Coletânea: ABSOLUTO (1a. Parte) - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação






Se você se instala na sua Presença, eu lhe garanto que você não verá mais nada, nem no outro, nem em você.
Você estará na Presença dessa Passagem, deste Estado de Dissolução ou do Absoluto (você o denomine como quiser).
Mas, no Absoluto, você não pode estar preocupado com qualquer aspecto limitado dissonante, no outro ou em você.
Porque isso não existe mais.
Real e concretamente.
Isso não é uma negação.
É a última fase.
É a aceitação total.
AIVANHOV: A Preparação [30/01/2012] - (Parte 2)

É o mental que coloca as questões.
É o mental que quer compreender.
Mas quando vocês vivem a experiência do Absoluto, mas não pode mais ali haver questão, nenhuma questão.
***
No Absoluto não há morte.
É a personalidade que morre, mas vocês, vocês não morrem.
Eu já lhes disse, já, há anos, não são vocês que desaparecem, é o mundo que desaparece.
***
E realizando o Absoluto, vocês riem de ver ainda o corpo que vocês têm, vocês riem de ver ainda suas emoções que restariam ou o seu próprio mental, porque vocês não são, definitivamente, mais isso.
***
Mas, naturalmente que quando vocês estão na humildade, a mais total, da personalidade, o que acontece?
Vocês se tornam o Absoluto nos outros Planos.
Mas vocês são, também, o Absoluto nesta personalidade limitada.
É por isso que CRISTO dizia: “há outros que virão depois de mim e que farão coisas ainda maiores”.
Mas o CRISTO também disse: “haverá muitos que virão em meu nome e que farão prodígios em meu nome”.
Mas a Luz, ela não tem necessidade de reivindicar, já que ela é este Absoluto.
Ela não quer fazer prodígios.
O prodígio é o Absoluto, não é o milagre exterior ou projetado neste mundo.
***
Toda Crença é um distanciamento do Si.
Toda Crença o afasta do Absoluto, ela o fortalece na limitação.
***
Não é porque você acredita no Absoluto que você vai viver o Absoluto.
É preciso se desembaraçar de tudo o que vocês creem, é a única maneira de viver.
***
Agora, enquanto você lê, enquanto você faz sua uma verdade outra que a Verdade do Absoluto (que é seu Ser, sua Essência), você está na ilusão.
É tão simples assim.
Você não pode pretender alcançar o Absoluto por qualquer leitura que seja.
Você não pode alcançar o Absoluto, mesmo me escutando durante milhares de anos.
É preciso aceitar se Abandonar à Luz.
Ora, toda vontade de compreensão é tudo, exceto o Abandono à Luz.
AÏVANHOV - 18 de fevereiro 2012

Enquanto vocês estão neste mundo, efetivamente, a Liberdade é a de saber que vocês não têm nenhuma escolha e nenhuma Liberdade. A partir do instante em que deixarem de acreditar, a partir do instante em que não se identificarem mais (sobretudo agora) com o que vocês acreditavam ser, instantaneamente realizam o Absoluto.
***
Quando tiverem feito desaparecer tudo aquilo que vocês creem ser, quando não restar mais nada de todas as vossas crenças, nesse momento, vocês viverão o Absoluto. Nunca antes.
IRMÃO K - 18 de Fevereiro de 2012

Eu sou o Arcanjo que cura de todo limitado, que cura do não Absoluto.
RAFAEL - O Limitado Não Pode Pretender o Ilimitado - (03/03/2012)

Pergunta: poderia desenvolver sobre o que é o Incriado?
Bem amada, o Incriado é o que antecede toda Criação e o que segue toda Criação.
Segundo um tempo específico (por vezes além mesmo da sua noção de tempo) revela-se, no espaço (que, de fato, não é um espaço porque pertencente ao seu Ser Interior, em meio ao Absoluto), o Absoluto.
Em meio à alma, este Absoluto é o nada.
Em meio à pessoa, este Absoluto é a negação, o medo, o terror.
Porque, para aquele que está limitado, o Ilimitado evoca a perda e isso é, efetivamente, uma perda, absoluta e total, de toda ilusão, de toda crença, de toda identificação (neste mundo, como neste corpo, como nesta consciência).
Porque vocês são, de maneira eterna, o que tem mesmo precedido a Consciência.
Vocês são a Consciência além de todo consciente e que, no entanto, não está inconsciente, mas não tem, contudo, mais consciência deste corpo que vocês são, deste ego, desta alma e deste Espírito.
A Onda do Êxtase (ou Onda da Vida), procedente do núcleo da Terra, muito além do seu firmamento e do seu céu, é a Onda final que os leva a viver o Absoluto.
O Absoluto não é nem criado, nem incriado.
Ele está aí, desde toda Eternidade, transcendendo as Dimensões.
Ele é a FONTE, a FONTE que vocês são.
Esta FONTE, que é a sua natureza, a sua Essência, além de todo Criado, além de toda Criação.
Ele é, portanto, por essência e por natureza, Incriado e Criado, além de todo tempo, de todo espaço e de toda Verdade.
A Onda da Vida, chamada a percorrê-los muito além desse corpo, é o Verbo. O Verbo do êxtase e da íntase, levando-os, além do Ser, neste Absoluto.
Naturalmente, a alma e a pessoa, e mesmo o Espírito, que vocês creem ser, vão se rebelar no sentido mesmo do Absoluto, porque a Dissolução (que segue a Comunhão e a Fusão), porque a Deslocalização (para aqueles que a vivenciaram, mesmo durante suas elevações em meio ao Sol, durante suas noites ou em seus dias), são apenas o indizível limite permitindo-lhes aceder ao que vocês São: a FONTE que é espelhada e refletida ao Infinito.
Hoje, esse jogo terminou.
O Incriado não é, portanto, um conceito.
Não há representação, não há possibilidade de imaginação, não há coisa a ver.
Há apenas que se apreender da Onda do Êxtase vindo apreender-se de vocês, a fim de desatrelá-los de toda ilusão.
Isso é a Vida, o fluxo da Vida, além da Vida neste mundo, além de todo conceito mesmo do Amor.
Visto que isso é o que Realiza e é o Mundo, os Mundos, que começam, potencialmente, incriados ou descriados.
Dito de outra forma, nada mais há senão vocês.
Mas, não vocês neste limite, mas vocês na totalidade e no Absoluto.
A Onda da Vida (possibilitada pela ação do Manto da Graça) tendo transfigurado, em vocês, as últimas Portas laterais situadas sobre esse corpo, permitiu esta Realização e, portanto, a Liberação, além da Lemniscata Sagrada (inscrita entre o Ponto OD do seu peito e o Ponto ER da sua cabeça), levando-os a estabelecer-se em meio ao que os Anciãos nomearam: Kundalini.
O que chega é o Despertar da Kundalini, muito além da imagem da Kundalini, já que o que é revelado é o próprio sentido da Onda da Vida percorrendo o Canal do Éter.
Isso não pode ser expresso.
Isso não pode ser percebido.
Isso não pode ser conhecido, porque isso é a sua própria natureza.
Nada mais há a observar.
Nada mais há a contemplar.
Nada mais há a ser.
Apenas tornar-se a Onda que percorre os Mundos, as Dimensões.
Na verdade, nós, Arcanjos, como nós lhes dissemos, estamos em vocês desde toda a Eternidade porque o conjunto da Criação está em vocês.
Esse corpo efêmero abriga o conjunto dos possíveis.
Esse possível, final, não tem o que fazer do próprio sentido da identidade da sua Presença, em meio a este mundo como em meio ao Estado de Ser.
O ego, o eu, vão apreender-se do que eu digo para fazê-los crer que, para viver a Onda da Vida, é-lhes preciso deixar tal coisa ou tal coisa.
Nada há a deixar, mesmo este mundo.
O que é para deixar é vocês mesmos.
E, deixar vocês mesmos, não significa renunciar ou rejeitar todos os aspectos efêmeros da sua vida, mas, sim, conduzi-los ao seu término, na sua responsabilidade que é a sua neste momento (qualquer que seja a sua idade, qualquer que seja o seu papel, quaisquer que sejam suas funções), mas estando estabelecidos, além desta consciência, na Onda da Vida que é a Onda do Êxtase, transverberação, penetração do Absoluto, aonde o CRISTO vem dizer-lhes: “você quer esposar-me?”.
O Casamento Místico pondo fim ao limitado (mesmo se esse limitado prosseguir neste mundo), fazendo cessar todo eu, toda identificação ao que quer que seja.
Depois do Abandono à Luz vem o Abandono do si e do Si.
As palavras que eu emprego podem ser desconcertantes.
E elas o são e o serão sempre para o ego e mesmo para o Si, e mesmo em meio ao Estado de Ser.
Nada há a fazer.
Nada há a empreender.
Há apenas que deixar a Onda da Vida, o Êxtase do Éter, trabalhar.
Então, o Verbo irá conduzi-los a este Êxtase, muito além de tudo o que pode ser imaginado, conhecido ou percebido.
A alma vai ‘torcer o nariz’ [atitude de má vontade].
Porque ela sabe do seu fim, porque ela sabe da sua ilusão, porque ela sabe do seu efêmero enquanto vetor do Espírito.
E mesmo o Espírito não pode conceber a Onda do Éter.
Vocês são o Absoluto.
Vocês são, portanto, a Graça, além de todo sentido, além de toda explicação, além de todo reconhecimento.
As etapas (porque isso foi) que foram pacientemente construídas, durante este período de três anos, em seu Templo, apenas foram destinadas, em última análise, a revelar o que está no Templo.
E o que está no Templo não é nem o eu do ego, nem o Si da Luz, mas, sim, a própria essência da Graça, do Êxtase, do Infinito, do Absoluto.
ANAEL - A Consciência é Absoluta, além da Consciência [03/03/2012] - (2a. Parte)

Hoje, a Onda da Vida e o fim do Conclave Arcangélico levam-nos, se tal for a sua Vibração, a superar e a transcender todo conhecimento.
Porque o conhecimento, desse lado onde vocês estão, é apenas ignorância para aquele que É na Eternidade.
O conhecimento, no sentido mesmo espiritual, afasta-os do Absoluto.
***
O conhecimento apenas reflete a falta do Absoluto, que vocês ignoram.
***
A partir do momento em que cessa o conhecimento, vocês apreendem-se, no Absoluto, de que vocês são o Conhecimento e de que vocês não podem ter qualquer conhecimento.
O verdadeiro Conhecimento é a ignorância do seu próprio estado, do seu próprio saber, do seu próprio campo de percepções e de Consciência.
O conhecimento é resistência porque ele os afasta, por diversos mecanismos (sejam visuais, sensoriais, extrassensoriais, mesmo em meio à Visão do Coração), para ser outra coisa que o Absoluto.
JOFIEL - Viver a Permanência do Ilimitado - (03/03/2012)

E a alma irá mentir, permanentemente, dizendo-lhes que há uma evolução, que há uma perfeição a obter.
O Absoluto é perfeito, desde toda Eternidade.
Por que o Absoluto teria necessidade de qualquer imperfeição para ele próprio descobrir-se?
***
O Absoluto é perfeito desde toda Eternidade.
Nada há a conquistar.
Nada há a subir.
Nada há a descer.
Nada há a desejar ser, porque o Absoluto está além do Ser, muito além dos jogos de impulsos da alma e do Espírito.
MA ANANDA MOYI - A Onda da Vida é uma rendição total do amor ao Amor (10/03/2012)

Pergunta: existe apenas um único Absoluto?
Bem amado, aquele que pergunta é apenas a personalidade que se coloca a questão para saber quantos Absolutos existem.
Há apenas um Absoluto e um somente.
E aí aparece o temor da personalidade, o desespero, até mesmo, da personalidade, que é obrigada a se apagar diante da Unidade.
***
Pergunta: como correlacionar o Absoluto e a vida neste mundo?
Bem amado, como você vai se aperceber (se isso já não ocorreu), isso é estritamente impossível.
Naturalmente, até um certo estágio do Apelo da Luz (consistindo, simplesmente, na Transfiguração, no Acordar, no Despertar), havia compatibilidade entre o mundo do Ilusório e o mundo do Absoluto.
Isso irá se tornar cada vez mais uma forma de desafio para manter qualquer Ilusório em meio ao Absoluto.
Aí também, quem tem medo?
Quem quer, a todo custo, manter o Absoluto e o efêmero no mesmo espaço, no mesmo tempo, na mesma Consciência, se não o ego?
Será que o Absoluto se interessa por outra coisa que o Absoluto?
Será que o Amor se interessa por outra coisa que o Amor?
Será que a Luz se interessa por outra coisa que a Luz?
Obviamente, o ego vai, sempre, argumentar que há ainda que se manter, que há uma atividade a realizar (como sentido de responsabilidade). Mas, lembrem-se, também, de que lhes foi dito que o que vocês atravessam, nesse momento, os coloca, muito exatamente, na idade correta, no lugar correto, no estado correto, para viver o que é para vocês viverem.
Aquele que está Livre, hoje, para viver isso, devia estar livre para vivê-lo.
Aquele que está ocupado com mil tarefas devia estar ocupado com essas mil tarefas para poder vivê-lo.
Enfim, do mesmo modo que vocês podiam passar vidas inteiras rezando (sem realizar o menor Si porque esta prece era apenas uma projeção), do mesmo modo que há seres que vivenciaram (de maneira espontânea) o Si (sem nada pedir a ninguém), o que chega, em meio a esta linearidade do tempo, é perfeitamente justo.
O que chega, neste tempo particular para cada um de vocês, neste Encontro com o Absoluto e com a Ascensão da Terra é, muito exatamente, o que era justo para vocês.
Se, sequer, vocês vivem o êxtase, a transverberação, ou uma das Coroas, então significa que isso é totalmente justo para vocês.
Nessas condições, quem poderia tornar-se, se não o ego, isso que é limitado?
A partir do momento em que vocês se apreendem disso, vocês apreendem-se, também, de porque alguns grandes Liberados desta Terra disseram e repetiram que o que eles faziam, eles o faziam porque eles eram os menores dentre vocês.
Eles nada faziam para eles mesmos, porque eles nada eram.
Enquanto vocês querem ser alguma coisa (mesmo a Luz que vocês portam, mesmo o conhecimento que vocês adquiriram), vocês não estão prontos para viver o Absoluto.
É-lhes preciso tudo deixar, Abandonar o Si e não mais, somente, Abandonar-se à Luz, Abandonar-se ao nada.
Então, pelo efeito do Manto Azul da Graça, a Onda de Vida irá colocá-los, instantaneamente, na Verdade do seu Ser, além de toda Presença.
***
Pergunta: existe uma ligação entre o Absoluto e a Absolvição?
Bem amado, sim.
No sentido de uma paródia.
Nenhum ser humano pode lhe dar a Absolvição, mesmo investido da maior das Graças.
Do mesmo modo que não existe qualquer pecado (nem mortal, nem outro).
Há apenas na concepção dos cérebros humanos (diga-se religioso) que pode existir esse tipo de aberração: de bem, de mal, de Luz, de Sombra, de separação (qualquer que seja).
Poderíamos resumir isso de outra forma: jamais creiam no que lhes diz o seu corpo.
Jamais creiam no que lhes dizem os seus pensamentos.
Não creiam em nada.
Absolutamente em nada.
O Absoluto não pode se descobrir por uma compreensão, nem mesmo por uma definição (qualquer que seja).
É, unicamente, quando vocês tiverem eliminado tudo o que é efêmero.
Então, é claro: sua própria Presença enquanto identidade, enquanto corpo, enquanto pensamento ou enquanto conceito, até mesmo, de se reencarnar.
É quando vocês eliminarem o próprio princípio da alma, o próprio princípio de uma evolução.
Quando vocês tiverem rejeitado tudo isso que é efêmero, restará apenas a Verdade.
ANAEL - 10 de Março de 2012

Então, é claro, este Abandono Final à Luz (que é a Doação do Si) não significa Abandonar tudo o que é exterior, é Abandonar-se, si mesmo, a este Tudo, a este Absoluto.
O que significa o fato de que alguns ainda não o vivam?
Eu falo, é claro, dos Despertos.
Para vocês é muito simples: há, em vocês, um medo incomensurável.
Qual é este medo?
É o medo da carne, ou seja, o medo da perda da carne.
Se vocês têm vertigens, se vocês têm medo do vazio, o que isso é mais senão o medo de se perder si mesmo?
Mas a Eternidade não pode se perder.
É o Eu que os faz acreditar nisso.
É isso, agora, que é para viver.
***
Pergunta: poderia explicar a Crucificação?
A Crucificação é o quê?
É muito exatamente o que eu acabo de desenvolver.
É o momento em que você diz, como o CRISTO: “Pai, eu entrego o meu Espírito entre as tuas mãos”. Porque, naquele momento, você tem consciência de que mesmo a constituição denominada corpo-alma-espírito é, também, uma grande farsa (como dizem alguns).
Isso não existe.
São dos Planos intermediários.
Isso significa que a Crucificação quer dizer o quê?
É aceitar ser Crucificado.
Quem é Crucificado?
O ilusório, o efêmero.
Então, é claro, o efêmero e o ilusório acreditam que a Crucificação seja terrível.
Isso dilacera a carne.
Naturalmente.
Mas, sobretudo, isso é feito para romper o pericárdio.
Viver o Manto Azul da Graça, a Doação da Graça, apenas pode ocorrer se você aceita ser revestido da sua Eternidade, ou seja, da sua natureza e da sua Essência.
Do ponto de vista do ego, isso sempre irá se chamar a morte, a Crucificação e a Dissolução.
Porque, para ele, é muito exatamente isso.
Eu disse uma vez (eu o repito para vocês): a lagarta ignora totalmente a borboleta.
Crer que a lagarta vai se ver enxertada de asas, isso, é uma Crença da lagarta, não é?
O ego participa sempre neste mundo por projeções.
E mesmo a busca espiritual é uma projeção.
Porque, no Absoluto, quando a sua Consciência se coloca neste Absoluto (que é a natureza Essencial de cada um aqui, e de cada um por todo o mundo e em todos os mundos), naquele momento, o que há?
Há Crucificação.
Isso significa que é a perda de todas as ilusões: de crer-se Luminoso, de crer-se realizado, de crer-se Desperto, de crer-se melhor, de crer-se no Caminho, não é?
Mas isso foram etapas de construção.
MIGUEL veio (através do Conclave e da sua ação) fazer a desconstrução deste mundo.
Vocês irão me responder: “mas este mundo, ele ainda está aí”.
Sim, mas a Consciência modificou consideravelmente o seu ponto de vista.
Vocês sabem que existe um efeito de alavanca, ou seja, basta ter uma massa crítica de consciências que descubra a Verdade.
Para quê?
Para que a Verdade seja atualizada.
É a mesma coisa para tudo.
Desde que haja um limiar de basculamento, em vocês, como em nível coletivo, então a Terra pode decidir.
E a Terra decidiu.
O Manto Azul da Graça, a Doação da Graça, a Onda da Vida, a Onda do Éter, é a sua Crucificação, mas, sobretudo, é a sua Ressurreição, que faz de vocês, não paródias de Seres Despertos, mas Seres realmente Liberados.
Vocês não têm mais, naquele momento, qualquer ilusão sobre a ilusão.
Não há mais qualquer questão sobre as ilusões, porque vocês as identificaram enquanto ilusões, que isso seja este corpo que vocês habitam.
Nós insistimos, e nós sempre dissemos, que este corpo é um Templo.
Sim, mas um Templo em si mesmo, isso nada é, isso é uma construção.
É o que está no Templo que é importante.
E, aliás, o corpo é um ressonador: eu me servi disso durante a minha vida (meu Mestre, Bença Deunov, serviu-se também).
Muitos seres encontraram, em alguma parte, este Despertar, esta Liberação, nós desenvolvemos técnicas, não é?
Isso é lógico.
Porque é preciso desviar a atenção do ego para outra coisa.
E o ego, como ele gosta muito de possuir, ele vai se apropriar da Luz que ele vai viver.
Então, como saber, agora, se vocês se Abandonaram vocês mesmos (que vocês tenham tido as Coroas Radiantes, que vocês tenham trabalhado em meio ao Ancoramento da Luz, enquanto Sementes de Estrelas)?
Hoje, isso é, verdadeiramente, uma etapa que eu qualificaria, é claro, de última, de Última e de Revelação Final.
Mas ela apenas pode depender, estritamente, do seu posicionamento.
Isso quer dizer, será que a sua alma está, de algum modo, retraída (sem que vocês o saibam), por um medo?
Porque, o que retrai, é o medo.
E o Absoluto dá medo.
Porque, para o ego, o Absoluto é a Dissolução do que ele é, da sua pequena pessoa, da sua pequena luz, de tudo o que ele construiu, em meio à Luz. Mas lembrem-se de que vocês são Livres, totalmente, para experimentar o que vocês quiserem.
Se vocês quiserem ser limitados, permaneçam limitados.
Se vocês quiserem permanecer na autossatisfação do seu próprio Despertar, permaneçam ali.
Vocês são totalmente Livres.
Mas nosso dever é dar-lhes o que é a finalidade.
Mesmo se, efetivamente, nós lhes dissemos que a humanidade inteira será liberada pelo Encontro com a Luz, ou seja, com o que vocês São, não com o que vocês construíram. Mas vocês são livres, naquele momento, para estabelecerem-se onde vocês quiserem, já que vocês estão Liberados.
Portanto, não fiquem obcecados.
Se vocês não vivem a Onda do Éter, isso significa que vocês permanecem confinados, mesmo estando Livres.
Vocês terão consciência desta Liberdade, mas vocês permanecerão, pelos seus próprios mecanismos, como dizer, de regulação (além do Eu e além do Absoluto), no que vocês São: este Absoluto que recusa Ele próprio.
Vocês permanecerão na forma que vocês terão criado.
Mas tudo está bem, não?
É o que vocês desejam.
Porque vocês não podem pretender viver e Ser a Luz (o que não significa viver, somente, a Luz).
Ser a Luz é já ter vivenciado os Quatro Pilares do Coração.
É já ter vivenciado esta Onda da Vida.
É ter aceitado o Manto Azul da Graça e ter sentido esses estremecimentos, esses jatos do Êxtase, esse enlevo que os tiram de toda limitação. Então, é claro, até o momento Final, agora, coletivo, desta Terra (que ninguém conhece a data, eu os lembro), o que vai acontecer?
Se vocês aceitam (e eu falo aí aos Despertos, ou seja, àqueles que já vivenciaram a Coroa Radiante da cabeça ou a Coroa Radiante do Coração ou as três Coroas), se vocês vivem a Onda da Vida, isso significa que em vocês não existe mais qualquer medo.
E isso se traduz por algumas capacidades, novas, da Consciência, mas, também, por este Absoluto que vocês se tornaram.
Eu deixarei as Estrelas falarem sobre isso porque Elas o farão muito melhor do que eu.
Se vocês não o vivem, a cada dia vai ocorrer em vocês, o quê?
Uma interrogação e uma resistência cada vez mais fortes.
Porque o ego que vivenciou a Luz, que vivenciou o Despertar, vai a todo custo querer manter uma posição, com todos os pretextos possíveis, é claro, dizendo: “será preciso ter bom senso, nós ainda estamos encarnados, nós estamos sobre a Terra, nós não estamos no Céu”.
Isso prova, simplesmente, que aqueles que pronunciam essas frases, eles têm o quê?
Eles têm um medo terrível.
Medo deles mesmos, medo do que eles são, no Absoluto.
Portanto, eles mantêm uma limitação, por eles próprios.
E aí, vocês apenas podem (aqueles que vivem esta Onda), simplesmente, testemunhar o que acontece, mas vocês não irão orientá-los para isso.
Por quê?
Porque eles estão enrijecidos, cristalizados, na autossatisfação do ego que desejou a Luz, que se apropriou da Luz, e que vê a Luz, e que sente o chakra do Coração, que sente a Coroa da cabeça, que sente a Kundalini, mas que não sente a Onda da Vida.
Porque há um enrijecimento que está operando em meio a essas pessoas.
Então, é preciso não julgar.
Vocês não podem ajudá-los.
Vocês não podem condená-los.
Vocês não podem julgá-los.
Vocês apenas podem Ser o que vocês São.
Ver a ilusão, na qual eles estão.
Vocês não podem falar, porque, é claro, se vocês dizem isso a alguém que não vive a Onda da Vida, ele vai olhá-los para o que vocês são para ele, ou seja, um louco, um provocador.
Bem, sim, mas eles nada entenderam, os coitados.
Isso, são aqueles que se apropriaram da Luz e que se contemplam, eles mesmos, em sua própria Luz.
Lembrem-se do que dizia CRISTO.
Ele dizia que no fim dos Tempos, seria muito mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha, do que um rico.
E que o Reino dos Céus estava aberto às crianças, que era preciso tornar-se como uma criança.
Aquele que viu a Luz, e que se construiu segundo o que nós lhes dissemos, atuou, talvez, bastante bem no jogo da Luz. E, então, ele se espelha em uma projeção que não é mais ele mesmo, mas que é, ainda, uma projeção, que é a projeção da Luz.
Ora, não há nada a projetar na Luz, porque é o que vocês São.
A Luz é considerada como exterior.
É uma etapa, muitas vezes, indispensável, principalmente no Ocidente.
Por outro lado, também foi dito que “os últimos serão os primeiros”.
Isso quer dizer que aqueles que não vivenciaram as Coroas Radiantes, os Apelos da Luz, os Alinhamentos, as meditações, todos os trabalhos que nós lhes demos, o Yoga da Unidade, etc., etc., paradoxalmente, aqueles são mais capazes de se tornar como crianças, ou seja, Abandonar-se à Onda da Vida que eles são realmente.
Isso é um mistério, para vocês, desse ponto de vista.
Mas tudo isso se esclarece no momento em que vocês passarem, em nível de consciência, além da Consciência, de qualquer limite, de qualquer forma, ou seja, quando vocês tocam e vivem, realmente, o Absoluto.
Não antes.
Antes, apenas podem existir questões, interrogações e dúvidas.
O problema é que esses seres projetam suas dúvidas naqueles que vivem isso.
Isso é magnífico, não?
O ego não quer ver o ego, como de costume.
Mas o ego, ele existe desde que ele tomou forma.
Porque a Essência de um Eu, de uma identidade, de uma pessoa, está ligada a uma forma, especialmente esta forma da carne, que não é permeável. Então, quando a sua carne se torna permeável, vocês não precisam mais estar sozinhos em algum lugar.
Porque vocês não estão, jamais, sozinhos.
Vocês estão com todos aqueles que atravessaram esta etapa da Onda da Vida, em Comunhão total, aqui, neste Plano, como em todos os outros Planos.
Aliás, quando nós lhes dissemos que vocês estavam deslocalizados (alguns o vivenciaram desde o início do ano), agora vocês não estão mais deslocalizados, vocês estão multilocalizados, como irão lhes falar algumas Irmãs, algumas Estrelas, por exemplo, sobre a bilocação que é uma Verdade.
Mas isso, o ego não pode compreendê-lo, já que ele está limitado por sua própria forma, por seu próprio confinamento, mesmo na Luz.
AIVANHOV - 10 de março de 2012

Apreendam-se, também, de que vocês não podem trapacear, nem com vocês, nem com o outro: ou seja, aquele que afirma estar na Alegria e que não o está, acabará por chorar, que aquele que vive realmente o Absoluto, permanecerá o Absoluto.
***
O ego sempre irá mentir ao Absoluto, porque, como foi dito, o Absoluto, para ele, representa o medo o mais terrível.
Conforme foi dito, hoje, o ego apenas pode renegar o Absoluto.
Enquanto vocês continuam acreditando que são vocês que trabalham, que são vocês que transformam, nada acontece.
O ego pode ir até um certo estágio da Luz, isso se denomina, aliás, o Si, o Acordar ou o Despertar.
Mas o Acordar ou o Despertar não são a Realização, e ainda menos a Liberação, mesmo o conjunto da Terra estando Liberado.
Estar Liberado é tomar consciência da Liberação e do Absoluto.
Isso é um fato adquirido para o conjunto da humanidade.
Mas o que vai restar uma vez que isso for vivido?
Restará um ego, um Si, ou restará apenas o Absoluto?
Eu resumiria isso de outra forma.
A pessoa que vocês são jamais poderá viver a Liberação.
A outra novidade é que vocês estão Liberados, desde toda Eternidade. Isso é um paradoxo magistral para o ego, mas é a evidência para o Absoluto.
É normal que o ego fique com raiva, que se irrite sozinho diante deste tipo de frase: esse é o objetivo.
Vocês estão com raiva?
Vocês são esta pessoa inscrita entre um nascimento e uma morte?
O estratagema mais maravilhoso disso que é nomeado ego (sem qualquer noção pejorativa ou maliciosa) é justamente fazê-los crer que ele é eterno, que ele é todo poderoso e que existe apenas ele.
Mas o ego, a pessoa, jamais conhecerá o Absoluto.
A boa notícia é que vocês não são o ego, que vocês são o Absoluto.
E ser o Absoluto não os impede, absolutamente, de percorrer este mundo.
Simplesmente, a maneira que vocês o percorrem nada mais tem a ver.
Como dizia, eu creio, no início da tarde, um dos Anciãos: há um antes e um depois.
Enquanto vocês não têm consciência de um antes e de um depois, vocês permanecem no ego.
Do mesmo modo que uma experiência mística, seja o Despertar do Si ou a experiência de morte iminente, leva inexoravelmente a conceber (porque essa é a verdade) que há um antes e um depois.
Enquanto vocês tiverem o sentimento de uma continuidade, não pode ali existir o Absoluto.
A Passagem é isso.
Apenas vocês sozinhos que podem realizar essa Passagem, mas isso não é absolutamente um fazer, é justamente, exatamente, o inverso.
É o ego que crê ao contrário: que ele pode fazer aí onde ele nada tem que fazer.
PHILIPPE DE LYON - Nada Mais Há a Fazer (17/03/2012)

Se vocês são alguma coisa, aqui, vocês nada podem ser no Absoluto.
***
O ego ri do Absoluto (com muito ódio, aliás, hein?).
O Absoluto ri do ego, com Amor, total.
Porque o Absoluto não rejeita o ego.
Essa é toda a diferença.
***
Pergunta: achar uma paisagem linda, passeando, é um julgamento?
Não.
Como vocês veem a paisagem?
Vocês a veem com os olhos?
Vocês a veem com o Coração?
Ou vocês a veem no Absoluto?
O IRMÃO K irá falar-lhes, muito melhor do que eu, sobre isso.
Quando eu olhava o Sol, na meditação, pela amanhã, será que eu via o Sol tal como vocês o veem quando vocês olham para ele?
O ser humano tende a considerar que o ato de ver é sempre o mesmo.
Há julgamento, não no fato de ver a beleza, mas será que isso é suficiente para viver o Si?
Será que isso é suficiente para estar estabelecido no Absoluto?
Não, é impossível.
Porque, quando vocês vivem o Absoluto, não há mais projeção.
Houve o Casamento Místico.
Portanto, quando vocês veem uma paisagem, vocês são a paisagem.
Mas isso não é uma visão da mente.
É a estrita Verdade.
Então, é outra coisa olhar uma paisagem e achá-la bonita, do que viver a paisagem.
Lembrem-se: nas etapas anteriores ao Absoluto, havia a Comunhão, a Fusão, no início deste ano, a Deslocalização.
Enquanto vocês consideram (que isso seja pelos sentidos e mesmo pelo Coração) que tudo o que vocês podem contemplar (pelos olhos ou por outra coisa) é exterior, vocês estão (por definição e por condição) em uma projeção.
O Amor que vocês dão aos seus filhos, ao seu marido, à sua mulher, é uma projeção que apenas faz traduzir o quê?
O medo da Unidade, o medo da falta, mesmo no amor, como dizer, o mais perfeito, o mais romântico e o mais justo.
Durante a minha vida, perguntavam porque eu não tinha mulher.
Mas eu dizia: “eu não vou me casar com uma mulher já que eu me casei com todas as mulheres”.
Por que me limitar a uma pessoa?
Vocês veem a diferença?
Quando vocês estão no Amor, não há preferência, não há amigo, não há inimigo.
Não há paisagem, tampouco, porque vocês são isso.
Quando nós lhes dizemos que este mundo é uma ilusão, isso não quer dizer que é preciso negá-lo.
Obviamente, o ego vai aproveitar para dizer: “mas é a antivida negar a vida”.
Nós jamais lhes pedimos para negar o que quer que seja, mas para transcender.
Não é a mesma coisa.
O ego, é claro, vai se apropriar disso dizendo: “não, é preciso rejeitar isso, é preciso rejeitar aquilo”.
Não.
Porque, quando a Luz penetra e fecunda vocês, ela age por ela mesma.
Vejam, por exemplo, a alguns anos, ANAEL sugeriu que, para viver mais facilmente a Luz, era preciso ingerir líquido ou era preciso não comer certas coisas.
Há quem se apressou nisso.
Mas foi o ego que se apressou.
Hoje, o que acontece?
Aqueles que começam a viver as primícias da Onda da Graça, da Onda da Vida, não têm mais fome.
Eles se apercebem de que não podem mais comer depois de tal horário ou, alguns, mais nada.
Nesses casos, o que vocês fazem?
Vocês decidiram não comer mais?
Não.
Foi a Vida que decidiu por vocês, a Graça que vocês se tornaram.
Porque, agora, a Luz transforma muitas coisas no seu cérebro, durante a descida da Shakti ou das Partículas Adamantinas. Mas, neste Absoluto, é uma transformação radical.
Vocês não estão mais localizados em um corpo.
Vocês não estão mais confinados em um corpo.
Vocês não estão mais confinados em uma emoção.
Vocês não estão mais confinados em uma história.
Vocês não estão mais confinados em um mental.
Vocês não estão mais confinados em um corpo causal.
Logicamente, o ego vai dizer: “não é verdade”.
Mas isso, ele pode dizê-lo o quanto quiser, não é grave.
Aquele que o vive, vive-o.
Aquele que o é, é.
E ele o é, realmente.
Nenhum ego tem interesse em declarar que ele é Absoluto.
Porque, se ele declarar isso, sem o ser, o que vai acontecer?
Será muito ruim para o ego.
Já que o ego é absolutamente o oposto e a antítese do Absoluto.
O ego apenas existe porque há projeção: na paisagem, no outro, naquele que vocês amam, no filho que vocês concebem ou que vocês possuem.
É óbvio que isso é apaixonante.
É óbvio que, aí também, há a vida.
Nós jamais dissemos o contrário, jamais.
Aqueles que compreenderam isso, eles compreenderam errado.
O Absoluto não é a negação.
Ele é a aceitação da ilusão, enquanto refutando-a: não é isso, não é isso, não é isso, não é isso.
E, naquele momento, a um dado momento, a Onda da Graça vai chegar.
O que é a Onda da Graça?
É aquela que vai pôr fim à questão, às questões, às dúvidas, aos medos.
Não os seus, pessoais, não os seus apegos coletivos, tampouco, sequer os últimos apegos coletivos, mas o Medo com um M maiúsculo.
O Medo Final: aquele da morte.
Quem morre senão quem deve morrer?
Vocês não são o que vocês acreditam ser.
Então, é claro, o ego vai dizer: “não é possível”.
Ele sempre irá dizê-lo.
Mas nunca nós dissemos para descartar o ego.
Nós lhes dissemos: “esqueçam as Sombras”.
Vocês não são a Sombra.
Vocês não são o que vocês veem.
Vocês não são o que vocês criam, mesmo sobre esta Terra (filho ou obra de arte).
Vocês nada são de tudo isso.
Será que isso quer dizer que é preciso rejeitar a pintura?
Será que é preciso rejeitar a música?
Será que é preciso rejeitar a internet?
Nós lhes dissemos que a internet os conduzia a Vibrações pesadas, mas, quando vocês vivem o Absoluto, vocês riem de tudo isso.
Porque é o ego que os conduz, não o Absoluto.
***
Como este Absoluto poderia evoluir de uma maneira qualquer, já que ele é a Eternidade?
AÏVANHOV - “Ocupem-se com o Seu Traseiro” [17/03/2012] - (2a. Parte)

Veja também:
Coletânea: ABSOLUTO (2a. Parte)
Coletânea: ABSOLUTO (3a. Parte)
*****************

Trechos extraídos das mensagens do site:
http://www.autresdimensions.com
Seleção e edição: Beth Rodrigues
Tabulação e edição: Beto Junior - www.despertardaluzinterior.blogspot.com
André MA - www.mestresascensos.com

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário