Coletânea - Onda da Vida - Parte 1 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação






O que chega, agora, é outra coisa, ou seja (na falta de uma palavra melhor), chamamos de Onda do Éter ou Onda da Vida, mas podemos ali colocar os nomes que quisermos.
E isso, isso não é mais nem uma energia, nem do Supramental.
É algo que não é nem energia vital, nem o fogo do ego (de algum modo), o fogo vital, que lhes permite ter pulsões, emoções, pensamentos, tudo o que constitui a vida neste mundo, que esta vida seja voltada para a matéria ou para o espiritual.
...
Eu me explico: imaginem que vocês tenham acesso à crença na reencarnação e que lhes seja dado a ver todas as suas vidas passadas, ou eventualmente, até mesmo, ver todas as vidas passadas daqueles com o quais vocês irão cruzar.
Mas o que isso vai trazer-lhes?
Isso vai confiná-los em alguma coisa.
Do mesmo modo, quando vocês vivem o Supramental e quando vocês penetram a Luz, quando a Luz os penetra, vocês vivem momentos (nos Alinhamentos, nos sonhos, nos momentos privilegiados) em que vocês são esta Luz.
Mas mesmo isso é uma imagem.
É algo que precede a Onda da Vida.
Vocês estão no momento da Onda da Vida, porque a Terra decidiu viver sua Ascensão.
Isso foi Realizado.
Agora, não é, eu diria: “tudo está consumado”, como no ano passado.
Mas tudo está consumado, agora, na carne.
E quando eu digo isso, como os Arcanjos lhes disseram, isso é iminente.
Não é em um ano, não é em seis meses, é antes.
Mas o tempo não existe.
Ou seja, se vocês se fundem na Onda da Vida, o que vai acontecer?
Tendo vivenciado isso, vocês irão ver o que vocês eram (este corpo, estes pensamentos, esta construção, este Supramental) como algo que não é mais vocês.
Isso não é uma negação, isso não é uma rejeição, isso não é dizer: assim seja, eu me coloco em um canto, eu coloco um roupão branco e eu não faço mais nada.
Isso significa que vocês irão com plena Lucidez e com plena Clareza, não como uma crença, mas que vocês nada são do que vocês acreditavam antes.
A Onda da Vida os faz viver a Vida e transcender a Vida e transcender esta vida.
Ela é a resposta.
Ou seja, não há mais necessidade de questões, não há mais necessidade de interrogação sobre saber quem eu sou.
Não há mais necessidade de interrogação sobre o que eu vi.
O que eu vejo?
Aonde eu irei?
O que vai acontecer para mim?
O que vai acontecer para o mundo?
O que vai acontecer para os meus filhos?
O que vai acontecer com a missão que eu tinha?
Vocês continuam, mas vocês nada mais são disso tudo.
Não é uma rejeição, é a transcendência absoluta.
A Onda da Vida é isso.
Ela foi liberada.
Ela não vem da FONTE, de Alcyone, ela não vem de uma Dimensão, ela não vem do seu Espírito, ela não vem da sua alma, ela não vem da sua pessoa.
Ela vem (na falta de outra palavra) do que eu denominaria o Último.
O círculo se fechou.
Tudo isso para compreender que não há círculo.
A Verdade não é algo que se descobre imediatamente.
Ela é descoberta por eliminação.
...
Então, é claro, aqueles que ainda estão na personalidade vão dizer: mas isso não chega, nada acontece.
Mas nada há para acontecer, porque, em última análise, tudo o que vocês construíram (as Portas, as Coroas Radiantes) devem dar lugar ao que vocês São: a Onda da Vida, a Onda do Éter.
Se vocês quiserem, vocês podem chamar o despertar da Kundalini, mas o despertar da Kundalini é estritamente nada, de qualquer maneira, em relação à Verdade.
São ainda artifícios, são ainda (como dizer) espetáculos, é para se divertirem.
E, sim, o ego, ele não está contente aí, hein?
E o mais maravilhoso é que, para isso, vocês nada têm a fazer, nada a pedir, nada a esperar, nada a projetar.
Façam o que vocês fazem normalmente.
Tudo foi construído, tudo foi realizado.
Eu lhes disse desde um ano.
...
O mais difícil (se o podemos falar de dificuldade) é que a Onda da Vida, a Onda do Éter, o Fogo do Éter (não o fogo do éter do ego, mas o Fogo do verdadeiro Éter, que está no Canal Mediano) apenas pode recriar-se ou descriar-se (é a mesma coisa) a partir do momento em que vocês próprios se abandonam, não mais à Luz, mas que vocês abandonam, até mesmo, a Luz, não para nada.
É o momento em que vocês se dizem (de alguma forma, porque isso não se diz realmente, ou, então, isso pode se dizer posteriormente): “eu vivo a Luz, eu vivo sintomas da Luz, neste corpo, nos meus mecanismos de pensamento, na Alegria”.
É o momento em que vocês se dizem: “mas será que eu sou isso? sim, porque eu o acredito e eu o vivo”.
E há um determinado momento em que vocês deixam o pote, os amendoins e a mão, onde mais nada existe.
E, ô milagre, quando mais nada existe, existe tudo.
A Onda da Vida, naquele momento, é o que vocês São, além do eu Sou, além da Luz.
O.M. Aivanhov - 03 de Março de 2012

Pergunta: podemos dizer que a Onda da Vida é A FONTE?
Bem amada, A FONTE é a Onda da Vida.
A partir do momento em que há sobreposição entre uma FONTE exterior (situada e localizada em Alcyone) com a sua própria FONTE (que é A FONTE), então, naquele momento, a Onda da Vida é realizada.
...
Pergunta: se a Onda da Vida está além da Consciência, como podemos estar Conscientes?
Tornando-se esta Onda da Vida.
A consciência (no sentido em que ela é denominada, aqui sobre este mundo, como em outros lugares) significa: com.
Há, então, percepção, concepção, projeção.
Toda projeção, toda concepção, toda percepção, é apenas uma fragmentação do Absoluto.
O mecanismo denominado Dissolução é o que antecede a Onda do Éter ou Onda da Vida.
Isso não pode ser compreendido de modo algum, nem pelos sentidos, nem pelo mental, nem por uma ideia, nem por um pensamento.
Será que a consciência está consciente de viver?
...
Pergunta: as irritações nas pernas são uma manifestação desta Onda da Vida?
Sim.
Eu diria mesmo que são as primícias e as resistências.
A partir do momento em que você diz ‘sim’, além do ego, além do Si, então o incômodo tornar-se o Absoluto.
A Onda da Vida não vem, aliás, senão do centro do Centro, além de toda localização.
Isso não é, somente, a Irradiação da FONTE.
Isso não é, somente, a Irradiação do Espírito Santo.
Isso não é, somente, a Radiação do Ultravioleta.
É muito mais do que isso.
Se eu posso assim me expressar, cada um de vocês que irá aceitar Abandonar-se de si mesmo, cada um de vocês que irá viver a Onda do Éter ou a Onda da Vida, irá reunificar, de algum modo, a totalidade das Dimensões, além de toda identificação.
O Êxtase é a sua Essência.
ANAEL 2 - 03 de março de 2012

Pergunta: como se posiciona o fato de comungar com A FONTE, comparado ao fato de viver a Onda da Vida?
A Comunhão com A FONTE foi, até o presente, uma irradiação que eu qualificaria de descendente.
Que isso seja o Espírito Santo, que isso seja a Radiação do Ultravioleta, que isso seja o último componente Adamantino da Luz, ela veio até vocês pela cabeça.
Isso dá a Comunhão com A FONTE.
Mas a Comunhão com A FONTE não é Ser A FONTE, aí está toda a diferença.
A Onda da Vida é uma energia que eu chamaria de ascendente.
Não é somente o fogo da Kundalini, a Onda da Vida é a Alquimia da Água e do Fogo Primordial, que é realizado em vocês, o Andrógino Primordial.
E que dá, então, a viver outra coisa que esta Comunhão com A FONTE.
A Comunhão com A FONTE é um êxtase limitado.
Isso foi chamado de um Samadhi particular.
Dando-lhes a contemplar e, de alguma forma, a estabelecer, um estado de Comunhão podendo assemelhar-se a um êxtase ou, em qualquer caso, uma Alegria Interior, a um sentimento de Presença que é, efetivamente, já, em parte, indizível.
Mas, ainda uma vez, assim que a Onda de Vida é vivida, não pode haver qualquer distinção entre o que você nomeia, meu irmão, FONTE, Comunhão.
Porque, na verdade, quem comunga com A FONTE?
Antes da Onda de Vida, este pode ser o Eu, este pode ser o Si.
Após a Onda de Vida, não pode haver Comunhão: há União, e há Casamento.
Antes, era apenas uma aproximação, os noivados, as Núpcias Celestes.
A Onda da Vida é Boda da Luz.
Evidentemente, enquanto a Onda da Vida não está desvendada, revelada, atualizada (pouco importam as palavras que vocês quiserem usar), restará sempre, naquele que viveu o encontro com o Si, a necessidade de se autocontemplar, o que eu chamaria (o que foi chamado pela Irmã YVONNE AMADA) de um narcisismo espiritual: a necessidade de se contemplar na Luz, a necessidade de experimentar a Alegria, de experimentar a Leveza, de experimentar a Presença.
Mas tudo isso não é a Onda da Vida.
Elas apenas são, essas manifestações, a antecâmara [o saguão].
Mas, como lhes disseram os Arcanjos, era necessário construir algumas coisas antes de desconstruí-las.
Viver a Onda da Vida é, finalmente, aceitar romper com a autocontemplação.
O Samadhi não é uma finalidade.
A meditação não é uma finalidade.
Este corpo não é uma, tampouco.
Sua vida, aqui, tampouco.
A partir do momento em que vocês aceitarem que nada do que existe em meio ao efêmero, mesmo a revelação e a realização do Si, não são senão etapas, então, vocês irão abrir a porta ao não Si, isto é, à Onda da Vida.
Em resumo, tudo o que é conhecido de suas experiências, tudo o que é conhecido de suas vidas, ou desta vida, tudo o que é conhecido da Luz, deve dar lugar ao Absoluto.
GEMMA GALGANI - 10 de março de 2012

Pergunta: quando sentimos os estremecimentos da Onda da Vida, mas sem sentirmos o êxtase, será que isso reflete uma falta de Abandono à Luz?
Sim, na totalidade.
Esse estremecimento (partindo dos pés e subindo ao longo das suas pernas) chegando ao períneo (peri naos significa “em torno do Templo”) e se construindo ao nível do segundo chakra, torna-se êxtase a partir do momento em que há transcendência do que vocês nomeiam primeiro e segundo chakras.
O conjunto dos impedimentos, o conjunto das violações, o conjunto dos medos (mesmo aqueles que foram superados pelo ego) estão, ainda, inscritos em suas estruturas.
Nenhuma estrutura ilusória pode conceber-se como Ilusória.
O estremecimento da Onda da Vida é transmitido e se traduz a partir do momento em que ela chega ao Coração, por um estado de êxtase permanente, indissolúvel e totalmente imanente.
Perceber a Onda da Vida e não ser convertido, si mesmo, nesta Onda da Vida, efetivamente, reflete as primeiras abordagens (se o podemos dizer) da Onda da Vida, pelo próprio Estado de Ser.
Será que ele vai se deixar levar, este Estado de Ser?
Será que ele vai aceitar a própria dissolução do “Eu sou”, do “Eu sou UM” (ou, se vocês preferirem, do Si) em meio ao não Ser?
Do mesmo modo que foi dito por vários Anciãos que o Samadhi não é um fim em si, mas é apenas, de algum modo, o reflexo do que a pessoa atingiu, traduzindo-se pelo processo da Humildade, da Simplicidade, da vivência do Fogo do Coração.
Mas, será que, no entanto, há Crucificação?
A Crucificação (ou a Passagem da última Porta Estreita) é representada pela ação do Manto Azul da Graça (da Doação da Graça) para viver a Graça (a Onda da Vida, a Onda do Éter), para tornar-se a Graça.
E isso não pode ser realizado enquanto existir a menor parcela de personalidade, a menor parcela de medo, a menor parcela de dúvida.
Essas resistências não são para serem observadas.
Elas não são para serem procuradas.
O único elemento a manifestar é o Abandono de si mesmo, o Abandono do Si e não, somente, da personalidade.
É renunciar ao Acordar (ou ao estar Desperto) para percorrer a Onda do Absoluto.
Sobre esta Terra, houve vários Acordados (vários Despertos).
Quais são os seres humanos, encarnados na carne, que foram capazes de dizer: “eu e meu Pai somos UM”?
Somente aquele que sacrificou o Si (seu Acordar, seu Despertar), somente aquele que Abandonou si mesmo, tornou-se um deles.
É o momento em que vocês não concebem mais (nem manifestam) uma crença em um Absoluto exterior a vocês, enquanto que busca, enquanto que procura, enquanto que progressão.
É o momento em que vocês constatam, pela própria experiência, que nada existe, que tudo é apenas projeção.
Naquele momento, a Onda da Vida torna-se êxtase permanente e imanente.
É a renúncia total a todas as Ilusões, sem qualquer exceção.
Enquanto vocês acreditam e aderem ao fato de ser uma pessoa vivendo a Luz, enquanto vocês aderem e vivem suas experiências (vivenciadas mesmo em meio ao Estado de Ser), vocês não podem aceder ao Absoluto.
É-lhes preciso renunciar a tudo, não ser mais nada, para ser, enfim, o Tudo.
Houve muito poucos seres que realizaram, sobre esta Terra, esta Liberação efetiva.
Todos eles lhes falaram (qualquer que seja o século, qualquer que seja sua cultura) a mesma linguagem, empregaram as mesmas palavras porque não há outras.
ANAEL - 10 de março de 2012

Pergunta: qual é a relação entre a Onda da Vida e os 21 dias evocados por GEMMA GALGANI?
De maneira geral, bem amado, a Onda do Éter instala-se em certo número de dias.
Do mesmo modo, nesses tempos mais reduzidos, a encarnação (resultando na morte) acompanhava-se de um período, bem conhecido, de 40 dias, que era necessário para dissolver, na totalidade, o complexo inferior (ou seja, o corpo astral, o corpo etéreo, o corpo mental), reconstituindo a experiência da encarnação em meio à ilusão, ao nível do que era chamado de corpo causal, pertencente, ele também, ao complexo inferior.
Do mesmo modo, a Onda do Éter completa sua plena revelação, em quem vocês São e no que vocês São, em 21 dias.
Obviamente, esse tempo não é rígido, nem fixo: ele corresponde a ‘sete vezes três dias’, que é o tempo necessário para escalar, de alguma forma, o seu estágio inferior desse Templo.
Lembrem-se: a instalação da Onda do Éter é um processo natural vindo da liberação da Terra, que está ligado, como vocês o sabem, ao Núcleo Cristalino da Terra que é, ele mesmo, o retransmissor Vibratório de uma Porta das Estrelas denominada Sirius.
Esta Onda do Éter difunde-se no conjunto da Terra.
É ela, devido à Liberação da Terra, que torna observável, para vocês, o conjunto dos fenômenos que vocês veem, neste momento, desenrolar-se sobre esta Terra.
Sua acentuação está, efetivamente, em andamento.
Pergunta: as dores nos pés relevam de resistências à Onda da Vida?
Bem amado, toda manifestação ocorrendo ao nível dos pés (exceto, evidentemente, o que vocês nomeiam entorse, fratura ou outro problema) releva, exclusivamente, da modificação que ocorre em meio ao Núcleo Terrestre, Núcleo Intraterrestre da Terra, assim como do Manto da Terra.
Os seus pés captam, muito naturalmente, a modificação da distribuição de uma série de Partículas ao nível do solo.
Os seus pés retransmitem esta Onda.
Se, contudo, existe em vocês uma sensação de incômodo ou de dor, naquele momento, vocês podem, perfeitamente, favorecer o que é natural, sem se servir de outra coisa senão da própria Terra.
O que isso significa?
Isso significa colocar os seus pés, nus, no orvalho da manhã, ao nascer do Sol.
Isso irá permitir acumular, de algum modo, ao nível dos seus pés, a Onda do Éter.
E isso, muito naturalmente, irá percorrê-los.
Pergunta: neste momento, é melhor evitar as massagens dos pés e das pernas ou será que isso é complementar?
Isso pode ser totalmente complementar.
Mas lembrem-se de que esse processo de subida da Onda da Vida ou da Onda do Éter ocorre a partir da Terra.
É, então, lógico e natural, colocar os seus pés no chão.
Alguns de vocês vão perceber esta Onda do Éter, mais facilmente, deitado do que em pé.
De qualquer maneira, lembrem-se de que esta Onda, nascida do Coração da Terra, propaga-se até o solo.
O momento privilegiado do nascer do Sol (correspondente à deposição do orvalho) é o momento em que lhes é mais fácil recolher esta Onda do Éter.
Nós não lhes falamos sobre isso porque, durante as primeiras semanas da ação do Manto Azul da Graça, era preciso que vocês fossem o mais natural possível em relação a esta Onda do Éter.
Se, entretanto, em vocês, existe o que eu chamei de incômodo, naquele momento, utilizem a Terra e o seu orvalho.
...
Pergunta: esta Onda da vida nasce em momentos diferentes para cada um?
Foi exatamente o que eu disse.

Pergunta: os 21 dias de desenvolvimento são contínuos ou isso pode ser por partes?
Não.
Isso é contínuo.
O que nasceu não pode desaparecer.
Isso é sem volta.
Pergunta: a zona da virilha tem um papel particular nesta subida da Onda da Vida?
Bem amada, a partir do momento em que a Onda da Vida chega à raiz dos membros inferiores, ela penetra o períneo, instala-se ao nível dos órgãos genitais, do sacro e do conjunto da pelve como da raiz dos membros.
É deste estágio, deste local, que ela vai se difundir como uma onda permanente tomando todo o corpo.
Pergunta: há uma particularidade entre o lado esquerdo ou direito da virilha?
Isso não tem qualquer importância.
Alguns cursos, algumas zonas são mais permeáveis do que outras, em um primeiro momento.
Mas, em última análise, nenhuma parte deste corpo, nenhuma parte desta personalidade, irá escapar ao que vocês são.
Ainda uma vez, deixem trabalhar a Onda do Éter.
Nenhuma questão irá resolver o que quer que seja.
A compreensão estritamente nada mais representará para vocês.
A ferramenta mental tornar-se-á obsoleta.
A Onda da Vida é um estado de Graça permanente.
O mental é ação / reação.
Vocês, definitivamente, não fazem mais parte deste mundo e deste mecanismo de funcionamento (muito em breve).
Pergunta: a persistência da sensação desta Onda até o primeiro chakra, aliada a dores ao nível do segundo chakra, pode causar um bloqueio da subida desta Onda?
Bem amado, não pode existir obstáculo à Onda da Vida.
Somente a personalidade crê nisso.
Só o que é limitado, em você, pode imaginar isso.
Haverá, efetivamente, um momento em que o que estava, de algum modo, encistado, em meio aos arquétipos do primeiro chakra coletivo da humanidade e do segundo chakra coletivo da humanidade, deverá ser liberado.
Mas isso não é do seu corpo.
E isso não é pessoal.
ANAEL - 14 de março de 2012

Pergunta: poderia nos esclarecer sobre a Onda da Vida em relação às Dimensões?
A Onda da Vida é o que subtende toda Vida, toda Dimensão, permeia até mesmo as partículas as mais elementares.
O que vocês não veem aqui, do lado da ilusão, é o nada, o vazio, é apenas uma estratégia de defesa do ego.
A Criação é Amor, desde a 1ª Dimensão até a Dimensão Última (de todo tempo, de todo espaço, se o podemos exprimir assim): é o agente, a constituição, o motor do Tudo.
A FONTE, lembrem-se: é um Impulso.
Podemos dizer, esquematizando, que a FONTE é o Pai.
O que nós lhes dissemos, há muito tempo?
Eu apenas volto a isso a título histórico, digamos.
A Terra foi semeada com estruturas cristalinas, trazidas por aquelas que chamamos pomposamente de Mestres Geneticistas de Sirius.
O Núcleo Central da Terra é um Núcleo Cristalino que suporta a Vida.
É o estágio mineral, organizado, arranjado, que foi encerrado por forças gravitacionais, cortado da FONTE.
A FONTE restabeleceu o contato (que é matricial, mas no sentido o mais nobre e não esta matriz invertida) para juntar-se ao seu Esposo.
O Casamento Místico (na escala do planeta, do sistema solar, da partícula elementar, da célula), nada mais é do que esses Reencontros: o que nós chamamos, a algumas semanas, de Núpcias de Luz.
Não são mais as Núpcias Celestes que chegavam de cima.
São Núpcias que acontecem na Graça, na carne, na Transcendência da carne.
Portanto, é claro que mesmo a FONTE, que é Impulso (que banha toda Criação), apoia-se, de algum modo (é o melhor termo que eu posso dar a vocês), na Graça, ou seja, nesta Onda da Vida, nesta Onda do Éter, nesta Onda da Graça.
...
Pergunta: aqueles que estão atados pelos tornozelos não podem viver a Onda da Vida?
Isso está correto.
E não é uma punição.
Porque a Onda da Vida, como dizer, ela não se cria.
Ela se atualiza, no seu momento, e não no momento de um outro.
Há, também, uma noção cumulativa, de limiar, para que o suficiente de Onda da Vida acumule-se, para dar este impulso para subir ao longo das pernas, para chegar aos dois primeiros chakras.
Como disse ANAEL, nada há a fazer.
Então, favorecer pelo orvalho, isso ele lhes explicou o porquê.
Mas querer fazer nascer a Onda da Vida, isso é o ego.
A Onda da Vida é natural, já que é a nossa natureza, de todos.
Nossa perfeição, que jamais passou pela menor alteração, que é perfeita, desde toda Eternidade.
Como este Absoluto poderia evoluir de uma maneira qualquer, já que ele é a Eternidade?
É o ego que é efêmero e que os faz crer que vocês são eternos.
Nós lhes explicamos as quatro consciências: sono, vigília, Turiya e sonho.
Além das quatro consciências, há o Absoluto, que não é o nada, que é o Tudo, e que não é sequer mais consciente.
E, no entanto, isso não é a inconsciência.
O.M. Aivanhov - 17 de Março de 2012

Pergunta: ter seguido todos os processos indicados pelos intervenientes (Núpcias Celestes, Etapas, etc.), faz viver a Onda da Vida?
Certamente não.
Houve um papel de Ancorador e de Semeador de Luz para permitir ao Supramental, para permitir à Luz Vibral, nos seus três componentes, encarna-se em vocês como sobre a Terra.
A Onda da Vida é possível para cada um, na condição de Abandonar-se si mesmo ao Si e de Abandonar o Si.
Isso não é devedor de qualquer experiência anterior, de qualquer função anterior.
A Onda da Vida é oferecida a todos.
Tudo depende da sua distância, ou da sua identificação, digamos, à Onda da Vida.
A Onda da Vida tem traduções, manifestações, neste Templo que é o corpo, na consciência, na vivência.
A Onda da Vida não está limitada a algumas consciências.
A Onda da Vida será oferecida, porque é a natureza da Vida, ao conjunto da humanidade.
Lembrem-se: há, entre vocês, quem vive este Absoluto, no seu Êxtase, na instalação deste Êxtase, e outros que estão nas primícias, que vivem manifestações, neste corpo, mas que ainda não vivem o Êxtase.
A partir do momento em que a Onda da Vida é percebida, a partir do momento em que a Doação da Graça propaga-se no conjunto do corpo, nada pode impedir o Êxtase.
Do mesmo modo, aquele que nada conhece de tudo isso, é, ele também, abençoado porque: “felizes os simples de espírito, o Reino dos Céus lhes pertence”.
O Reino dos Céus, readaptado, hoje, nada mais é do que a Onda da Graça: reunião do Céu e da Terra, Casamento, União, Fusão e Dissolução.
Vocês são livres, inteiramente, para se estabelecer no Absoluto, mas lembre-se de que o Absoluto não é um verdadeiro objetivo, é a sua natureza.
O Si pode, talvez, ser considerado como um objetivo (que foi atingido ou para atingir).
Isso foi dito em várias ocasiões: “ser-lhes-á feito, muito exatamente, segundo a sua fé”.
A fé, aqui, não é entendida em termos de crença, ou em termos do mental, mas, sim, da própria consciência.
...
Pergunta: a Onda da Vida pode afetar os animais?
Sim.
Algumas espécies animais decidiram, desde um ano, antecipadamente, deixar a Terra.
Eles não morreram, eles estão Vivos.
Eu os lembro de que a consciência que faz a experiência de morte iminente e que passa do outro lado (mesmo no astral) irá afirmar, sistematicamente, que é aqui, neste corpo, que vocês estão mortos.
Vocês estão mortos para a Verdade, vocês estão limitados, vocês estão, portanto, mortos para o Absoluto.
ANAEL - 24 de Março de 2012

Pergunta: podemos viver a Onda da Vida sem a realização do Canal Mariano?
Minha Irmã, o Canal Mariano prepara o Anúncio de MARIA.
Ele é uma ponte entre vocês e Ela.
De certa maneira, entre o Céu e a Terra.
A Onda da Vida é transcendência e esta transcendência não é uma ponte, é outra coisa.
Portanto, a Onda da Vida é totalmente indiferente ao Canal Mariano, indiferente às Vibrações das suas Coroas.
A Onda da Vida é um abrasamento de Alegria, além da Alegria.
Ela é Graça e os instala no que vocês São, além de todo Ser: A Graça.
Entre vocês, alguns tendo vivenciado poucas coisas enquanto Semeadores ou Ancoradores de Luz, descobrem a Onda da Graça.
O Canal Mariano é constituído pelo conjunto da humanidade, quer vocês tenham consciência ou não.
A Onda da Graça está além de toda Consciência, além de toda aceitação ou de toda recusa.
Naturalmente, e como MARIA o exprimiu a vocês, se vocês disserem “sim”, certamente o Casamento irá nascer.
Não pode ser de outra forma.
...
Pergunta: não mais poder diferenciar a Luz Vibral, o Manto Azul da Graça e a Onda da Vida, assinala o início do Casamento Místico?
É o Casamento Místico.
É o Reencontro.
Deste Reencontro, que lhes foi denominado (nas novas Frequências, nos novos Corpos, revelados por METATRON) o Andrógino Primordial.
Este Andrógino Primordial é o retorno à Unidade, a Fusão dos opostos e dos complementares, que dá acesso, desde que o Verbo esteja ativo (ou seja, o 11º Corpo) ao que lhes foi denominado 13º Corpo ou Fonte de Cristal ou Vajra, para os nossos amigos orientais.
O Um é o outro e o outro é o Um.
Não há mais distância, mais separação.
Naquele momento, vocês são o Êxtase.
Nenhuma distância pode existir.
Há esse lado indelével que é fundamental.
Este lado indelével, doravante, os faz sair, definitivamente, de toda ilusão.
GEMMA GALGANI - 24 de Março de 2012

Pergunta: e sobre o som da Onda da Vida?
É um som, efetivamente, também.
Vocês sabem, nos diferentes Samadhi, há diferentes sons.
O som da Onda da Vida é o som da Terra, do Céu.
São as Trombetas.
São as Trombetas e, em breve, isso será o quê?
O grito ensurdecedor da Fênix, o grito da Ressurreição: aquele que vai apreender o conjunto da humanidade.
Esses sons foram-lhes anunciados desde quase um ano.
Eles apareceram, de maneira transitória, efêmera, temporária, em alguns locais.
Se vocês se interessarem pelas notícias, vocês irão ver que esses sons estão progredindo, de maneira extremamente importante, em vocês como no exterior de vocês.
Naturalmente, a Onda da Vida foi liberada.
A Terra está liberada.
Ela está prestes a viver, neste momento mesmo, a sua Ascensão.
Então, é claro, como eu sempre disse, vocês, vocês estão na Europa Ocidental.
Vocês trabalharam intensamente para evitar todas essas etapas que os profetas tinham anunciado.
Portanto, como eu disse: regozijem-se.
Fiquem felizes.
Vocês têm toda a oportunidade e a facilidade para viver a Onda da Vida.
Vocês acham que, quando algumas dificuldades se apresentarem, se a Onda da Vida não estiver instalada (ou se ela não tiver nascido, se vocês não tiverem se aproximado), vocês acham que isso será mais simples ou mais difícil?
Eu os empenho a reler o que disse o IRMÃO K, o seu próprio testemunho sobre o acesso a este Absoluto: o indizível sofrimento.
De qualquer maneira, é mais agradável viver o Indizível Êxtase ao invés de viver, em primeiro lugar, o indizível sofrimento para descobrir o Indizível Êxtase.
É mais agradável para a personalidade.
É mais agradável para a individualidade.
Mas, para isso, é preciso aceitar nada mais fazer em meio à personalidade (pela personalidade), em meio à individualidade (pela individualidade).
Isso não significa que é preciso absolutamente nada fazer nesta vida.
Isso foi divulgado.
Em última análise, se a Onda da Vida não tiver se manifestado, isso quer dizer que vocês não estão, vocês mesmos, suficientemente alinhados com esta Onda da Vida que é, eu os lembro, nossa natureza, de todos.
Agora, foi-lhes dito ainda, desde algumas semanas (seja por UM AMIGO, seja por outros, pelo Mestre PHILIPPE): permaneçam tranquilos.
Fiquem em paz.
UM AMIGO lhes disse: “deem-se a paz”.
Todas as estratégias que vocês possam elaborar (atualmente) não são destinadas a trabalhar na Onda da Vida.
Isso é impossível.
Mas vocês podem continuar a ocupar o seu ego, a viver a Paz, a aproximar-se da Paz, a Alinhar-se, a ir para a natureza (como dizia SNOW), a caminhar no orvalho (como dizia um Arcanjo).
Vocês vivem-no, muito exatamente, no momento certo.
Lembrem-se desta frase: “os primeiros serão os últimos; os últimos serão os primeiros”.
O. M. AIVANHOV - 24 de março de 2012 - Parte 2

Pergunta: a Onda da Vida penetra em nossa personalidade ilusória (nosso ego)?

Sim, é aquela que vem trazer a morte e fazê-los ressuscitar.
Vocês são a Ressurreição.
Quando eu digo que vocês se tornam a Onda da Vida, quando vocês se tornam esta permanência, esta imanência, qual ego, qual pessoa, poderia resistir?
Vocês são levados a sua Morada de Eternidade, de Verdade e de Beleza.
Não há sequer que se colocar esta questão.
O ego não pode se apreender, de forma alguma, da Onda da Vida.
Tanto que o ego, até agora, podia viver a Luz e dela se apropriar e viver uma transformação (que vocês vivenciaram, certamente).
Mas a transformação não é uma Transcendência.
A Onda da Vida é sua natureza principal, a Realidade Final, e não se constrange com o que é limitado, com o que é efêmero, com o que é julgamento, negação, dúvida ou Ilusão.
A Onda da Vida está por toda parte, absolutamente por toda parte.
Nada pode escapar, ou se subtrair, ao que foi Liberado.
Trazendo-lhes a Liberdade e, então, a Autonomia e, então, este Desconhecido.
Liberando-os de todo conhecido e de todo limite.
Vocês são o Desconhecido e não o conhecido.
Este Desconhecido que se revela, esta seiva que sobe, subirá tanto mais quanto todo conhecido se apagar.
Não desdenhando ou pondo fim ao que quer que seja, mas, sim, como um convite a esta Vida nova, que é, desde toda Eternidade.
Não existe qualquer pessoa para restringir ou deter a Onda da Vida.
Vocês não podem deter o que vocês São, em Verdade, nem restringir o que vocês São.
Vocês apenas podem ser a Doação, total, incondicional e incondicionada.

Pergunta: utilizar ímãs no corpo físico bloqueia a Onda da Vida?
Querida Irmã, o que pode existir que possa barrar a Vida?
O que pode existir, na superfície deste mundo, que possa resistir à Onda da Vida, mesmo em sua negação, mesmo na violência a mais excepcional que o ser humano é capaz de infligir, ou de se infligir?
Mesmo isso não pode mais se manter, e nem poderá manter-se.
Vocês irão vê-lo, aqui mesmo, se isso já não ocorreu.
A única barreira a vocês mesmos são vocês mesmos, em ressonância com as suas dúvidas, com a pessoa, com o medo.
Como a Vida poderia ser algum pecado, algum julgamento, se isso não é do mental e da mente humana, em seus conhecimentos todos relativos, em suas crenças todas efêmeras?
Lembrem-se: o Absoluto não pode ser conhecido em meio ao que é conhecido.
Mas o Absoluto não exclui a pessoa, nem a personalidade, mas as engloba porque o Absoluto engloba e penetra todos os limites, todos os relativos.
Ninguém pode se opor, e nada pode se opor, à Verdade.
...
Pergunta: como as pessoas que não estão nesta abordagem irão viver a Onda da Vida, em particular, fisicamente?
Minha Irmã, a Onda da Vida não é qualquer abordagem, justamente.
A Onda da Vida jamais será uma busca, nem uma espiritualidade, qualquer que seja.
A Onda da Vida é evidência.
Como, mesmo aquele que nega a evidência, pode persistir na negação da evidência?
Isso leva apenas um tempo, isso não é senão efêmero.
Quem pode, no final, recusar o Êxtase, recusar o Absoluto?
Só o ego pode crer que isso seja possível.
Mas o próprio ego é efêmero: ele está inscrito entre um nascimento e uma morte.
Ademais, ele não existe, ele não tem qualquer persistência e qualquer consistência.
A Onda da Vida é a plenitude, a leveza e a densidade do Amor.
Ainda uma vez, absolutamente nada pode se opor à Ressurreição.
Tudo o que é efêmero deve morrer para a Eternidade, render-se a esta Eternidade, morrer ao que é efêmero, a fim de Viver.
Não há ego que resista, não há ninguém que resista, não há mundo que resista ou que possa resistir à Onda da Vida.
MA ANANDA MOYI - 31 de março de 2012

Pergunta: a subida da Onda da Vida pode provocar dores no corpo?
Sim, quaisquer que sejam os sinais, podem existir diversos sintomas.
Nós, uns e outros, tentamos não entrar nos detalhes além da própria finalidade da Onda da Vida, a saber, o Êxtase.
Obviamente, o corpo participa, ele também, em um primeiro momento, da sua própria transformação e, em seguida, da transcendência.
Isso pode dar uma diversidade de sinais presentes em todos os pontos do corpo.
O importante não é isso.
O importante não é apreender-se ou compreender a lógica, mas, sim, viver a lógica da Onda da Vida, o seu Êxtase, esta Doação da Graça, esta União Mística.
O resto vai passar.
...
Pergunta: a Onda da Vida e a Luz Vibral podem se fundir ao nível do coração?
Sim.
Assim como em cada Lâmpada (ndr: ou Chakra), assim como em cada célula (a sua como qualquer outra), não há mais separação.
A Consciência está, não somente deslocalizada, mas presente por toda parte, em cada coisa, em cada Ser, em cada mundo, indo dar na Consciência, ou seja, na não consciência que não é o nada, mas simplesmente a não experiência, a Onda da Vida, Doação da Graça, exclusivamente, na totalidade, e inteiramente.
Cabe a vocês decidir onde se localizar.
ANAEL - 31 de março de 2012

Pergunta: a Onda da Vida ajuda a apagar as memórias e os traumas?
Mas ela não tem necessidade de apagá-los.
Se você é a Onda da Vida, você não tem mais memórias.
Você não tem o que fazer das suas memórias.
Então, é claro, durante certo tempo, no Despertar do Si, nas Coras Radiantes, nós lhes dissemos que era preciso trabalhar, por exemplo, nos apegos, nos engramas que estavam aí.
Depois, foi-lhes dito para deixar trabalhar a Luz.
Para a Onda da Vida, isso é até mesmo não deixar trabalhar a Luz.
Vocês São a Onda da Vida ou vocês são as suas memórias.
A Onda da Vida não tem qualquer memória.
Ela é espontânea.
Portanto, crer e propor como você disse: “eu tenho cristalizações, eu vivenciei tais sofrimentos”, isso quer dizer o quê?
Que você ainda está identificado a si mesmo, aos seus pequenos sofrimentos, às suas pequenas alegrias, às suas pequenas dores, à sua vivência, às suas vidas passadas, porque você ainda crê nisso, porque você crê que isso tem um efeito e que isso é o que você é.
Mas você nada tem de tudo isso.
É preciso parar de acreditar em bobagens.
É preciso não mais acreditar em nada.
É-lhes preciso tudo eliminar.
Mas eliminar, não da sua vida: é preciso eliminar vocês mesmos.
É preciso parar de identificar o seu mental e as suas emoções à vida.
A Vida, não é as emoções, não é o mental, não é este corpo, mas vem transformar o corpo, o mental e as emoções.
E só aquele que vive o Êxtase realizou a Grande Obra, porque é um Liberado.
E não somente Realizado ou Desperto.
Porque aquele que está Realizado e Desperto, ele está ao nível do que denominamos o Atman, ou seja, a Unidade, o Si.
Mas ele está ainda em uma etapa intermediária, ele contempla sua própria Luz.
E indo mais longe, o próprio princípio da falsificação veio daí.
O Eixo ATRAÇÃO / VISÃO, o mito de Prometeu, a energia dita Luciferiana, que era o confinamento da Luz, que pensava que se confinando na Luz, isso ia se tornar mais belo.
Mas isso não é possível.
O que pode ser mais belo que a Onda da Vida?
O que pode ser mais belo que o que todos nós somos?
O. M. AIVANHOV - 31 de março de 2012 - PARTE 2

Pergunta: colocar sua atenção na Onda da Vida permite desenvolvê-la?
Não.
Permitia torná-la mais consciente, mas, certamente, não desenvolvê-la.
Tomar consciência de um mecanismo, qualquer que seja, em meio a este mundo e esta dualidade, é outra coisa.
Enquanto eu atraio a sua atenção para a posição do seu pé, vocês não têm consciência de onde está o seu pé.
Há, portanto, uma mudança de atenção e uma mudança de polaridade.
Colocar uma atenção ou uma consciência em uma zona deste corpo, além do que foi nomeado Estrelas ou Portas, mais precisamente, agora, na Onda da Vida, é uma primeira etapa que é chamada a ser substituída, muito depressa, por uma ausência de identificação com o observador, com a testemunha, mas para tornar-se si mesmo o que era previamente observado e também identificado.
A Onda da Vida não se importa com a sua vontade.
...
Pergunta: como saber se a Onda da Vida atingiu os dois primeiros chakras?
Pelas percepções, localmente, ao nível do que se nomeia peristaltismo do períneo, que ocorre de maneira automática.
Esta oscilação de contração-dilatação, este jorro comparável a um êxtase ou deleite sexual intenso, mas que não depende de qualquer causa, de qualquer pessoa, de qualquer coisa senão dela mesma.
Naquele momento, o Absoluto torna-se na ordem do possível.
Ele se torna sua Verdade, a única e exclusiva.
É por isso que isso ocorre de maneira mais natural nos momentos em que vocês estão deitados, nos momento em que vocês estão relaxados, nos momentos em que vocês dormem, em suas noites (de maneira preferencial, mas não unicamente).
Porque é naqueles momentos, nesta posição deitada (que é, então, o inverso da posição em pé), em suas noites (que são, então, o inverso dos seus dias), neste espaço onde não pode existir qualquer coisa senão um sonho, onde o mental não tem mais tomada, onde as emoções não têm mais tomada (porque vocês não estão mais presentes em vocês em meio ao ego), que isso pode se concretizar para vocês.
E, no entanto, isso sempre esteve aí.

Pergunta: viver experiências sensuais, no sonho, tem relação com a Onda da Vida?
Totalmente, transcendendo todos os tabus, todos os condicionamentos, toda noção de personalidade, toda noção de posse.
Que isso se refira a vocês com vocês mesmos, com qualquer projeção, com qualquer ser.
É bem por isso que o conjunto das religiões, sem qualquer exceção, o conjunto das tradições, ocultou esta noção de sensualidade.
Eu não quero dizer por aí que o ato sexual leve à Graça, mas que, inegavelmente, como eu disse, isso procede da própria natureza, da própria vida, além da vida.
Mas, para isso, é preciso que todo peso de pecado, todo peso de proibição, em relação com a morte, o nascimento e a sexualidade, tenha sido, anteriormente, totalmente transcendido, não por uma ascese, mas, bem mais, pela própria Luz Vibral, tendo invertido as energias dos dois primeiros chakras para o despertar de uma das Coroas Radiantes onde, eu os lembro, a Luz Adamantina, a Radiação do Ultravioleta e do Espírito Santo vieram transmutar, em parte, a ação das energias encarnantes do primeiro e do segundo chakras, privados da sobrevivência.
Inegavelmente, há uma relação (mais do que formal e mais do que forte) entre esses sonhos ou essas manifestações que eu qualificaria de pseudo sexuais, porque é o mesmo mistério.
O que explica, aliás, que todos os tabus e as proibições, todos os desejos, todas as perversões como todos os prazeres, giram, para a maior parte da humanidade, ao redor disso.
Mas desviados, alterados, diminuídos.
Reencontrar o andrógino primordial, reencontrar a bipolaridade, muito além dos sexos, faz parte, é claro, da concretização ou da revelação do que sempre esteve aí, ou seja, a Onda da Vida.
É o momento em que o Céu desposa a Terra e em que a Terra desposa o Céu.
...
Pergunta: a Onda da Vida designa-se a subir acima do chakra cardíaco?
Sim.
Ela se desloca por toda parte.
Nos ensinamentos, aliás, do budismo sagrado inicial, a Onda da Vida sobe sob os pés, da terra, aparece ao nível do Sahasrara ou sétimo chakra, para brotar como Vajra.
E daí, aliás, vem o nome de Vajrayana.
Da união, como isso já foi nomeado, da Prakriti e Purusha: a união dos complementares e opostos.
Mas o objetivo não é somente sair pela cabeça, não somente se instalar no Coração, mas, sim, realizar a alquimia Final conduzindo ao Absoluto, que isso seja com esta forma, sem esta forma, chamada de corpo.
Mas isso não terá, definitivamente, mais qualquer importância, já que aquele que está instalado em sua natureza, no Parabrahman, sabe que este corpo é ilusório e efêmero.
Ele não o rejeita, ele não o condena, mas ele sabe que ele vai desaparecer, sem qualquer apreensão, sem qualquer angústia, sem qualquer luto.
A Criação, como o incriado, ou como a acriação é, em última análise, um ato sagrado.
Este ato é, antes de tudo, um ato de interpenetração baixa, ao nível do humano, como sexualidade.
IRMÃO K - 31 de março de 2012

Coletânea - Onda da Vida - Parte 2 - Autres Dimensions
Coletânea - Onda da Vida - Parte 3 - Autres Dimensions

Trechos extraídos das mensagens do site http://www.autresdimensions.com
Seleção e edição: André MA
Parte 1 de 3
Colaboração de Zulma Peixinho

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário