IRMÃO K - 1º de julho de 2012 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação




- Ensinamentos de Jiddu Krishnamurti - 

ÁUDIO mp3 ORIGINAL:


~ A RETIRADA DOS ÚLTIMOS VÉUS E O ESTADO DE PAZ ~
Eu sou IRMÃO K.
Irmãos e Irmãs na Humanidade, que o Amor se estabeleça em meio aos elementos que eu tenho para dar a vocês.
Eu vou tentar, através da minha intervenção, mostrar-lhes a situação que é a de vocês, sobre este mundo, durante este período.
Eu vou falar-lhes dos últimos Véus, presentes em meio à sua Consciência e em meio a este mundo, que vão ser levantados e que vão propiciar-lhes viver uma série de elementos.
Os Véus de que vou lhes falar referem-se tanto ao que foi escondido de vocês, neste mundo, como ao que lhes foi escondido em relação à sua própria Consciência, ao que vocês São, além do que vocês vivem, do que vocês creem ser, nas atividades da sua vida.

***


Este mundo, como eu dizia durante a minha última encarnação, está doente, extremamente doente.
Eu especifico, inicialmente, que não é a vida que está doente, mas a condução dos assuntos deste mundo por aqueles que se colocaram (e que vocês talvez colocaram) no topo da escala de valores sociais e que orientam, de algum modo, à sua maneira, o destino da humanidade, em detrimento das leis da Consciência.
Porque essas consciências estão, elas próprias, recobertas pelos Véus da personalidade, que vocês sabem que o que os dirigem são, antes de tudo, o medo, a apropriação e a predação.
Estes Véus, conforme lhes foi dito, há algumas semanas, por MARIA, estão prestes a se dissolver e vão levá-los, de alguma forma, a ver, de maneira direta, crua e por vezes cruel, quais foram os objetivos desses Irmãos e dessas Irmãs que se deixaram cegar pelos princípios da predação, da apropriação e pela falta de respeito à vida e à humanidade.
Estes Véus são apenas um dos lados do que encobre a sua Consciência.
Existe, é claro, em meio à humanidade, uma série (como vocês sabem disso) de corpos e de envelopes.
Cada corpo e cada envelope é portador de princípios específicos que lhes permitem interagir neste mundo.
Eu não vou me lançar na constituição desses envelopes ou corpos, mas cada um desses corpos é guiado por princípios.
Esses princípios os conectam, vocês podem imaginar, àqueles dos seus Irmãos e das suas irmãs que estão no topo da apropriação, no topo da falsificação e do confinamento da humanidade e que são presumidos de guiá-los, de assisti-los e cujo resultado é estritamente contrário ao que vocês pensam e ao que vocês têm acreditado.
 A Consciência humana limitada está voltada para ela mesma, eu diria, na satisfação das necessidades primordiais, na satisfação do que é necessário para realizar a vida neste mundo.
São, de algum modo, apenas a amplificação e a multiplicação do que existe em cada ser humano.
Vocês são responsáveis?
Vocês são culpados?
Vocês estão conscientes ou inconscientes?
Eu vou lhes dizer imediatamente que isso não deve desestabilizá-los e nem deve, tampouco, fazê-los entrar em uma mecânica e em uma lógica de reação, ao que se descobre e ao que será descoberto.
Muito pelo contrário, além mesmo da noção de ignorância que era a de vocês, até agora, e da noção de revelação que emerge, é preciso irem, obviamente, muito mais adiante para penetrarem, real e verdadeiramente, no que eu vou chamar de consciência de perdão, mas, também, de consciência que vai consistir em enfrentar e ver claramente os prós e os contras daqueles que se presumem estar acima de vocês, pelo menos no nível das leis sociais, morais e econômicas deste mundo.
Mas lembrem-se, naqueles momentos, de que, se eles estão ali, significa que, em algum lugar, na sua própria Consciência, houve espaço para permitir isso.
E de que se, por sua vez, vocês se puserem a condenar, a julgar, e não simplesmente terem a lucidez e a clareza de verem as coisas tais como elas são, isso não irá levá-los a parte alguma.  
Como em qualquer revelação, deste lado do mundo em que vocês estão, é importante ter cuidado para manter uma forma de neutralidade visando aplacar a reação, que eu qualificaria, de lógica, em meio ao confinamento de qualquer ser humano descobrindo, o que podemos nomeá-lo, um princípio de traição e um princípio de desprezo à Vida.
A ausência do seu julgamento, a ausência de condenação, da sua parte, é essencial, muito além do perdão, se vocês se lembrarem do que eu lhes disse, para saber que as suas próprias ilusões, os seus próprios Véus, permitiram isso.
Isso não faz de vocês, entretanto, culpados, mas, em algum lugar, todos nós tivemos (e todos vocês têm, hoje, do lado em que vocês estão) uma forma de responsabilidade.
Mas a responsabilidade não deve resultar em uma culpa, ainda menos em um julgamento, mas, muito mais, em um esclarecimento lúcido dos prós e dos contras, permitindo substituir, eu diria, as emoções normais e as reações normais, por apenas se interessar mais sobre o que isso significa para vocês, a título individual, sobre o que isso significa para a sua Consciência.
Porque, como vocês sabem, o que é visto no exterior corresponde necessariamente, mesmo sobre este mundo, ao que existe no Interior de si.
O que vocês julgarem no exterior será julgado no Interior.
O que existe no exterior existe também no Interior, mesmo se isso não for na mesma extensão nem na mesma escala.
Trata-se, contudo, dos mesmos mecanismos que foram aplicados e que correspondem, simplesmente, aos elementos da personalidade, amplificados por aqueles que representam (ou que são presumidos de representar) a sua própria vida, em meio a diferentes instituições oficiais deste mundo.

***


Dessa maneira, esta lucidez e este olhar colocado no exterior não deve fazê-los perder de vista que esse mesmo processo existe no Interior de qualquer ser humano e que está fundamentado, essencialmente, no medo: o medo da falta, o medo da competição, o medo da predação, o medo da traição.
Porque, o que é traído, apenas pode existir, preliminarmente, no Interior de vocês mesmo.
Isso deve empenhá-los a bem pesar as reações eventuais que podem sobrevir no Interior da sua consciência limitada, porque todos os Véus (para muitos de vocês) não estão ainda totalmente levantados e não lhes dão uma visão clara dos prós e dos contras.
Mesmo se alguns Anciãos, gradualmente e à medida dos anos, entregaram a vocês (independentemente de mim e antes de mim) uma série de elementos que, independentemente da sua exatidão, não foram experimentados pela sua própria Consciência e, portanto, vivenciados pela sua própria Consciência, além do que havia sido afirmado.
As coisas estão muito diferentes, hoje, porque a Consciência daqueles de vocês que estão abertos, de uma maneira ou de outra, a outra coisa do que se é deixado ver comumente, está, de alguma forma, preparada, por este modo, para aceitar o que vai se revelar, para aceitar que o conceito de humanidade foi muito corrompido por alguns desses seres que, lembrem-se, apenas ampliaram o que existe no interior de cada um, sem terem empreendido um processo de conhecimento da sua própria Consciência, além das implicações desta vida, das suas necessidades, dos seus medos e das suas faltas.

***



Assim, independentemente do que lhes seja mostrado, independentemente do que lhes será revelado, de uma maneira ou de outra, apreendam-se bem de que o importante não está aqui e não está em qualquer reação visando equilibrar algo cujo desequilíbrio não pode ser solucionado, porque é demasiadamente antigo, porque está demasiadamente inscrito na própria vida da humanidade encarnada.
Mas, sim, para dar-lhes um esclarecimento que vai, de algum modo, propiciar-lhes um impulso para voltar-se, ainda mais, para uma solução interior que irá levar, aí também, à retirada dos últimos Véus referentes aos corpos sutis e, portanto, aos princípios de confinamento em meio às suas próprias emoções, ao seu próprio mental e ao seu próprio contexto de vida, em todos os seus aspectos.
O importante está, portanto, bem aí: não reagir exteriormente ao que será revelado, mas, sim, iniciar, no Interior de si, uma forma de exame de consciência, muito além de qualquer culpa, muito além de qualquer julgamento de si mesmo, mas, sim, levando-os a reajustar-se, enquanto sabendo que esses reajustamentos se inscrevem em algo muito mais profundo e muito mais amplo do que reconduzir a um simples equilíbrio, do que deslocar a Consciência para um novo equilíbrio, mais justo, mais integrado.
O período atual de transformação, iniciado há quase uma geração, agora, chega, como vocês sabem disso, à sua conclusão.
Tudo o que se desenrola e irá se desenrolar, em vocês, como sobre a Terra, será apenas o resultado da ação da Inteligência da Luz, consistindo em iluminar a Sombra, a vê-la e a deixá-la se Transfigurar pela Luz, em vocês, como no exterior de vocês.
A Inteligência da Luz está ativa.
Ela tem uma ação e esta ação é a de restabelecer, por ela mesma, não uma justiça, mas um restabelecimento da harmonia das leis universais que não estão presentes neste mundo, mas que estão presentes, eu especifico, em meio à Vida, no sentido mais amplo (sejam quais forem a forma, o aspecto, desta vida), desde o que é chamado de Mundos Unitários, passando pelo Absoluto ou, ainda, pelas diferentes dimensões possíveis de experiências.

***


Esses últimos Véus contribuem, de maneira ativa, para o Choque da Humanidade, individual e coletivo.
Vocês sabem que esse Choque da Humanidade pode passar por algumas etapas, algumas das quais lhes foram comunicadas, há algum tempo, por SRI AUROBINDO e se referem a essas etapas que se desenrolam em um tempo mais ou menos longo.
O trabalho e a obra realizados por vocês próprios, assim como por aqueles que se têm ao lado de vocês, doravante, amorteceram, de algum modo, o choque desta Revelação, e o fato desses últimos Véus serem retirados neste momento, vão lhes permitir amortecer a sua própria Consciência e lhes permitir também, se tal for a sua orientação, afastar-se disso, não se desviando, mas, sim, vendo para o que eles são, ou seja, medos manifestados por alguns Irmãos e por algumas Irmãs que se deixaram arrastar pelos seus próprios medos, instalando-se em medos ainda maiores e em um controle ainda maior da vida e da Consciência.
Os Véus exteriores não irão lhes trazer nada mais do que isso, quando eles forem retirados.

***


Naturalmente, isso não diz respeito, infelizmente, à grande maioria da humanidade que, ela, entrará em um mecanismo de reação que, em meio ao medo inscrito no nível individual, é apenas lógico e inexorável.
O seu meio mais eficaz de ser, naqueles momentos, é não reagir em relação a esta revelação exterior, mas, muito mais, encontrar um estado interior permitindo ver claramente as coisas, não reagir ali e deixar, ainda mais, trabalhar a Inteligência da Luz, nesta revelação.
Voltem-se para vocês mesmos, não para julgar-se, aí tampouco, não para culpar-se, mas, sim, para responsabilizar-se, não em relação a esta responsabilidade passada, mas, sim, mais para ir além desta simples reação, desta simples compreensão ligada a esta Revelação.
Isso deve dar um impulso, como eu dizia, necessário para libertá-los do que lhes parecia, no entanto, lógico e normal, na vida de vocês.
Todos vocês sabem (e todos nós sabemos) que o ser humano se supera e se transcende nas situações mais difíceis e que é nessas situações, as mais difíceis, que o sentido da humanidade, da fraternidade, pode aparecer de maneira mais espontânea, de maneira mais natural.
Todos os acontecimentos traumatizantes, ocorrendo em um local ou outro da Terra, são, na maioria das vezes, acompanhados de um sentimento de solidariedade pelo ocorrido, de um sentimento de fraternidade que, no estado usual, não existia.
Este aspecto bom e fraternal do ser humano manifesta-se, efetivamente, de maneira muito mais fácil nas circunstâncias difíceis, do que nas fáceis.
Isso apenas se refere, contudo, à consciência ordinária, à consciência da sua própria personalidade, do seu próprio papel neste mundo.

***


Paralelamente a isso, é claro, atua uma outra revelação que diz respeito, mais diretamente, à sua intimidade mais profunda e que se refere ao que vocês São, em Verdade.
Eu não voltarei sobre tudo o que lhes foi dado, por alguns Anciãos e por outras Consciências, com relação à Realidade além do que vocês creem, do que vocês vivem sobre este mundo.
Cabe a cada um de vocês formar não somente a sua própria ideia, mas também se revelar, si próprio, através de uma série de virtudes que lhes foram dadas.
O que eu expliquei há um ano, quase no mesmo dia, com relação ao Eixo ATRAÇÃO-VISÃO, vê-se hoje, Transcendido pelo Manto Azul da Graça e retificado, de alguma maneira, explicando deste modo e pela Liberação da Terra, o que ocorre sobre a Terra atualmente.
As reações do ser humano serão sempre em função da sua própria Consciência.
A barbárie e a violência, sempre em ressonância com o medo, estão ligadas, de alguma forma, a uma consciência que mantém o medo, que mantém o isolamento e que mantém o confinamento.

***


O acesso ao Si, o acesso à Consciência Unificada, a Realização do Si, a Liberação do Absoluto, são todos elementos que não devem dar lugar a qualquer ação da personalidade, no interior de vocês mesmo, como em meio ao seu ambiente de vida mais próximo ou mais distante.
Os últimos Véus que serão levantados pela ação da Luz e pela ação da sua Consciência, assim como pela Liberação da Terra, vão conduzi-los a uma série de decisões (nós podemos nomeá-las assim).
Essas decisões vão decorrer, diretamente, do que lhes será mostrado sobre este mundo, como em vocês.
Essas decisões não devem ser guiadas pelo sentido de alguma reação, de alguma vingança, mas, muito mais, pelo seu próprio estado Interior de revelação.
Isso é, portanto, um convite, independentemente das circunstâncias ditas exteriores, para compreender que elas estão também em vocês e que é, antes de tudo, agindo em vocês que vocês irão amortizar as circunstâncias exteriores.
 Isso, naturalmente, recorre à fraternidade, à doação, ao compartilhamento e ao amor expresso pelo ser humano quando ele está em uma situação onde não há alternativa senão manifestar a sua fraternidade, o seu amor e o seu sentido de serviço.
Vejam ali, isso, mais como algo desagradável.
Isso é, de fato, de algum modo, um abcesso que deve ser perfurado.
Mas este abcesso que é perfurado, como vocês sabem, acompanha-se de transformações muito mais amplas do que as transformações sociais, societárias, afetivas, econômicas ou políticas.
Elas precedem, de qualquer forma, o que é nomeado uma mudança Dimensional, uma Ascensão, uma mudança de frequência de vida, fazendo-os passar para uma outra forma de Consciência.
Isso é, obviamente, inelutável, inexorável e está inscrito em um calendário extremamente breve, em termos terrestres, e que vai se revelar a cada dia um pouco mais.

***


O papel que foi o seu, enquanto Ancorador e Semeador da Luz, deve dar-lhes a certeza Interior para realizar um estado correto no Interior de vocês mesmo, de onde irá resultar as ações corretas que não dependem de qualquer reação, de qualquer sensibilidade emocional, não resultando nem de qualquer sentimento de traição, de julgamento ou de agressão.
A força Interior, o despertar da fraternidade humana irá ocorrer, de qualquer maneira.
Vocês estão, portanto, convidados, não para julgar esses acontecimentos exteriores, esses elementos exteriores, mas, muito mais, para se colocar em uma situação onde vai ser preciso criar a Paz.
 E esta Paz, antes de ser a Paz com o mundo é, acima de tudo, uma Paz com vocês mesmos.
Algumas coisas devem ser observadas em vocês.
Algumas funções Vibratórias da Consciência, traduzidas pelos Quatro Pilares do Coração, vão representar auxílios inestimáveis para permitir-lhes substituir a primeira reação, a primeira violência.
É graças a este impulso, a esta primeira fase do Choque da Humanidade, que vai se desenrolar, em vocês, mecanismos inéditos se eles ainda não ocorreram, consistindo no que eu não vou descrever, mas que tem por origem o Supramental, a Onda da Vida, o Coração, a Kundalini.
Um conjunto de elementos que vai colocá-los em um cenário novo, nada mais tendo a ver com o que pôde existir até agora.
A Consciência que é a sua, seja qual for o seu ponto de partida, é levada a se expandir, de maneira extremamente potente.
O que vocês são, hoje, não será de forma alguma comparável com o que vocês serão durante esse desenrolar.

***


Passadas as primeiras reações (e no intervalo prévio a esta espécie de Dissolução final da Ilusão), restará a vocês completar a sua transformação.
A transformação do mundo, ela, acontece pela ação da Terra, pela ação da Luz, pela ação das irradiações vindo do Sol Central da Galáxia.
O que ocorre no exterior, ocorre em vocês.
Mas, o que ocorre em vocês, irá ressoar com o que ocorre no mundo, no ponto mais próximo de vocês, como no ponto mais afastado de vocês.
É, portanto, sobre vocês, a título individual, que repousa a qualidade da transição que está em andamento.
Nós sempre lhes dissemos que é a Terra que iria decidir.
A Terra está Liberada, ela, portanto, decidiu.
Esse momento chegou, a título individual, desde o nascimento da Onda da Vida, permitindo-lhes ser liberados, na totalidade, de todos os confinamentos, de todos os medos e de tudo o que constituía um contexto de vida definido e conhecido, permitindo-lhes ajustar-se, por estratégias diversas, às próprias circunstâncias da vida, tal como ela era.
Essas circunstâncias da própria vida vão mudar muito profundamente.
Ainda uma vez, essas circunstâncias não pedem outra coisa, da sua parte, senão olhá-las para o que elas são e compreender que isso acontece, também, em vocês, necessitando da sua parte uma atenção toda especial que visa elaborar, não reações, mas estratégias, aí também, permitindo-lhes, de algum modo, ficar mais perto dos impulsos da alma, dos impulsos da sua Consciência que irá se expandir.
A maneira de perceber e os modos de percepção que lhes são próprios (quer sejam pelos sentidos ou, além dos sentidos, pelo mental e pelas emoções) vão, eles também, se modificar, dando-lhes e levando-os a uma tomada de distância, justamente, de tudo o que é exterior e que poderia levá-los a algo ruim e contrário à sua Liberação e à sua Ascensão.

***


A ordem das prioridades, evidentemente, vai mudar.
Ela será definida, de maneira diferente, para cada local desta Terra, em função do que é para purificar neste local, aí onde vocês estão.
Vocês são, portanto, parte integrante de um lugar, seja ele qual for e estejam vocês onde estiverem.
As circunstâncias serão, evidentemente, diferentes segundo os locais, mas as circunstâncias Interiores, elas, serão (digamos) estritamente as mesmas, assim que vocês tiverem aceitado olhar, de maneira lúcida, clara e objetiva, o que lhes será deixado ver, perceber, entender.
O fato de levantar os últimos Véus vai, de algum modo, permitir à Consciência de encontrar-se diferente, de encontrar-se como exposta, onde nada mais poderá ser escondido, em vocês, também.
Cabe a vocês nada recusar do que é visto, em vocês, não, ainda uma vez, para julgar, mas, sim, pelo fato de compreender os mecanismos que, simplesmente, devido à observação do que acontece, em vocês, vai levá-los a superar e a transcender (além de qualquer ação de retificação pela ação da própria Luz) o que deve sê-lo.

***


A retirada dos últimos Véus vai atualizar, em vocês, o que resta, eu diria, dos seus próprios apegos, dos seus próprios erros, dos seus próprios medos.
Isso deve ser olhado lucidamente, não para ali dar chance, não mais para nutrir isso, mas, sim, para aceitar olhá-los calmamente, como algo que está prestes a desaparecer sozinho.
Essa é a melhor maneira que vocês têm para não dar oportunidade a esses medos, a esses apegos, que podem ser ainda os seus e que estavam, presumivelmente, abrigados em meio aos últimos recantos de sombra situando-se no que vocês são.
É a esse preço que a Transparência será vivida.
É a esse preço que a sua Consciência poderá enfrentar e superar o que acontece, em vocês, como no exterior de vocês.

***


O mais importante, obviamente, é, em um primeiro momento, não reagir.
Faz sentido, nesse sistema de vida, que o ser humano tivesse tendência a reagir de maneira imediata a um acontecimento, seja ele qual for, a fim de encontrar um novo equilíbrio que iria remetê-lo em alguma forma de segurança.
Lembrem-se, naqueles momentos, de que se vocês chegarem a suspender a sua reação imediata, vocês irão eliminar imediatamente o primeiro Véu que é aquele chamado de véu emocional ou corpo emocional.
Se vocês forem capazes de superar isso (quer seja pela lucidez Interior, pelo Alinhamento, pela meditação ou por qualquer técnica que os afaste desta reação imediata), vocês irão constatar que, bem depressa, pela ação da própria Luz e pela sua não ação, essa necessidade de reagir, em nível emocional, irá desaparecer de maneira extremamente rápida, devido às circunstâncias da Luz e devido à revelação coletiva.

***


Em um segundo momento que, em geral, se sucede, muito rapidamente após a retirada do primeiro Véu (emocional), sobrevém o mental e o corpo mental, aquele que vai querer fazê-los refletir, querer fazê-los se adaptar, segundo os modos de funcionamento que lhes são conhecidos por que experimentados pelo seu próprio passado e utilizados no seu próprio passado.
As circunstâncias do mundo, no seu ambiente específico, não irão permitir recorrer a repetições de esquema de funcionamento, em nível mental, tendo existido e tendo funcionado no seu próprio passado.
É aí que será preciso demonstrar, eu diria, um certo sentido de inovação, não no sentido de uma hiperatividade mental, mas, muito mais, aí também, como diria aquele que se nomeia BIDI, refutar os pensamentos que vão chegar, em um primeiro momento, porque esses pensamentos chegando em um primeiro momento estarão justamente tingidos da sua experiência passada, das suas provas e das suas alegrias, dos elementos que lhes são conhecidos e que lhes pareceriam ainda possíveis de adaptar e de adotar, a fim de preservá-los de uma série de fatores.

***


Se vocês aceitarem não seguir os seus próprios pensamentos, que não são os seus e que são oriundos das circunstâncias passadas, se vocês forem além disso, vocês irão também se aperceber, muito depressa, de que novos elementos vão aparecer, de maneira espontânea, sob forma de pensamentos, na maioria das vezes, fulgurantes, não tendo estritamente nada a ver com os seus modos de funcionamento usuais e habituais.
É justamente esta fulgurância, como relâmpagos ou flashes, como intuições fulgurantes, que vão chegar, em um segundo momento, que serão os mais adequados, de alguma forma, para adaptar às suas estratégias.
E a sua particularidade é que essas estratégias serão aplicadas, de maneira extremamente fácil, extremamente facilitada, até mesmo, para a sua Consciência.
O que não será o caso, obviamente, se vocês adotarem estratégias que foram utilizadas no passado e que lhes são conhecidas.
Aí também, diferem, de algum modo, a aplicação das suas primeiras ações em relação a esses primeiros pensamentos, deixando chegar, de preferência, o que irá se seguir em um segundo momento e que irá lhes aparecer e que será aplicado de maneira muito mais fácil e evidente, a partir do momento em que vocês não estiverem na reação imediata dos pensamentos imediatos, em relação ao que aconteceu e ao que se sucedeu na sua vida ou no mundo.
O segundo Véu, então, será removido.

***


Restará ainda um outro Véu que é aquele do seu corpo causal que está ligado (ele, ainda mais) a todas as memórias das suas experiências passadas neste mundo.
Superar esse Véu é, de algum modo, o que é denominado e que foi nomeado o Abandono do Si.
Isso é (de qualquer forma e dito em outros termos), em algum lugar, Abandonar-se à Divina Providência, não como uma prece, mas, muito mais, como uma aceitação.
Esta aceitação irá se suceder sozinha e deixará resultar, dela própria, novos elementos, e esses elementos, eles, serão diretamente oriundos da Luz Vibral, do Supramental, da Onda da Vida e da Consciência Unificada ou do Absoluto.
 Naquele momento, o conjunto das sincronias possíveis irá se estabelecer para vocês e irá possibilitá-los separar-se dos dois primeiros Véus, permitindo, assim, viver em meio a este mundo, no seu Choque, um estado que, para vocês, interiormente, nada mais terá a ver com o Choque, mas que poderá ser semelhante a um sentimento de Paz Interior que irá lhes parecer, em um primeiro momento, paradoxal em relação ao estado do mundo e em relação ao estado do que deveria ser normal para vocês, em tempos comuns.
Vocês não irão mais se reconhecer nos seus modos de ação, nos seus modos de comportamento, e na facilidade com a qual vocês irão se adaptar e irão adotar algumas coisas novas.
A Inteligência da Luz estará, então, trabalhando, na totalidade, em vocês.
Não será mais a sua vontade que irá agir, não serão mais as suas referências sociais ou morais que irão agir e que irão determinar as suas ações, mas, bem mais, a própria Inteligência da Luz que, de algum modo, irá formatar as suas ações e dirigi-los para mais facilidade, mais evidência, mais Transparência e menos interação.
Dessa maneira, o que pode parecer como terrível ou terrificante no exterior, será para vocês exatamente o contrário, a partir do momento em que vocês resistirem às suas próprias emoções, não ali se opondo, mas, simplesmente, interrompendo-as.
Assim como para o segundo Véu mental, aceitando que os primeiros pensamentos que chegam não podem corresponder a algo ligado à novidade da situação, mas, muito mais, estando em ressonância com as suas ações e reações passadas das formas de condicionamento que convém se libertar, aí também, interrompendo a ação e o comportamento.

***


Se vocês respeitarem essas regras Interiores, vocês irão se aperceber, bem depressa, de que tudo irá clarear, tanto na sua Consciência, como no que é para viver nesse mundo, neste período.
O distanciamento que é, na realidade, uma tomada de tempo, é o que é necessário e salutar para vocês, para adaptar-se a si mesmo em meio à nova energia, ou seja, para permitir um processo de adaptação muito mais rápido e muito mais fácil, seja qual for, eu diria, o futuro desta vida que é a sua, sejam quais forem as revelações, muito mais importantes, que irão se seguir, algum tempo depois.

***


Lembrem-se de que a personalidade foi construída no efêmero.
Ela foi construída no medo e na não Transparência, no fato de poder esconder o que vocês quiserem esconder, porque isso se refere ao que vocês chamam de sua vida privada, de sua vida íntima e não se refere, de forma alguma, a um vizinho, a um parente, a um irmão, a uma irmã ou a qualquer outro Irmão e Irmã humano, presente no seu ambiente.
Vocês irão se aperceber, muito rapidamente, de que tudo isso não tem mais andamento, de que existem capacidades novas pelo próprio fato do desenrolar do que se aproxima, de que o modus operandi da sua Consciência, ele próprio, independentemente dos três primeiros Véus, estará profundamente diferente.
Isso pode ocasionar um sentimento de estranheza, um sentimento de irrealidade e, no entanto, esta estranheza e esta irrealidade são as primícias da sua própria Translação Dimensional.
Aqueles de vocês que foram percorridos pela Onda da Vida e que se tornaram ela, aqueles de vocês que recepcionaram o Supramental, na totalidade, irão constatar que algumas experiências realizadas durante os Alinhamentos, durante os exercícios espirituais, ver-se-ão aumentados em dez vezes naqueles momentos.
E é nesses aspectos específicos da sua Consciência que será preciso se apoiar, porque é neles, precisamente neles, que irão se encontrar os meios necessários para realizar o que vocês têm que realizar.

***


E o que vocês têm que realizar não é tanto preservar seja o que for, mas acolher, ainda mais, esta Nova Consciência que é a sua, que é vocês e que irá se manifestar desde o ponto em que vocês estão, para um ponto muito mais elevado.
Se vocês aceitarem essas recomendações, e se vocês as viverem, vocês irão constatar por si mesmo, de maneira extremamente fácil, sem discussão possível, que essa é a única solução, as únicas atitudes a observar, a fim de revelar totalmente a Consciência, independentemente do seu futuro e independentemente do seu devir.
Isso se apresenta, de maneira geral, como uma visão panorâmica, levando-os a não se julgar, assim como a não julgar os acontecimentos, mas, sim, a olhar o que se põe em prática, o que se mobiliza.
De colocar-se, aí também, de algum modo (e isso será ainda mais fácil pela ação da Luz), na situação daquele que observa, mais do que daquele que reage a um acontecimento.
Esse sentido da observação faz parte, aí também, da Consciência Nova e é precisamente aqui, nestes mecanismos, que irão se encontrar as verdadeiras soluções.

***


As verdadeiras soluções dizem respeito apenas à Consciência.
Elas não se referem, de modo algum, ao que, até agora, para vocês, podia parecer mais consistente e mais essencial como, por exemplo, um teto, como, por exemplo, o dinheiro, como, por exemplo, a rotina da vida comum.
O que chega nada tem de comum, é justamente um Desconhecido.
A preparação realizada por BIDI, através do que lhes foi comunicado, destina-se também, é claro, àqueles momentos, porque nada do que lhes parecia comum e habitual irá persistir.
 Um Desconhecido irá se imprimir, um Desconhecido múltiplo e multiforme, necessitando da sua parte não se opor, não entrar em conflito consigo mesmo como com o exterior, a fim de beneficiar-se dos influxos da própria Luz e também, é claro, do conjunto das nossas Presenças que poderá aparecer a vocês em percepção ao seu lado.
MIGUEL lhes disse, vocês podem chamar a sua Presença, não para pedir-lhe algo específico, mas, simplesmente, para que a sua Presença, manifestada ao lado de vocês, aja por ela mesma.

***


Esta noção de esvaecimento da personalidade é extremamente importante.
Isso não é certamente uma demissão, isso não é certamente uma negação, mas, sim, a capacidade para superação dos seus próprios medos, dos seus próprios apegos, que irá favorecer o aparecimento das soluções novas e das adaptações novas às situações que vocês terão que viver.
Se vocês respeitarem esses preceitos, vocês irão constatar, mas extremamente depressa, que todo o equilíbrio novo será obtido facilmente, sejam quais forem as circunstâncias exteriores, as mais próximas ou as mais distantes de vocês.
Vocês estarão, naquele momento, dissociados, de algum modo, de uma vida normal.
Vocês estarão, de algum modo, naquele momento, dissociados dos problemas ligados à personalidade: medos e apegos.
Vocês irão descobrir, para muitos de vocês, territórios inexplorados, territórios novos onde serão encontrados contentamentos e novas provas do que vocês São.
Não há outro modo de vocês se prepararem.
Qualquer preparação exterior seria em vão porque ela os remete à falta, ao medo e porque o intervalo de tempo (que foi reduzido graças ao trabalho de vocês) irá permitir suportar, de alguma forma, este intervalo de tempo, em certos casos com a maior das alegrias e com a maior das felicidades, a partir do momento em que vocês aceitarem não fazer funcionar os Véus antigos que, de qualquer modo, estão prestes a serem removidos.
Portanto, é a vocês que cabe estar mais do que nunca lúcidos, muito mais sobre os seus sinais Interiores do que sobre os sinais exteriores deste mundo que não poderão mais ser escondidos, nem mantidos ao abrigo da Consciência, eu diria, coletiva.
Através disso, através do que a personalidade poderia chamar de uma prova, o que vocês São vai descobrir, na Verdade, um meio formidável e essencial, para ser enfim o que vocês São, além de todas as contingências de confinamento, de predação, de medo, inscritas na sua personalidade, como no corpo coletivo da humanidade.

***


Aí está a visão, portanto, panorâmica que eu queria entregar a vocês e que está certamente além, é claro, dos momentos de Paz que vocês podem cultivar (quer seja nos seus Alinhamentos, quer seja a possibilidade que vocês têm, doravante, independentemente deste horário das 19 horas (hora francesa) que vocês conhecem, de juntar-se à sua própria Essência e de se beneficiar dos influxos da Luz), na condição de que vocês deixem trabalhar esta Luz, sem manifestar qualquer vontade, fundamentada em suas próprias experiências e em suas próprias práticas do passado.
Se, em vocês, em relação a essas generalidades e a esta visão panorâmica, houver questões, então, eu permaneço com vocês para tentar ali levar um esclarecimento suplementar.

***


Nós não temos perguntas. Nós lhe agradecemos.

***


Irmãos e Irmãs na Humanidade encarnada, eu rendo Graças pela sua Presença e pela sua escuta.
Diante da ausência de perguntas, eu lhes proponho viver um momento de Comunhão, todos nós, aqui presentes.
Como vocês sabem, o Canal Mariano dá a possibilidade, para cada um de vocês, de viver a minha Presença.
Dessa maneira, então, acolhamo-nos, uns e outros, em um momento de Paz que corresponde à atitude que vocês devem observar se vocês quiserem permanecer na Paz, no que acontece neste momento e que vai remover os últimos Véus da sua Consciência, como da Consciência da humanidade.

... Compartilhamento da Dádiva da Graça ...

Irmãos e Irmãs, está aí, portanto, o estado no qual vocês serão capazes de encontrar a Paz, a serenidade e a segurança, no que está para ser vivido.
Se vocês tomarem por hábito, antes de qualquer ação e de qualquer decisão, ter alguns instantes de Comunhão com vocês mesmos, com um dos Arcanjos, com uma das Estrelas ou com um dos Anciãos, eu posso lhes garantir que o que irá se desenrolar será para vocês extremamente facilitado e que aqueles momentos serão vivenciados, por vocês, de maneira muito mais fácil do que o que vocês poderiam imaginar ou projetar, pelo medo e pela ignorância, sobre o que está por vir. 
Vocês estão, portanto, convidados a manter presente, em algum lugar dentro de vocês, que é neste estado que pode sobrevir, mais facilmente, a evidência do que é para aplicar, para observar, para praticar ou para evitar.
Eu sou IRMÃO K e todo o Amor do meu Ser está no seu Ser.
Eu os saúdo e eu lhes digo até breve.



************


Mensagem do Venerável IRMÃO K no site francês:
1º de julho de 2012
(Publicado em 02 de julho de 2012)

***


Tradução para o português: Zulma Peixinho


************


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário