URIEL - 17 de novembro de 2012 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação






ÁUDIO mp3 ORIGINAL:
~ CONVITE ~

Eu sou URIEL, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão.
Presente, em vocês e com vocês, enquanto Anjo da Passagem.
Nesse tempo de Transição, nesse tempo de expansão, nesse tempo de Silêncio, aonde o Amor vem guarnecer todos os interstícios do seu vazio, encontra-se reunido o mais potente e o mais amoroso do que existe através do conjunto das manifestações.
Então eu venho, neste tempo e neste espaço, no seu Coração, como no centro do seu Coração, como em cada uma das suas partículas, declamar a sua Atenção para Viver o que está aí, e o que está Presente, além de toda Presença.
Eu os convido a Ser, além do não ser e além do ser.
Eu os convido, além do caminho, eu os convido a Ser o que vocês São.
Eu os convido a Ser, além de todo parecer, além de todo limite, a fim de Ser a Verdade Eterna e Infinita.

***


Assim, enquanto Anjo da Passagem, eu lhes peço o silêncio das suas palavras, o silêncio dos seus movimentos, o silêncio dos seus pensamentos.
Porque além das minhas palavras, e além da sua Presença em meio a este espaço, é para viver o espaço de Transição.
Além de uma passagem de um ponto a outro, vive-se a Passagem, que resume, em si, o próprio sentido da sua Presença.
Muito além de toda ilusão, muito além da sua presença neste corpo, muito além da presença deste mundo, encontra-se o que está além de todo Mundo, o que está além de toda Presença.

***


Eu os convido a repousar aí onde está a Eterna Verdade, que não sofre qualquer tempo, qualquer forma e qualquer espaço.
Ser, Aqui e Agora, Ser o Alfa e o Ômega, a fim de que não possa se desviar, nem mesmo retornar.
Estejam no estado da sua Presença Infinita, aqui, em meio ao silêncio.
Eu os convido, pela minha Presença (mas também com a sua Presença e em meio ao que vocês São), aí onde não existe mais o sentimento de ser uma pessoa, o sentimento de ser uma Luz, mas sim, a Verdade da Luz, na sua Essência.

***


Eu me dirijo então a vocês, neste tempo e neste espaço, a fim de estabelecer (entre nós e através de nós) a ausência de distância, a ausência de Presença, aquela que os leva aonde vocês não podem ir por vocês mesmos: em meio a toda Consciência.
Aí, escutem.
Escutem, não somente o silêncio, mas escutem a ausência do ser, como a ausência do não ser.

***


Eu os convido a Ser, além do ser.
Eu os convido a não mais parecer.


Eu os convido a estabelecer a Permanência, estado além de todo estado, onde não existe nem em cima, nem embaixo, nem esquerda, nem direita, mas sim a resolução desses dois opostos.

Eu os convido ao centro do Centro.

Eu os convido a Ser o Éter, ressuscitado e regenerado.
Eu os convido a Ser, na imobilidade.

Eu os convido a superar e a transcender a Alegria.
Eu os convido, em qualquer parte e em qualquer lugar.

Eu os convido além de toda referência e de todo contexto.

Eu os convido a ir, aí, onde vocês não podem voltar por qualquer deslocamento.

Eu os convido a permanecer aí onde está a Paz, porque aí é a sua Morada.

Eu os convido à sua Eternidade.
Eu os convido aí onde não existe qualquer passado e qualquer futuro.

Eu os convido a superar o tempo que passa.

Eu os convido a passar o tempo da ilusão.

E eu os convido aí onde eu Sou, porque é aí onde vocês São.

Eu os convido a ir além da escuta e do entendimento.

Eu os convido a uma Sinfonia não tendo mais nada a ver, nem com as notas, nem com as cores.

Eu os convido no Espaço infinito, que não conhece qualquer contexto.

Eu os convido no Tempo infinito, que não vem e nem provém de qualquer passado, e que não se dirige a qualquer futuro.

Eu os convido a Ser.
Para isso, abandonem o parecer, aceitem o desaparecer aí onde se encontra o sublime, além de todos os seus sonhos e de todos os seus pensamentos: o que se nomeia a Morada da Paz Suprema porque nenhuma palavra pode qualificar ou quantificar o que não é mensurável e nem medido, por um estado ou por outro.

Eu os convido à sua própria Felicidade.

Eu os convido a Ser, não somente o receptáculo da Luz, mas a se tornar a própria Luz.
Porque a própria Luz não conhece nem contexto, nem limite, nem o espaço, nem o tempo, nem o deslocamento, nem a imobilidade.

Eu os convido a ser o Alfa e o Ômega, a fim de que o Ômega se junte de novo ao Alfa.

Eu os convido a Hic e Nunc, Aqui e Agora.

Eu os convido em um Espaço e em um Tempo, onde cada lugar, e cada segundo, e cada tempo, é o Instante Presente.
Não mais somente aquele que flui na ampulheta do tempo que passa, mas o que, justamente, permite ao tempo passar e desaparecer, ele também.

Eu os convido à Irradiação.

Eu os convido à Luz, infinita e indefinida, aí onde vocês São, aí onde vocês jamais se moveram, e aí aonde vocês não irão se mover jamais.

Eu os convido à Beleza que não perece jamais, à Eternidade que jamais pode desvanecer, à Verdade que não sofre qualquer escassez e qualquer falta.
Aí onde se encontra a fonte do próprio movimento.
Aí onde se encontra a fonte da própria Consciência, Shantinilaya, muito acima da ideia de paraíso, muito além da simples Alegria, muito além de qualquer manifestação de Êxtase.

Eu os convido a não mais ser revestidos da Luz, porque vocês não têm que ser revestidos: o que vocês São é a Luz, além de toda imagem, além de toda sedução, além de toda Atração.

Eu venho convidá-los, a fim de que vocês me convidem, por sua vez, ao coração do seu Coração.
Não mais somente no Canal da Luz, ao lado de vocês, não mais somente na Onda da Vida que se lança, não mais somente na consumação do seu Coração.

E eu os convido, sobretudo, a esse tempo de Transição, a esse tempo de expansão.
Expansão que se realiza no coração do Coração e no centro do Centro, a tal ponto, que nem vocês são mais possíveis de diferenciar, e de separar, o Centro, de um limite à expansão.

Eu os convido à Morada da Paz Suprema.

Eu os convido a sair da ronda das vidas, a sair das rondas ilusórias, onde tudo gira em círculo, sem mesmo se deslocar, uma oitava, na sua Consciência.

Eu os convido ao espaço dos nossos Reencontros.

Eu os convido a se lembrar do que vocês Eram, antes de qualquer forma e de qualquer Consciência.

Eu os convido a Ser a Vida.

Eu os convido a um lugar onde não existem qualquer fantasia e qualquer ilusão.

Eu os convido a Dançar, na imobilidade do tempo e na instantaneidade de todo espaço.

Eu os convido a Ser, não somente aquele que passa, mas Ser, vocês mesmos, a Passagem: aquela onde reina a Sabedoria, aquela onde reina a Beleza.

Eu os convido ao Imutável.

Eu os convido, tampouco a uma experiência, tampouco a um tempo que passa.

Eu os convido ao auge do que vocês São: eu os convido ao topo, que se assenta na profundez, inaparente deste mundo e que, no entanto, o sustenta sem segurá-lo.

Eu os convido a ser a Liberdade.

Eu os convido a descobrir, após o Vibral, o que se É.

Eu os convido ao silêncio das minhas palavras e ao Silêncio de vocês.

Eu os convido a nos Encontrar: no silêncio das palavras, no silêncio dos pensamentos, no silêncio dos sentidos.

Eu os convido a isso.

... Silêncio ...

***


Escutem e ouçam, no Silêncio e na Paz, para ouvir e para escutar o que Está aí, quando vocês não estiverem mais.
Amados do Um, o Um Ama vocês.

***


Amigos da Liberdade, o tempo do Apelo vem convidá-los a isso.
E aí, no Silêncio, vive-se o convite à Verdade e à Beleza.
O Som da Paz e o Som do Silêncio.
O Som do Verdadeiro e a ausência de Som, aí onde se resolvem o antagonismo e a oposição.

***


Amigo do Um, você que é o convidado perpétuo da Verdade, eu o convido a escutar, não o que eu digo, não o que você pensa, mas isso que, juntos, no centro do Centro, nós emanamos e Irradiamos no mesmo Encontro, na mesma Paz.
Então, como eu lhe pedi, quando você estiver Alinhado, sozinho ou com todos, convide-me a Ser você.
Convide-me a desaparecer, em você e por você.
E, então, nós ouviremos, juntos, a Sinfonia de Shantinilaya: do Alfa ao Ômega, do Aqui ao Agora, da Presença à Ausência e da Ausência à Presença.

***


E eu o convido, neste instante Presente, aí, a nos juntarmos, Um ao Outro, na mesma Dança imóvel, na mesma Presença, na mesma Ausência, na mesma Clareza, na mesma Lucidez.

***


Então, deixe aberto o que, jamais, pode ser fechado.
Então irá lhe aparecer, pelo seu próprio desaparecimento, o que você É, no nosso Silêncio e na nossa Comunhão.
Nós poderemos, enfim, dissolver a Ilusão dos seus sentidos e a Ilusão do seu mundo, na nossa Verdade Una e indefectível onde, de Você para Mim, não existe mais a mínima distância.
Onde, de Mim para Você, não existe mais a mínima separação.
Onde de nada serve lhe perguntar se você é Você, ou se você é Eu, porque você É, seguramente, os dois.
Amado do Amor e Amor Amado, vivamos isso porque não há senão isso.

***


A Luz o convida às Núpcias da Eternidade.
Eu nada mais lhe peço senão isso.
E eu lhe digo “até logo” no Templo do seu Espaço Sagrado onde nada mais aparece senão a Sacralidade da sua Beleza: Você, o convidado da Eternidade.
A fim de que você se aperceba de que, sempre, você foi o Convidado porque você está, neste convite, em Sua casa e em Você.

***


Eu sou URIEL e me permita Alinhar-me com Você e me Alinhar em Você.
Eu sou URIEL, Anjo da Passagem e eu lhe digo até logo, no Instante e no Espaço do nosso Convite.
E eu rendo Graças ao seu Convite.
E eu lhe digo: Sublimação.



************


Mensagem do Bem Amado ARCANJO URIEL no site francês:
http://autresdimensions.info/article0650.html
17 de novembro de 2012
(Publicado em 18 de novembro de 2012)

***


Tradução para o português: Zulma Peixinho

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário