Série de textos de JL durante seu acesso ao Absoluto: VOCÊS SÃO VERDADE - 23-03-2012

Clique aqui para comentar esta publicação





Série de textos escritos por Jean-Luc Ayoun durante seu acesso ao Absoluto

VOCÊS SÃO VERDADE... - 23.03.2012

Há apenas uma Verdade, a sua, há apenas uma vida, a sua, a sua Verdade é a única Verdade possível: vocês são Absoluto, Absoluto Amor... o que poderia ser mais do que isso? Quem são vocês, esta pessoa? Este indivíduo? Aquele que sobrevive, que sofre, que nasce que morre? Sem interrupção?

Coloquem a única questão: quem são vocês? Não aí na efêmera resposta de eu sou tal nome, tal papel, tal vibração, não, muito mais amplamente, antes de estar vivo neste corpo, quem eram vocês? Vocês podem responder a esta questão, porque é a única questão válida...

Ultrapassem todo limite, todo confinamento, aceitem a evidência ou o que vocês negam, vocês são AMOR, nada mais poderia defini-los, qual FONTE (Pai) poderia imaginar ou criar uma consciência que iria se limitar ela mesma entre a vida e a morte? Se um Criador observa através das nossas experiências, ele apenas pode participar, ele não está em outros lugares senão Aqui, muito presente, a cada sopro, vocês são o criador da sua própria presença, aqui como por toda parte, só o olhar que se coloca aqui, esqueceu-se disso. A matéria não consciente é impossível, a matéria é o outro nome do Absoluto, a matéria procede de alguma parte, é certamente a única possibilidade.

Essa alguma parte, ela está nos confins do cosmos? Ela está em outros lugares que vocês mesmos, quando vocês entram no sono ou no sonho, quem vocês são? Quem é o sonhador? Quem acorda? Tudo aqui neste mundo é alternância, ciclo oscilante. Mas vocês são, sobretudo, muito mais do que Isso Aqui, vocês englobam isso, totalmente, vocês não excluem ninguém, a sua experiência, mesmo o conjunto das suas experiências, vocês são o mundo, porque assim que vocês dormem, onde está o mundo? Quando vocês morrem, onde está o mundo? Ele desaparece na totalidade.

Dar crédito ao mundo é tão estúpido ou tão válido como dar crédito ao sonho, da mesma maneira que o sonho desaparece ao acordar, o mundo desaparece na sua morte, mesmo se vocês vierem de novo, o mundo jamais será o mesmo, o que é real? Esta coisa frágil perecível que é o corpo? Os seus pensamentos, eles passam... As suas experiências? Elas passam... Porque, vocês se lembram das suas experiências de antes? O que há somente para se lembrar? Será que a recordação, a lembrança é o que vocês vivem? Aliás, quem vive isso? Exceto a própria Vida, quem olha? Quem experimenta?

Se vocês forem honestos, vocês são obrigados a reconhecer uma incoerência nisso que está consciente em meio a todos esses limites, mas a vida seria incoerência e caos? Obedecendo a uma lei de expansão, ou a uma lei de entropia sem fim? Só a própria consciência limitada pode limitar-se em meio aos seus próprios limites, ela jamais irá viver o infinito, seja o que for que vocês façam, seja no que for que vocês acreditem, seja o que for que vocês neguem, este corpo irá desaparecer, suas lembranças, com suas emoções e seus pensamentos desaparecem a cada dia. Quando o vaso que contém o ar ambiente se quebra, será que o ar contido dentro desaparece? Vocês são o vaso? Ou o que ele contém? E por que então vocês não se veem como este ar? O vaso apenas contém literalmente, ele contém o ar, ele contém a vida em um limite. O vaso se sabe perecível, ele confina o conteúdo, mas será que o conteúdo fica limitado a esse vaso?

O homem sempre pensa conhecer tudo ou, na melhor das hipóteses, que ele poderá aperfeiçoar o seu conhecimento, e com a finalidade, bem, de se conhecer? Como o ar poderia se conhecer supondo existir somente o vaso?

A honestidade é apreender-se da verdade, nada do que vocês creem ser Aqui pode ser apreendido, já que modificante, mutável, limitado e sem consistência outra senão a forma limitada. Vocês são honestos com vocês mesmos, então quem são vocês antes de serem este limitado? Vocês têm a resposta? Naturalmente que não e naturalmente que sim, e a única resposta válida é que vocês são absolutamente tudo, nada não pode ser vocês já que quando vocês morrem o mundo morre, quando vocês dormem o mundo morre. Tudo passa exceto a eternidade que existe, independentemente dessa passagem sobre a Terra, e vocês, onde vocês estavam antes? Ontem, no seu sonho, qual era a sua emoção, os seus pensamentos há um ano, qual é a sua ideia de um ano atrás? Vocês não se lembram disso? É claro, este mundo é esquecimento permanente e, no entanto, todos nós ali estamos ... façam a sua própria ideia, vocês irão chegar inexoravelmente a uma única conclusão honesta, vocês são o Amor, eu sou o Amor, essa é a nossa natureza, a nossa substância, quais são as diferenças entre a sua substância e todas as outras substâncias? Nenhuma.

Só o limitado pode colocar uma barreira, porque ele não reconhece a sua substância, nós somos a Absoluta Verdade do Amor, DESFRUTEM.

Fonte: http://absolultime.xooit.fr/t5584-Recueil-des-textes-ecrit-par-Phenix.htm
Tradução para o português: Zulma Peixinho
via: http://portaldosanjos.ning.com

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário