HILDEGARDA DE BINGEN - 22 de agosto de 2012 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação




- Ensinamentos da Estrela REPULSÃO -

 ÁUDIO mp3 ORIGINAL:


~ DECLAMAÇÃO DO ÊXTASE ~
Eu sou HILDEGARDA DE BINGEN.
Irmãos e Irmãs na encarnação, primeiramente, demo-nos a Paz. 

... Compartilhamento da Dádiva da Graça ... 

Eu não venho, hoje, fazer longos discursos, mas eu venho lhes propor, além das palavras, uma Vibração e uma Intenção.
Uma Vibração e uma Intenção que seriam, de certa maneira, nem uma oração, nem um pedido, mas, muito mais, uma Declamação.
A Declamação do Êxtase que vem colocar, em palavras e em Vibração, o Coro dos Anjos, o Canto dos Anjos e o Coro do Êxtase, juntando, assim, algumas composições realizadas durante a minha última encarnação após ter ouvido o Canto dos Anjos e o Coro dos Anjos.
O Coro dos Anjos e o Canto dos Anjos são o Canto do Êxtase, aquele da Morada da Paz Suprema.
Ali onde cada um de nós tem, ao mesmo tempo, a sua fonte, a sua origem.
As palavras que eu vou dar a vocês não são uma oração propriamente dita, nem, tampouco, uma simples afirmação.
Então, juntos, nós iremos, pelo Verbo, penetrar em Shantinilaya.
Ao que eu me abraçar, vai se abraçar a mim.
Além de qualquer suporte, é a Liberdade.
A Liberdade é o Êxtase reencontrado, onde se exprime e se imprime o esplendor radiante da Vida.
Não me abraçando a mais nada, a Vida me abraça.
O ligante da Vida é o Amor, cuja manifestação é Luz e Vibração.
Além de qualquer aparência e além de qualquer sentido, eu sou a Essência Unitária de toda a Criação.
Eu renuncio a todas as lutas, pela Plenitude do Amor.
Ao desaparecer em mim mesma, sobrevém a Vida Unitária.
Acompanhada pelo Coro dos Anjos e pelo Silêncio do Indizível, o Êxtase da Vida Unitária extingue, no que eu Sou, qualquer medo e apreensão.
Ao desvanecerem os sonhos e as ilusões, descobre-se o Amor fecundando a cada segundo, pelo seu Canto e pela sua Voz, na Indizível Felicidade da alegria sem motivo.
Eu lhe dou tudo, e eu lhe dou tudo de mim, a fim de que forje, no Fogo do Amor, a minha Eternidade reencontrada.

Ao desviar de qualquer aparência, ao desviar de qualquer sofrimento, eu descubro a sua Transparência.
Então eu vivo em você, como você vive em mim.
Uma vida de Graças, ao mesmo tempo de Plenitude e de Vacuidade, ao mesmo tempo de Beleza e de Infinito.
Eu lhe entrego tudo o que termina um dia, a fim de que cada dia, aqui como em outros lugares, jamais cesse o Êxtase da sua Eternidade e da minha Eternidade.
Eu o deixo apanhar o que eu acreditava ser, a fim de abrasar o que não existe alhures, senão no que eu pude crer.
Você, Única Fonte e Única Paz, além de qualquer suporte, você me abarca, pois você jamais será uma perda possível.
Eu Sou o que cada Um É.
Eu solto o que me retém a fim de chegar até você, porque eu compreendo que você sempre Foi, você sempre É, e você Será para sempre, a Fonte das Fontes, o coração do Coração.
Eu me deixo ser aspirada, colocando a minha vestimenta da Eternidade.
Você me desnuda, a fim de me vestir com a sua Glória, pondo fim a qualquer noção de distância, a qualquer separação.
Eu sei que eu vivo o que você É, seja o que for que eu viver.
O que eu sou é a Vida.
Eu nada lhe peço para mim, pois eu sei que você preenche a Vida.
Eu me instalo na sua Presença, aí onde está o fim de toda a incerteza.
Então, ao Desposar a Liberdade, ao Desposar a Verdade, mais nenhuma sede pode me afetar.
Eu dou e eu darei tudo o que você me deu, nada mantendo, permanecendo no Indizível Amor do braseiro de Fogo.
Instalada na Vida, eu sou a Eternidade e você É a minha Eternidade.
Você preenche o que eu sou, além de mim, bem como além de você.
Nós somos Um, no Amor e na Liberdade.
Você e eu, Livres, regando o Espírito na Fonte da Verdade.
Nós somos então Um.
Nós somos então esta Alegria inefável.
Eu lhe confio esse Mundo, a você que não conhece qualquer limite e qualquer freio e qualquer obstáculo.
Eu o acolho.
Eu abro a minha Porta.
Nada mais pode ser fechado no Êxtase do que eu estou vivendo.
Em tal Fogo de Amor, devorando tudo o que era eu, você me convida para as Últimas Núpcias, Núpcias de Liberdade onde o Êxtase é a única possibilidade.
Eu me dirijo a você, como a uma pessoa, sabendo que você É além de qualquer pessoa, além de qualquer forma.
Você, o Amor que É eu.

Este Amor que é Paz, que é Alegria, que não tem necessidade de qualquer justificativa e de qualquer explicação.
Você é a Única resposta, o Único Caminho, você, o Único, Presente em tudo.
No Silêncio do meu Templo, onde não emerge qualquer reivindicação, eu sou você.
Além de qualquer palavra formulada, além de qualquer pensamento manifestado, além de qualquer desejo, você Está aí.
Assim Liberada das minhas próprias barreiras, eu lhe abro as Portas do Ser.
Você, o Amor, cujo Canto é o Êxtase, você, a radiosa Presença que flui tal uma Água de Fogo, você anima, em nós, além de qualquer memória e de qualquer forma, a Alegria do Êxtase e o regozijo da nossa Paz.
Como nomeá-lo, sem atribuir-lhe uma forma?
Como nomeá-lo, sem trair pelas minhas experiências ilusórias?
Então, eu não o nomeio, nem o limito em meio a alguma forma, você que É a Vida de todas as formas, você que anima todas as coisas e cada Vida.
Você É o Amor.
O Êxtase e a Paz são as suas testemunhas e os seus marcadores.
Eu me fundo em você, desaparecendo, assim, de mim.
Você É esta Morada da Paz Suprema.
Você é o que eu Sou.
Eu Sou o que você É.
Sem distância e sem diferença.
Tendo declamado a sua Presença Infinita, então eu repouso na sua Paz, na sua Plenitude e na sua Beleza.
Amados do Amor, Irmãs e Irmãos, no momento em que o véu da carne não é mais um obstáculo para nós, essas palavras escolhidas, cuja Reconexão e Vibrância são a continuação dos Cantos da Eternidade que eu compus, eu as dou para vocês, neste momento: no Tempo do Amor.
Esta Declamação não é uma oração, nem uma meditação, ela é a Verdade do Amor, vivida pela Vibração do Êxtase.
Ao olhar para estas palavras, ao escutar estas palavras, vocês irão se aliviar de qualquer peso que ainda restar e eu estarei, com vocês e em vocês.
Ao ler estas palavras, vocês irão realizar o Apelo da Luz para a Luz, e o Apelo para o Despertar.
Queiram aceitar a Bênção do Amor.
Até logo.

************

 Mensagem da Amada HILDEGARDA DE BINGEN no site francês:
22 de agosto de 2012
(Publicado em 23 de agosto de 2012)

***  

Tradução para o português: Zulma Peixinho



************


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário