Coletânea - Onda da Vida - Parte 2 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação




imagem elaborada por Zulma Peixinho - portaldosanjos.ning.com

Pergunta: Podemos continuar as atividades cotidianas com a Onda da Vida?
Depende para quem. Para a vida sexual, é muito perigoso, vocês verão por vocês mesmos para aqueles que têm atividades desse lado aí.
Porque nesse momento, é muito simples: há uma atividade espontânea da Kundalini (o canal do Éter, se vocês preferem) e se vocês jogam fisicamente, você vai desencadear processos energéticos extremamente violentos: a combustão espontânea ou quase. Vai pôr fogo.
A vida cotidiana, é muito variável segundo os seres. Mas não há nenhuma razão que os impeça de varrer, não é? Simplesmente, vocês vão passar a vassoura dançando.
Bom, às vezes é embaraçoso. Eu já disse que vocês vão fazer isso, também.
É verdade que passar da personalidade mal-humorada ao Êxtase permanente, faz uma sagrada diferença.
Pergunta: A intensificação da vibração é uma premissa da instalação da Onda da Vida?
Pode ser uma premissa da instalação da Onda da Vida, mas é mais frequentemente a energia Supramental que começa a investir as células, é a energia descendente.
Mas há uma amplificação: as energias estão aumentadas, tanto lá no alto como aqui embaixo. Assim, o corpo degusta. Isso pode dar mesmo vibrações muito, muito físicas, ao nível do corpo.
Vocês têm a impressão que vocês têm, por exemplo, a caixa torácica que se move. Ou a esfera da pelve, com todos os órgãos genitais, que começam a mover-se no interior.
Mas não é piada, é muito real.
Vocês têm seres que vão começar a viver Vibrações cada vez mais importantes: é a transmutação da matéria. É a ascensão.
É o planeta grelha antes da hora.
É necessário que as suas células se transformem, para quem vai partir com o corpo. Esta é uma regeneração total de seu corpo etérico, o Manto Azul da Graça: ele vem pelas energias azuis que penetram pelos chacras do baço e do fígado (que regenera, um pouco como o mito de Prometeu, e o papel do baço que é de nutrir).
Vocês recriam, ao nível da estrutura etérea, um novo corpo de Estado de Ser, mas também uma nova estrutura etérea que será, de alguma forma, o suporte de vida que vocês terão na 5D, na 3D, em um corpo muito maior localizado.
Então, é normal que mais os dias vão passar, mais as semanas vão passar, mais vocês vão sentir esta nova vida que flui em vocês.

Pergunta: Os sintomas físicos ligados a problemas podem desaparecer? 
Ah sim, claro. Não é uma constante geral. Mas vocês vão observar que muitas coisas mudam.
As necessidades fisiológicas estão profundamente modificadas.
Há quem vá rejuvenescer outros que irão envelhecer.
Há uma aceleração, mas a aceleração, pode ir em muitas direções diferentes.
...

Pergunta: O apetite é modificado pela Onda da Vida?
Em cheio. A Onda da Vida é nutritiva. Como a luz.
O.M. AÏVANHOV - 9 de abril de 2012

Pergunta: a Onda da Vida pode se manifestar sob a forma de um movimento rotativo?
É um movimento ondulatório.
Quando ele está instalado, ele percorre todo corpo.
Não é mais possível discernir a origem sob os pés, nem mesmo a origem ao nível do períneo.
Mas isso ocorre por toda parte, ao mesmo tempo, como uma ondulação, como uma dança, sendo acompanhado pelo estremecimento do Êxtase.

Pergunta: sensações de efervescência sentidas no corpo, acompanhadas de paz, de plenitude, são efeitos da Luz Vibral?
É a alquimia entre a Luz Vibral e a Onda da Vida, quer tenha nascido ou não, aliás.
Porque a Onda da Vida penetra vocês pelos pés, mas ela sai da Terra por toda parte e não unicamente nos seus pés.
Então, é um momento em que o Casamento do Céu e da Terra (ou seja, da Luz Vibral que desceu até vocês, que fecundou a Terra e que desencadeia, ao redor, a subida desta seiva que é a Onda da Vida) pode ser percebido ao nível do corpo de diferentes maneiras.
Há uma captação, pela periferia do corpo, da alquimia entre a Luz Vibral e a Onda da Vida.
Mas enquanto ela não tiver penetrado o interior dos seus pés, não tiver subido até o períneo, não pode ali ter o Êxtase.
O mecanismo não fica completo.
Ele é vivenciado na superfície.

Pergunta: é possível confundir a Onda da Vida com outra coisa?
A questão não se coloca para aquele que vive a Onda da Vida.
Não pode ali ter confusão com o que quer que seja mais.
O Êxtase não pode ser confundido com qualquer outra coisa.

Pergunta: isso pode ser confundido com manifestações de entidades do baixo astral?
Em caso algum.
Só o ego pode crer nisso.
Só o ego que tem medo pode colocar esta questão.
Não pode existir entidade, dita do baixo astral, que possa assediar.
Só o ego, que não vê claramente e que está dominado pelo medo e pela dualidade, recusa se apagar diante da Onda da Vida.
Ele ali colocará todos os nomes.
Porque aquele que vive o Êxtase é, para o ego, exterior, daquele que não o vive, uma possessão, um absurdo, algo que não pode existir.
O Absoluto não pode ser reconhecido pelo ego.
Jamais.
...

Pergunta: a alimentação pode ajudar a sentir a Onda da Vida?
Absolutamente não.
Como eu disse, há alguns anos: a alimentação líquida ou a ausência de alimentação pode favorecer a Luz Vibral.
A Onda da Vida não se importa com o que vocês fazem.
Vocês são Amor ou vocês não o são.
Enquanto vocês acreditarem que existe uma circunstância exterior (alimentar, kármica, de idade ou do que quer que seja), a Onda da Vida não pode nascer.
Ela estritamente de nada depende, e, sobretudo, não da sua personalidade, e, sobretudo, não dos seus desejos.
Já que ela está ligada ao abandono do próprio Si.
Crer e esperar que a Onda da Vida vá nascer porque vocês adotam tal regime ou porque vocês consomem tal coisa, é um equívoco do ego.
A Onda da Vida irá nascer a partir do momento em que vocês forem este Absoluto, a partir do momento em que vocês Abandonarem, vocês mesmos, o Si, à própria Fonte de vocês.
Nada mais há a fazer.
...

Pergunta: os espasmos sentidos ao nível do ventre são uma manifestação transitória no percurso da Onda da Vida?
A Onda da Vida nasceu, ou não, ao nível dos pés.
Ela subiu, ou não, até o períneo.
E, em seguida, ela pode, efetivamente, dirigir-se para frente e para trás, ou seja, para o ventre, como para as costas.
Se nada de tudo isso ocorreu antes, isso não é a Onda da Vida.
Se for a Onda da Vida, o anterior foi vivenciado.
Esses espasmos estão ligados diretamente ao segundo chakra.
Do mesmo modo que muitos de vocês notaram que havia zonas de sensibilidade, depois do Manto Azul da Graça, ao nível do que foi chamado de chakra do baço e de chakra do fígado ou, se vocês preferirem, o que vocês nomeiam Portas ATRAÇÃO e VISÃO, podendo até causar distúrbios digestivos, hepáticos ou colíticos.
Não se preocupem com isso.
ANAEL - 9 de abril de 2012

Pergunta: a Onda da Vida se apresenta indefinidamente, até que digamos “sim”?
Vocês não têm a Eternidade para dizer “sim”.
A Onda da Vida pode continuar independentemente desse Casamento Místico.
Aliás, o Casamento Místico se traduz, também, pela Onda da Vida.
Não é mais possível diferenciar a Onda da Vida, da Cópia, do Casamento Místico, do seu próprio corpo: vocês apenas constituem, realmente, um único corpo.
Há, efetivamente, o que eu nomeei esses fluxos e refluxos, mais ou menos pronunciados, mais ou menos intensos, mais ou menos próximos.
GEMMA GALGANI - 10 de abril de 2012

Pergunta: Porque alguns Intervenientes encorajam a testemunhar sobre a Onda da Vida e outros alertam para o fato de que colocar palavras nos faz sair da experiência e da Vibração?
Vocês não vão analisar a Onda da Vida mas os efeitos da Onda da Vida.
Falar da Onda da Vida faz sair da Onda da Vida.
É tão simples quanto isso.
Se vocês começam a dizer: «Eu sinto isto, como isto, como isto, como isto», isso não serve estritamente de nada.
Eu falo das consequências.
O testemunho, vejamos, não é sobre a circulação da Energia.
Ele é, unicamente, sobre as consequências na vossa vida.
É esse o testemunho.
Vocês não vão ver as pessoas e lhes dizer: «isso faz cócegas ao nível dos pés e, depois, faz coisas muito estranhas ao nível do períneo», não.
Isso não é um testemunho dos efeitos.
O que vos peço, é o que isso transforma: testemunhar os efeitos na vossa vida, não os efeitos no corpo.
Vocês creem que há muitos seres que podem compreender?
Mesmo entre os seres Despertos, há quem não compreenda.
Portanto, vocês sabem.
Enquanto vocês não o viverem, de nada serve falarem do Êxtase, da Alegria, dos arrepios de prazer que vos tomam, não importa onde.
As pessoas vos vão olhar como loucos.
Mesmos aqueles (e, sobretudo, esses) que estão num caminho espiritual.
Pelo contrário, mostrem os efeitos que isso traz à vossa vida: a ligeireza.
Eu não sei, tudo isso.
É como alguém que está apaixonado e que encontra o seu amado à noite.
Ele não vai contar a sua noite, não.
Ele vai contar em que estado se sente na manhã seguinte.
É exatamente a mesma coisa.
Não vos são pedidos detalhes picantes, não é.
O.M. AÏVANHOV - 11 de abril de 2012

Pergunta: Qual é a diferença dos Filhos da Lei do Um e dos Filhos de Belial? Estes últimos são tocados da mesma forma pela Onda da Vida?
Os Filhos de Belial são aqueles que querem manter a divisão e a separação.
Os Filhos do Um são os Filhos Libertados e os Filhos da Liberdade.
Os Filhos de Belial reivindicam o livre-arbítrio, o fato de existir fora de toda a Fonte e de toda a Unidade, o que, certamente, é estritamente impossível.
Eles são também os Filhos da Lei do Um, mas para um outro tempo.
ANAEL - 12 de abril 2012

Pergunta: Quando a Onda da Vida sobe no corpo e chega ao Coração, ela pode criar uma forte opressão nesse nível?
Sim, a Vibração é substituída por um estremecimento, ou uma pressão. Há um estremecimento real das células e do interior do peito.

Pergunta: Isso pode ser percebido como uma dor no órgão Coração?
Sim.

Pergunta: Esses estremecimentos no Coração são uma etapa para passar a outra coisa?
Não. Há uma aclimatização desse estremecimento e da sua Vibração quando tu te tornares inteiramente isso.
...

Pergunta: A Onda da Vida se propaga igualmente a partir do Coração, do lado do Canal Mariano, até ao centro da cabeça?
Sim, desde o instante em que vocês percebem a modificação dos sons, ligada à Onda da Vida.
A Onda da Vida não para no Coração. Eu vos falei de um trajeto indo do períneo ao Coração mas, evidentemente, esta Onda da Vida sobe e sai também pelo cimo da cabeça, ao nível do que é denominado a Fonte de Cristal, realizando, então, o exercício chamado Tantrismo Sagrado ou exercício de Vajrayana: união do Vajra (Fonte de Cristal) e do Yoni (o mesmo é dizer, a parte feminina, ligado ao sacro e à esfera genital).
...

Pergunta: Como a Onda da Vida sustem os Mundos?
A Onda da Vida é, muito exatamente, o que está presente, em toda consciência, em toda não-consciência ou no átomo, no Universo e nos Multiversos.
Nada poderá Ser ou não Ser, sem a Onda da Vida.
A Onda da Vida é o suporte dos Mundos, ela é a sua expressão.
Nada mais pode ser dito.
ANAEL- 14 de abril de 2012

Pergunta: Ter mãos que queimam, está igualmente ligado à Onda da Vida?
Sim, da mesma maneira que a Onda da Vida nasceu sob os pés, tendo pontos de acupuntura do rim, se vocês querem, na junção do segundo dedo do pé.
Em certos trajetos da Onda da Vida que percorrem, num dado momento, o conjunto do corpo (depois de estar focalizada ao nível dos primeiros chacras), há uma subida da Onda da Vida que se faz ao nível do Coração e em seguida ao nível da cabeça e em seguida sobre a cabeça.
E depois, há uma circulação que se faz da frente para trás e de trás para a frente.
Mas há, como disse há pouco, outras circulações.
Uma dessas circulações diz respeito à implementação de uma Vibração da Onda da Vida que parte do chacra do Coração e que sai (se o podemos dizer) pelas mãos.
Da mesma maneira que entra pelos pés, sai pelas mãos na zona similar.
O mesmo é dizer que não é o chacra da mão, propriamente dito, mas é a zona que situa próxima dos dedos.
E isso pode efetivamente desencadear queimaduras.
...
Pergunta: Ter as mãos e os dedos inchados com uma perda de sensação que sobe até o cotovelo, com dores ao nível do cotovelo, está igualmente ligado à Onda da Vida?
Isso pode ser.
Certamente, a Onda da Vida é qualquer coisa de extremamente ardente (se podemos empregar esta expressão) mesmo que vocês não percebam as queimaduras.
Alguns vão sentir uma corrente de ar fresco, em particular nos níveis inferiores do corpo.
Mas certamente, esta Onda da Vida, através da ação sobre esse corpo físico, é (vocês o entenderam) a ‘fusão’, como eu disse, do vosso corpo de Estado de Ser com o corpo físico.
O. M. AIVANHOV - 6 de Maio de 2012

Pergunta: eu sinto crepitações nas pernas e acima dos dois primeiros chacras, mas eu não tenho sensações específicas nesses dois primeiros chacras. No entanto, parece-me que a Onda da Vida sobe de qualquer maneira.
Quem falou de sensações nos dois primeiros chacras?
Ninguém.
São sensações ao nível do períneo.
Efetivamente, é uma parte do primeiro chacra.
E você sente acima, isso quer dizer o quê?
Quem lhe disse que o que você sente acima é a Onda da Vida?
Se o que você sente acima fosse a Onda da Vida, você estaria em Êxtase, em Beatitude.
Não pode ali haver Onda da Vida circulando, na totalidade (em todo caso, acima dos dois primeiros chacras), sem estar nesta Beatitude.
O que é reconhecível por todos, porque isso não é um Samadhi, durante uma meditação, é um estado que os acompanha durante todo o dia.
É esta espécie de Deleite rasteiro, que não é um deleite, no sentido sexual, mas que poderia se aproximar de alguma maneira.
É um estado de Êxtase, não há outras palavras.
Portanto, não pode parecer-lhe: você vive isso ou você não o vive.

Pergunta: e os formigamentos, por exemplo, nos braços e nas mãos?
Isso é outra coisa, não está necessariamente ligado à Onda da Vida.
As Partículas Adamantinas, também, fazem isso, durante os períodos de descida de energia.
A Onda da Vida é muito característica: é um estremecimento, é também arrepios.
Mas não é unicamente uma percepção, é principalmente o estado da Consciência que o acompanha.
Se não houver Êxtase, não é a Onda da Vida.
A particularidade da Onda da Vida é colocar neste estado.
Aliás, todos nós dissemos desde o início (mesmo havendo alguns elementos que foram dados, ao nível do peito), para vocês não se ocuparem dos circuitos.
O que era importante, era vivê-lo, e não enquanto percepção.
Então, pode ser que você tenha a Onda da Vida que esteja nas pernas, mas que ainda não atravessou os dois primeiros chacras.
E que, no que se refere às energias percebidas em outros lugares, isso corresponda presumivelmente, simplesmente, ao Manto Azul da Graça, que foi colocado sobre as Portas e os chacras do baço e do fígado.
O Manto Azul da Graça está em ressonância com a Onda da Vida: ele pode favorecer a Onda da Vida e o nascimento das energias da Intraterra, em vocês.
Mas a primeira percepção, é claro, é no períneo, no que vocês chamam de escroto no homem, também, e (como isso se chama?) nos lábios, na mulher, dando sensações específicas naquele nível.
Se não houver isso e se não houver o Êxtase, não pode ser a Onda da Vida, é outra coisa.
A Onda da Vida dá, além disso, sensação de ondulações, no interior do corpo, extremamente particulares, que não podem enganar ninguém.
Mas o mais importante, ainda uma vez, não são os circuitos que são percorridos (há uma variedade), mas é, sobretudo, o estado de Beatitude ou de Êxtase que acompanha isso, e que é independente dos Alinhamentos, independente da sua vontade.
E isso confina a algo que vai durar vinte e quatro horas durante as vinte e quatro horas.
O. M. AIVANHOV - 12 de maio de 2012

Pergunta: Como estar na Graça e no Amor para acolher este novo ser que se revela no meu corpo físico, para deixar trabalhar a Onda da Vida, para estar lúcida das mudanças em curso, sem me deixar ser tomada pelas ligações de apego mãe-filho?
É muito simples: não se coloque mais esse tipo de questão porque todas essas questões reforçam-na na Ilusão.
A Graça não precisa de você, assim como os apegos.
Você nada é de tudo o que você vive.
Você É o que está sendo vivido: a Onda da Vida.
Nenhuma ligação pode tranquilizá-la.
O apego pertence a este corpo, na relação mãe-filho.
Isso está inscrito no saco de comida.
Você está submissa a este saco de comida, às suas programações, aos seus engramas.
Isso é o seu cérebro, mas não é você.
Da sua consciência sai uma outra consciência que é formada às cegas do seu corpo, a partir do seu corpo.
E você se crê proprietária ou responsável.
Quando muito, você pode dizer que o que lhe pertence é um outro saco de comida que sai de você, que você criou.
Mas você não criou a consciência que está dentro dele.
Ela não pertence a você, de maneira alguma.
Sem isso, você mantém a ilusão da carne da carne.
A Graça não tem o que fazer desta carne, porque a Graça É.
Ela não é levada pela carne, mesmo expressando-se através da carne.
Isso não é a mesma coisa, não é a mesma relação, não é o mesmo olhar.
Aceite simplesmente que isso se desembarace, mesmo sendo você que o criou, originalmente.
Será que é você que fabrica isso?
Isso é fabricado tão somente porque é a inteligência que há no saco de comida que está programada para isso: reproduzir-se.
Mas você, você tem necessidade de se reproduzir?
O que é que você reproduz?
Há sempre, no nascimento de uma carne, a partir de uma carne, um conjunto de histórias, um conjunto de projeções que criam apegos, através de ideais ou de medos, é a mesma coisa.
Beneficie-se desta experiência (porque, aí também, ela é efêmera, ela dura nove meses) para ver o que é isso, o que isso vem despertar em você, preencher em você, ou atemorizar você, porque você não é isso.
Você É o Amor e você cria o Amor.
Será que este Amor lhe pertence, no entanto, sabendo que o Amor é Livre e torna Livre?
Caso contrário, isso permanece humano e, portanto, efêmero.
O que você vive é, de algum modo, um desafio ou, se você preferir, uma experiência.
Aí também, não fique presa a esta experiência e ao que ela induz como apego à carne.
Considere isso, efetivamente, como uma Graça ou uma Dádiva.
Mas não pare nisso.
Eu a lembro de que, para a Onda da Vida, assim como para a Graça, justamente nada há a fazer.
Não é mais uma questão de fazer, nem uma questão de ser, mas, sim, uma questão de não ser.
BIDI - 16 de maio de 2012 - Parte 1

Pergunta: Sinto que a Onda da Vida refluiu em mim. Isto foi acompanhado por uma diminuição da distância que eu tinha em relação à hiperatividade do mental e das emoções. Eu tenho algo para refutar ou a mudar em mim?
O que pode refluir? Eu não entendi o significado dessa palavra. Um fluxo não pode refluir, no que se refere a ele. Um refluxo significa um movimento inverso. O que subiu, não pode recuar ou então não subiu. Isto não se chama um refluxo.
No momento em que, o mental, o eu, ou mesmo o Si, leva sua consciência (a do eu ou a do Si) sobre a Onda da Vida e deseja o que quer que seja, ela para.
Você não pode possuir a Onda da Vida, você não pode desejá-la, caso contrário, não há refluxo, há uma parada, porque nesse momento, o que quis monopolizar, se apropriar, da Onda da Vida, nada mais é do que a personalidade.
A Onda da Vida evolui: ela sobe sem qualquer intervenção da pessoa. A intervenção da pessoa, a faz cessar. Os medos e as dúvidas a fazem cessar. O desejo não pode fazê-la reaparecer e voltar a subir. Eis o sentido das palavras que temos empregado: fique tranquilo e nada faça.
Porque qualquer ação sobre a Onda da Vida que nasce aos pés do Guru (isto é, aos seus próprios pés, o Sat-Guru) é traduzida, para você e para a Onda da Vida, como um desejo de monopolizar, de se apropriar.
Toda apropriação, qualquer que seja, apenas faz desaparecer a Onda da Vida. Da mesma forma que existem barreiras, tudo o que é dúvida, tudo o que é medo, tudo o que é medo de perder o ‘eu’, traduz-se pela parada da Onda da Vida.
Nenhuma culpa, nenhuma responsabilidade a manifestar: simplesmente, aí também, estar consciente, estar lúcido, aceitar mesmo e a Onda da Vida renascerá e tornará a subir. Ela não pode refluir porque sua natureza é subir e não descer. Não pode existir refluxo, existe simplesmente uma falha de alimentação que se produz no momento em que o eu intervém.
A Onda da Vida não é um eu, muito menos uma dissimulação. É o Último. Que restabelece o que tinha sido perdido: o Absoluto.
É necessário, portanto, cessar qualquer noção de busca, qualquer noção de caminho, qualquer noção de algo a adquirir ou a possuir. É por isso que é necessário fazer desaparecer do consciente, assim como no eu e no Si.
A Onda da Vida não necessita de nenhuma atenção. Vocês podem facilitar, mas não desejar. Vocês podem permitir, mas não pedir. O pedido ou o desejo apenas traduzem uma vontade do ego.
O que deve se calar, desaparecer diante da cena, é o ator. Não há ator. Em um dado momento, mesmo o espectador torna-se incômodo, porque o espectador vai atrapalhar o que se desenrola. E o que ocorre, cuja Onda da Vida é o testemunho, é o desaparecimento da pessoa, o desaparecimento do Indivíduo. O Absoluto toma todo o lugar, é claro, no nível do ego ou da pessoa. Este não é um sentimento que aflora, mas um sentimento de desaparecimento.
O que é intolerável para aquele que está ligado à sua forma, ao seu mental, à sua percepção.
O fluxo renascerá porque é inexorável, no momento em que vocês não terão mais o eu, no momento em que vocês não poderão mais manifestar o que quer que seja desse saco de comida, porque não existirá mais, porque o mundo não existirá mais para a consciência.
Portanto, não se faça a pergunta de por que ela parou, pois isso vai também colocar ainda mais distância da Onda da Vida e do Absoluto. Você pode então agir, não sobre o Absoluto e a Onda da Vida, mas, diretamente, sobre as dúvidas e os medos. Isso não quer dizer buscar o porquê existe essa dúvida, o porquê há esse medo, porque o motivo é parte de sua história, na adesão à sua história.
Basta olhar, com objetividade, na face, aceitar que há dúvida e medo, aceitar que você não é nem essa dúvida, nem esse medo, nem essa pessoa. Este é o princípio da investigação e da refutação. Nesse momento, você não tem que se colocar a questão da Onda da Vida, já que ela sempre esteve aí. Ela não se interrompe, salvo pela consciência, a consciência que tem impedido a sua própria Liberação.
A consciência é, em definitivo, até mesmo dentro do eu Sou ou eu Sou Um, o elemento que freia porque no eu Sou, há ainda uma identidade, há ainda um indivíduo, mesmo se ele não está mais separado, mas não está integrado. Se você aceita isso, não se preocupe em ir buscar a causa desse medo, dessa dúvida, mas em olhá-los e aceitá-los para transcendê-los, porque o eu, em sua totalidade, mesmo se ele afirma o inverso, não é senão construído pelo medo.
A partir do momento em que você não busca a causa, a partir do momento em que você não busca explicação, e, ainda menos compreensão, simplesmente ser o observador ou a testemunha, é suficiente para a identificação, para o reconhecimento desse medo, dessa dúvida.
A partir daquele momento, você não volta mais a sua consciência, seu eu, para a Onda da Vida e ela então renasce. Como lhes foi dito, não há estritamente nada a fazer para a Onda da Vida. Há a fazer no nível do que faz, isto é, esse corpo, esses pensamentos. Mas a finalidade não deve ser a Onda da Vida, sem isso, ela não nascerá jamais ou não renascerá jamais.
A Onda da Vida não tem necessidade do eu nem do Si, porque a Onda da Vida se lança e penetra o corpo, a partir do momento em que não exista nenhuma resistência ao Absoluto. Você não pode fazer nada para isso, enquanto o eu está presente, enquanto o Si está presente, porque o eu como o Si vão sempre querer controlar e dominar, o que é impossível para a Onda da Vida.
Há uma mudança de atitude, uma mudança de olhar, uma mudança de consciência, que não pode nem ser conhecida nem aceita pelo eu ou pelo Si. Se você integra isso, se você o aceita, então a Onda da Vida renascerá, mas não antes.
O que está distante não é a Onda da Vida, é você. Apreenda isso, e tudo irá bem, porque tudo está bem. A distância não existirá mais para o eu, porque o eu se apagará por si mesmo. Não o alimente, não alimente as dúvidas e os medos, reconheça-os, simplesmente.
O eu sempre tem tendência a considerar que os medos e as dúvidas são parte do que ele é, mas você não é esse eu, você não é essas dúvidas e esses medos. Você não é nada do que passa e te atravessa. Fique tranquilo.
BIDI - 16 de maio de 2012 - Parte 2

Pergunta: O que devo deixar e como posso deixar para que a Onda da Vida nasça em mim?
Absolutamente tudo. Nada reter. Deixar tudo. Enquanto tu retiveres qualquer coisa, isso não funcionará.
É preciso parar de olhar para o umbigo. É preciso, também, parar de olhar o que quer que seja. É preciso, aí, por exemplo, estar plenamente presente no Si e nada desejar ou nada pedir. Nada esperar. Ficar aí, simplesmente. Se tu fores capaz de fazer isso por alguns minutos, a Onda da vida te aparecerá mas ninguém pode fazer isso por ti.
Coloca-te a questão de saber se tu és capaz de parar tudo, o que quer que te sussurre o ego: «eu vou morrer», «eu vou perder o controle», «eu vou ficar louco». O ego tem muitas soluções de substituição para te dissuadir a permanecer tranquilo.
Coloca-te em qualquer lugar, e aí, não peças nada, não faças nada, deixa vir a ti sem barreiras e sem medo. Porque neste estado, é aí que, tu serás o mais justo, o mais próximo, a fim de que aquilo que não é deste mundo nasça em ti.
Antes, o ser humano não era senão uma miscelânea e um conjunto de crenças se harmonizando mais ou menos bem umas com as outras. Tu não és isso. É preciso, como eu disse ontem, sair do ponto de vista da pessoa: ele não existe.
Há, a este nível, a necessidade, cada vez mais premente, te pedindo para te manteres tranquilo, imóvel. Tu passarás pelo observador e, num dado momento, identificável entre todos, por ti mesmo. Tu apreenderás que esse momento é exato. E desde o instante em que o momento é exato, a Onda da Vida está aí. Ela nunca deixou de estar aí. É o teu consciente, os teus medos e as tuas dúvidas que a impediram de estar totalmente consciente no seio da personalidade.
Eis o que é para realizar: é uma não realização, uma não ação.
BIDI - 17 de maio de 2012

Existe, portanto, um conjunto de movimentos e um conjunto de deslocamentos, assim como um conjunto de estremecimentos e de Vibrações, cujo teatro é o seu Templo Interior, ou seja, o seu peito.
Não há outra explicação a dar senão essa.
...

Pergunta: a que corresponde a etapa da Onda da Vida que eu vivenciei sentindo o meu peito se abrir e vendo como alguma coisa sair?
Tudo isso são apenas percepções.
Existem diversas percepções ligadas à Transfixação do Coração, pondo em operação o Ponto KI-RIS-TI, o chacra do Coração e o Ponto ER.
A Onda da Vida sobe e circula, da frente para trás, e de trás para frente.
O impulso Metatrônico atravessa o Coração, de trás para frente.
O impulso Micaélico atravessa o Coração, da frente para trás.
ANAEL - 19 de maio de 2012

Pergunta: Para acolher a Onda da Vida não é, portanto, necessário estar em meditação?
Mas claro que não. Quem vos disse isso? Nós sempre dissemos que isso era um processo natural.
É como se tu me dissesses: a respiração é um processo natural, o que é preciso colocar na respiração para saber respirar?
O.M. AÏVANHOV - 19 de maio de 2012

Coletânea - Onda da Vida - Parte 1 - Autres Dimensions

Coletânea - Onda da Vida - Parte 3 - Autres Dimensions

Trechos extraídos das mensagens do site http://www.autresdimensions.com
Seleção e edição: André MA
Parte 2 de 3

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário