversas.
Eu escuto então as suas perguntas.

***

Pergunta: quando nós assumimos responsabilidades espirituais e materiais, devemos nos permitir viver os últimos impulsos da vida sensual deste mundo de carbono (com risco de esquecer ao que nós nos consagramos ao longo de toda nossa vida), ou essas últimas provas estão bem aí para nos permitir vê-las, para melhor superá-las?

A sua pergunta é múltipla.
Considerar que há o que quer que seja para recordar com relação à sua vida recorre, então, a um processo de memória ou de lembrança.
Nem a memória, nem qualquer lembrança, refere-se ao que você É.
O que apareceu um dia, e o que irá desaparecer um dia (e que você denomina a pessoa, a vida) estão inscritos, necessariamente, em meio a um efêmero.
Por outro lado, o que você nomeia “prova”, o que você nomeia “responsabilidade” apenas se refere, justamente, a este efêmero e absolutamente a nada mais.
Somente a personalidade situa-se entre um início e um fim, correspondendo ao aparecimento e ao desaparecimento da vida, em meio à consciência.
O conceito de prova, o conceito de responsabilidade, apenas concerne a este saco de comida e a este saco mental e, em caso algum, ao que você É.
Reagir ou não reagir irá sempre se referir ao desenrolar do efêmero.
Eu o convido, então, a considerar que o conjunto das proposições apenas se refere ao que é efêmero e, portanto, apenas se refere à pessoa, em meio a uma crença em uma evolução, uma crença em provas, uma crença na perenidade da memória ou de uma lembrança.
Você nada É de tudo isso.
Dessa maneira, não se coloque a questão de agir ou de não agir, mas sim de ver agir ou não agir, porque você não foi referido pelo agir ou não agir.
Enquanto houver implicação, através de um efêmero, não pode ali ter Absoluto.

***

O.M. AÏVANHOV - 19 de setembro de 2009 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação




ÁUDIO mp3 ORIGINAL:

E bem, caros amigos, eu estou extremamente contente de reencontrá-los e especialmente de ver que há pessoas que não conhecia pessoalmente.
Então, eu me apresento primeiro e lhes transmito todas as minhas Bênçãos e todo o meu Amor.
Mas vocês são realmente em grande número acompanhando as minhas palavras, mas, em me ouvir, muito menos numerosos.
Eu estive encarnado não há muito tempo.
O meu nome era Mikäel Omraam Aïvanhov e, para aqueles que seguem o que eu disse, eu me tornei, há algumas semanas do seu Tempo Terrestre, aquele que dirige o que vocês chamam de Assembleia dos 24 Veneráveis Anciões, ou seja, a Ordem dos Melquizedeques.
Como sabem, talvez para a maior parte de vocês, quando eu intervenho, é sempre por perguntas e respostas, porque eu considero que responder a questões é certamente a melhor maneira de ajudá-los a irem para o seu caminho.
Entretanto, eu lhes devo hoje algumas explicações.
Lembrem-se, para aqueles que já leram as minhas propostas, no início de agosto eu anunciei que o mês de setembro seria um mês muito particular onde a hiper excitação mental iria se encontrar, sobre a Terra, levada a sua convulsão.
Eu empreguei, com justa razão, uma expressão que acho bizarra e eu constato hoje que corresponde completamente à realidade: eu empreguei a expressão «delirar» («yoyotter de la touffe»), ou seja, que o mental, no nível da humanidade, estaria projetado nas esferas de questionamentos extremamente importantes.
Como sabem, é o que constatam em vocês, mas também, para aqueles que se interessam pelo que acontece no exterior de vocês, as coisas estão se entrechocando e, para aqueles também que seguiram o que eu disse na semana passada, vocês sabem que os 24 Anciões, nós estávamos extremamente inquietos, sem poder especificar o porquê de estarmos inquietos.
Simplesmente, do nosso ponto de vista, observamos que a humanidade e muitos seres humanos seguiam, eu diria, de maneira conscienciosa, com integridade, com Consciência, também, os Casamentos Micaélicos.
Nós estávamos extremamente contentes, obviamente, e o que é que constatamos há aproximadamente duas semanas?
Que o ser humano, na sua totalidade, no nível da egrégora da humanidade, não chegou a superar e a transcender o início, eu diria, da Translação Dimensional que vocês escolheram chamar de Ascensão.
Eu fiquei extremamente preocupado porque não tínhamos, tanto os Arcanjos como nós mesmos, nas diferentes Dimensões, a razão ou a explicação desse processo que eu chamaria de atraso na ignição, de algum modo, dos seus corpos espirituais e dos seus corpos de Eternidade ou corpos de Estado de Ser.
Tivemos dificuldade de compreender.
A resposta veio há alguns dias.