O. M. AIVANHOV - 24 de março de 2012 - Parte 2 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação





Pergunta: SNOW abordou o papel dos alimentos crus na alimentação (ndr: intervenção de 17 de março de 2012). Por que isso gera em mim um medo de emagrecer?
 
Quem tem medo de emagrecer senão este corpo?
Será que você é este corpo (que ele seja obeso, que ele seja anoréxico)?
Você está neste corpo.
Você tem um veículo (que é este corpo) que é para manter, para nutrir.
O que significa comer cru?
Reflitam.
Nós lhes dissemos (e vocês sabem): a Onda da Vida, ela está por toda parte.
As árvores são os vetores, também, desta subida da Onda da Vida.
Elas estão Alinhadas, as árvores, permanentemente.
Os produtos da natureza (os alimentos crus) são portadores da Onda da Vida.
Se vocês aquecê-los, o que acontece?
Vocês substituem a Onda da Vida pelo Fogo vital, o Fogo material (pelo cozimento).
Portanto, vocês suprimem, totalmente e na totalidade, pelo fogo de cozer os alimentos, esta Onda da Vida.
Hoje, a Onda da Vida está presente sobre a Terra em muitos seres humanos, mas, também, em toda natureza, como disse SNOW.
Portanto, se vocês pegarem um vegetal.
Em seguida, se, este vegetal, vocês o comerem tal como, vocês irão constatar o quê?
Que vocês o digerem sem qualquer problema.
Se ele estiver cozido, vocês o digerem com menos facilidade.
E se vocês não tiverem problemas digestivos, o que vai acontecer?
É muito simples: vocês terão vontade de dormir.
Porque o seu Fogo vital foi desviado da Onda da Vida para ir digerir o que vocês colocaram no ventre.
Muitos de vocês sabem, pertinentemente, que as condições da sua alimentação estão modificadas.
Então, é claro, não adotem uma alimentação crua unicamente para dar prazer ou para satisfazer o seu ego de dizer que ‘eu vou viver a Onda da Vida porque eu como cru’.
Isso é falso.
Como não nutrir o ego?
Não julgando.
Isso eu disse no prefácio.
E, sobretudo, não desviem a Energia vital em benefício da digestão.
Isso não quer dizer que seja negativo.
Isso não quer dizer que vai privá-los da Onda da Vida, mas que irá produzir um estado menos propício à subida da Onda da Vida.
A Onda da Vida, lembrem-se, isso foi dito: ela entra pelo baço e pelo fígado (pelo chakra do baço e pelo chakra do fígado) dando, às vezes, dores nesses pontos.
 O que há ao nível do baço e do fígado que são dois órgãos que estão justamente sob o diafragma [músculo situado entre o tórax e o abdômen, separando-os]?
Há o eixo ATRAÇÃO / VISÃO (o eixo falsificado, o famoso Fogo Prometeico).
Isso foi explicado: eu os remeto ao IRMÃO K, no último verão ou um pouquinho antes do verão (inverno, no hemisfério sul) (ndr: intervenção de 07 de julho de 2011) (*).
Tudo isso, vocês o mantêm.
Vocês o mantêm com o quê?
Com o julgamento.
Porque, quando vocês julgam, vocês se separam de vocês mesmos.
Assim que houver o menor julgamento.
Porque o julgamento sempre será oriundo de uma visão, de uma visão mental, de uma visão intelectual, de uma visão livresca, de uma visão ligada a conhecimentos que vocês leram.
Mas tudo o que vocês leram afasta-os do que vocês São, fazendo-os aderir a um passado que não existe no Hic e Nunc.
Isso vocês compreendem.
É exatamente o mesmo com os alimentos.
Quando vocês começam a transformar os alimentos, vocês mudam a natureza arquetípica do alimento.
Naturalmente, não é questão de fazê-los, como se chama isso, crudívoros, ou seja, pessoas que se nutrem de alimentos crus a vida toda.
Vocês têm plenamente o direito, a possibilidade, o desejo, até mesmo, de comer ou de ingerir bebidas quentes.
Porque não.
Aliás, é melhor ingerir bebidas quentes do que bebidas frias.
O frio é mesmo mais perigoso, para a Onda da Vida, do que o quente.
A Onda da Vida não lhes pede mais para estar na razão.
Ela pede para estarem lúcidos.
Lúcido sem julgamento.
E, para os alimentos, façam o teste.
Se vocês comerem apenas o que for preciso, se vocês ingerirem os alimentos que contêm a Onda da Vida porque eles não foram alterados pelo cozinhar ou pelo cozimento, vocês irão se nutrir do mesmo modo que colocando (como disse SNOW ou como disseram os Arcanjos) os pés no orvalho: vocês irão favorecer a Onda da Vida.
Então, há quem emagreça.
Há quem engorde.
Porque, apesar de tudo, vocês ainda têm uma fisiologia que é o que chamamos de sua natureza de personalidade (seu terreno, se vocês preferirem).
A Onda da Vida é o que todos nós somos.
Ela encontra diferentes terrenos.
Por que vocês querem mudar o terreno?
Busquem o Reino dos Céus e todo resto (absolutamente todo o resto) ser-lhes-á dado.
E buscar o Reino dos Céus é, simplesmente, deixar a Onda da Vida (assim como deixar a Luz), agir.
Isso é tudo.
Enquanto vocês acreditarem que vocês irão produzir a Luz fazendo alguma coisa, vocês se afastam da Onda da Vida.
Porque é o ego que crê que ele pode fazer o bem.
Porque é o ego que crê que ele pode agir sobre alguém.
Obviamente, é sempre o ego.
Quando vocês se apreenderem disso, será que isso quer dizer que vocês vão se tornar um vegetal?
Não.
Isso quer dizer, simplesmente, que vocês compreenderam, que vocês se apreenderam e que vocês aquiesceram.
Como há alguns anos, já, alguns de vocês aquiesceram acolhendo a Luz CRISTO, na Unidade e na Verdade.
Foi por isso.
Portanto, não se coloquem questões.
A Onda da Vida é alimento.
E mesmo se vocês não se alimentarem mais, de qualquer maneira.
Alguns, aliás, sem o desejar, sem o decidir, modificaram, como lhes disse, as regras fisiológicas.
Alguns de vocês não têm mais necessidade de dormir.
Alguns de vocês não têm mais necessidade de comer.
Não foi algo que eles decidiram.
Se vocês decidirem fazer como disse SNOW, isso é uma experiência.
Façam a experiência.
Se a experiência não for conveniente para vocês, porque vocês se obrigam a fazê-la?
Mudem de experiência já que a Onda da Vida está aí, o que quer que vocês façam.

***


Pergunta: MARIA havia falado da Estrela anunciada pela Estrela, no mês de março. Qual sua relação com a Onda da Vida?

São sinais estelares.
Se vocês preferirem: configurações estelares.
Alguns seres, no século XX, falaram dessas configurações.
Eu, eu falei dos planetas, é claro.
Eu falei da Árvore da Vida.
Tudo, no Céu, é representação de formas.
E não há qualquer elemento, do Céu e da Terra, que não seja distinto de uma configuração qualquer, de uma ressonância qualquer.
A Estrela (a primeira), ela passou.
A segunda, ela é para o mês de março.
O mês de março não terminou.
Agora, é claro, será que isso é visível com os olhos?
O que vocês vivem, no Interior de vocês (a Onda da Vida), é a coisa mais essencial.
Mas lembrem-se do que eu disse, desde algumas semanas ainda, sobre os três dias: será que vocês têm necessidade dos três dias para acreditar?
A única coisa é viver a Onda da Vida.
Porque, a Onda da Vida, quando ela é vivenciada (vocês irão ver por vocês mesmos), não há qualquer questão possível.
Vocês são a Alegria.
Vocês se tornam a Eternidade.
Vocês são este Êxtase permanente.
O que pedir a mais neste estado de Êxtase?
O problema é que este estado de Êxtase contradiz, na totalidade, esta sociedade e este corpo e esta vida.
Porque o Êxtase Interior (a Íntase), além do Samadhi, é nossa natureza profunda.
E, obviamente, quando vivemos nossa natureza profunda, nós nos damos conta do quê?
Do absurdo.
Isso não é um julgamento.
Vocês se apercebem do absurdo total do que não é a Onda da Vida, do que se afastou da Onda da Vida.
Sem julgar.
Sem condenar.
É uma lucidez nova.
E, sendo esta lucidez nova, vocês querem, sobretudo, não se opor.
Porque, se vocês se opuserem ao que quer que seja, a quem quer que seja, vocês não são mais a Onda da Vida já que a negação da Onda da Vida (o confinamento da Terra) é, justamente, esse princípio de separação.

***


Pergunta: por que eu quero satisfazer-me com o que eu não imaginava fazer parte do meu caminho, como, por exemplo, comer carne, viajar?
 
Então, cara amiga, há pessoas que, hoje (particularmente nesses caminhos espirituais), se estabeleceram, a elas mesmas, em contextos.
Elas se estabeleceram em contextos mentais: “eu não devo comer carne, eu devo orar, eu devo Alinhar-me, eu devo ser gentil”.
O que vai acontecer, naquele momento?
Foi a personalidade que decidiu isso.
E quando a Onda da vida chegar, ela vai colocá-los frente a tudo o que os enrijeceu (fossilizou) por obedecer a uma crença.
Vocês acreditaram, em meio à personalidade, que era preciso não comer.
Vocês acreditaram, em meio à personalidade, que era preciso fazer isso, que era preciso ser extravagante, que era preciso deixar exprimir o desejo (isso faz parte de alguns ensinamentos orientais).
O que acontece hoje?
 A Onda da Vida, ela os faz descobrir que vocês não estavam na Verdade, que vocês estavam em uma Ilusão de Verdade, aplicando princípios, a vocês mesmos, de restrição.
Simplesmente, isso lhes mostra o que é a personalidade: um elemento que ridiculariza, um elemento que se opõe, um elemento que vai criar regras.
Mas essas regras, elas sempre são criadas (como dizia IRMÃO K) no conhecido, no limitado.
Mas, ainda uma vez, não há qualquer limitado que não possa viver o Ilimitado.
Por outro lado, o Ilimitado conhece o limitado.
Evidentemente, aquele que está confinado no próprio limite da sua personalidade (do seu pequeno ego e do seu pequeno ego espiritual), que vai crer que é preciso orar, que é preciso ser gentil (mesmo se houver vontade de estrangular alguém), este está no erro o mais total.
Porque ele fica constrangido.
Isso não quer dizer que ele precisa estrangular a pessoa, é claro.
Mas que precisa estar lúcido sobre os mecanismos que vocês aplicam em vocês.
Há pessoas que vão dar um grande sorriso, que lhes diz “paz”, mas que tem apenas um desejo: matá-los.
A Verdade, ela não está na aparência.
Portanto, efetivamente, se vocês tiverem constrangido, em vocês, alguma coisa, ela vai explodir na cara.
Isso é tudo.
Não há que julgar.
Observem.
Se alguma coisa surgir, hoje, em vocês, é que ela já estava presente, já que vocês estão no contexto do conhecido.
Vocês opacificaram.
Como eu dizia à época: vocês colocaram sob o tapete.
Depois, retiramos o tapete.
E, agora, retiramos o solo.
Então, onde vocês têm os pés?
E eu vejo os egos que se viram depressa.
Como eu disse uma vez: não são vocês que desaparecem, é o mundo.
Assim como ele desaparece a cada vez que vocês dormem à noite.
Será que vocês entram em agonia metafísica, indo para a cama, perguntando-se se amanhã o mundo vai existir?
Então, confiem na Onda da Vida.

***


Pergunta: situar-se, em Consciência, além da individualidade, corresponde ao quê?
 
Isso significa: parar de pensar.
Vocês não são os seus pensamentos.
Eles estão aí, no entanto.
Será que um pensamento é duradouro?
Será que um pensamento é eterno?
Não, ele passa.
E nós conhecemos, todos, a versatilidade dos pensamentos.
Nós pensamos em um troço, cinco minutos depois (quando estamos encarnados) nós pensamos em outra coisa.
Nós temos objetivos.
Então, dependendo da personalidade, esses objetivos podem levar a vida toda ou, então, mudamos de objetivo.
Mas não há objetivo.
Se vocês são essencialmente honestos, não há qualquer objetivo exterior para Ser.
É uma questão de mudança de olhar.
Isso que é a personalidade, em relação a esta frase, vai travar os dois pés, dizendo: “nossa, para onde eu vou?”.
Mas, justamente, ela não vai a parte alguma, a personalidade.
Há apenas a personalidade que crê que ela vai a algum lugar, de um ponto aqui a um ponto ali.
Isso é verdadeiro quando vocês vêm, aqui, escutar as bobagens que eu lhes digo: vocês se deslocam de um ponto a outro ponto.
Mas será que Vocês se deslocaram?
Aliás, eu não sei como vocês se deslocam quando não há mais solo.
A individualidade é o Si.
O Si não pode compreender o não Si.
Os seres e nós mesmos, nós temos o quê?
Favorecido a eclosão do Si.
O que aconteceu há menos de dois meses?
Nós lhes dissemos: “o Si é uma Ilusão”.
Badabum [barulho de uma queda].
Tudo caiu.
O que caiu?
Foi o ego espiritual.
Foram etapas que ocuparam.
E o Bem Amado SRI AUROBINDO passou a vida escrevendo poemas.
Era para ocupar o seu próprio mental.
E eu, eu fazia o quê?
Eu fazia as pessoas dançarem para ocupar seu mental.
Será que, fundamentalmente, isso serve a alguma coisa para aquele que vive o Absoluto?
Não.
Mas são estratégias que são elaboradas.
Fazendo-os dançar.
Fazendo-os rezar.
Não há objetivo porque a Onda da Vida (e o que vocês São) está aí, desde toda Eternidade.
 Simplesmente, é a personalidade e a individualidade que se afastaram disso.
Há seres que descreveram de maneira notável (especialmente hoje, desde que houve a descida do Espírito Santo).
Há cada vez mais seres humanos que, de repente, surgem em uma outra realidade que é a realidade do Si.
Eles não lhes falam nem de Energia, nem de Vibrações, nem do chakra do Coração, nem da Kundalini, nem do que quer que seja.
Eles vivenciaram um mecanismo de acesso ao Si e, vivendo esse mecanismo de acesso ao Si (onde eles descobrem a vida sob um outro olhar), eles são persuadidos de que esse olhar é a Verdade.
Mas isso não é mais a verdade que o ego.
Dito de outra forma, nem a personalidade, nem a individualidade (que está ligada à Alma) são a finalidade.
Aliás, o termo ‘finalidade’ é empregado pela personalidade e pela individualidade: a individualidade que quer se estabelecer no Si e ali permanecer.
É como se vocês se espelhassem, vocês mesmos, na sua própria Luz.
Mas vocês são a Luz?
A Luz é tornar-se a Onda da Vida.
É, primeiramente, viver a Deslocalização, a bilocação.
 É ser, ao mesmo tempo, esta consciência (neste corpo limitado), mas, ao mesmo tempo, ser o Sol, ser qualquer outro ser humano.
Isso não é um jogo de palavras.
Isso não é a adesão a uma crença, qualquer que seja.
Isso é uma vivência.
Mas enquanto vocês se espelharem no Si, é a mesma coisa que se espelhar no ego: vocês não podem aceder ao Indizível.
Agora, vocês são livres de ficar observando o umbigo.
Vocês são livres para ficar observando o Si.
Mas a Onda da Vida não pode ser observada.
Vocês são ou vocês não são.
O Absoluto (o Parabrahman, A FONTE) não tem o que fazer de qualquer individualidade porque A FONTE está por toda parte.
Se vocês são o Absoluto, vocês estão, também, por toda parte.
Isso não é uma projeção.
Isso é a estrita Verdade.
Agora, enquanto vocês não o viverem, vocês não podem nem concebê-lo, nem aceitá-lo.
Vocês podem apenas recusá-lo e isso é lógico.
Mas o dia em que a Onda da Vida estiver aí, o que acontece?
Vocês vão rir pra caramba.
Por quê?
Porque, justamente, o baço (que é o princípio da Atração) é responsável pela retração da Alma.
Se a Alma for transmutada (transcendida, muito exatamente), vocês vão rir porque vocês não têm mais o baço.
Vocês não têm mais nada que os constranja em qualquer regra.
Não quer dizer que vocês se tornam um assassino.
Não quer dizer que vocês se tornam um bandido.
Vocês se tornam a própria Onda da Vida.
Mas, é claro, para a personalidade (que está no combate, na Dualidade), mesmo para o Si (que está na Unidade), isso não pode existir de maneira alguma.
E, aliás, isso não existe.
Isso É.
Mudem o olhar.

***


Pergunta: viver como um luto, um enterro Interior, é viver a Renúncia?

Mas, é claro.
O Nascimento no Absoluto é, evidentemente, a morte.
Não deste corpo, mas a morte de todas as Ilusões.
É um luto.
É o ‘choque da humanidade’.
O luto (e o choque), ele está em vocês antes de estar no mundo.
É exatamente isso.
É o momento em que vocês saem da infância: vocês são adolescentes, vocês se tornam adultos.
O que vocês perdem ao nível da personalidade?

Uma série de ilusões.
É como o dia em que vocês aprendem que o Papai Noel não existe, ou que o Papai Noel é um lixo, dá no mesmo.
É uma expressão que foi muito usada e que é muito, muito bela porque vende alguma coisa a vocês.
Quando vocês são criança, vocês acreditam.
E vocês acreditam tanto que vocês o veem, esse Papai Noel.
É uma egrégora.
E depois, um dia, lhes dizem: “ele não existe”.
O que isso é para vocês?
É a mesma coisa quando as pessoas vivem uma experiência às portas da morte e que retornam.
Elas sabem, pertinentemente, que não são este corpo porque elas vivenciaram um outro corpo (também ilusório, é claro) que é o corpo astral.
Porque, quando vocês partem na Luz, vocês veem muito bem que esses seres, eles estão parados antes da Luz.
Mas, mesmo assim, eles vivenciaram o Amor.
Porque eles viram a verdadeira Luz.
Alguns deles vão, realmente, até a Luz, até o Sol.
Então, é claro, o Sol, ele não está em cima, no céu.
Ele está no Coração.
O seu Coração é o seu Sol.
Mas não há diferença entre o Sol que está em cima e o seu Coração.
Simplesmente, a visão da personalidade acredita que há uma localização.
 Quando vocês são o Sol, vocês estão no Coração, vocês estão no Sol, vocês estão por toda parte.
Portanto, aí, é exatamente o mesmo princípio.
O ego (a personalidade, a individualidade) sempre vai se perguntar para que isso serve: para ocuparem-se.
Será melhor se ocupar em fazer o amor do que a guerra, vocês não acham?
Mas isso fica (e isso permanece) apenas uma ocupação.

***


Pergunta: por que eu vivo os processos em curso e, ao mesmo tempo, ressurgências de mágoas antigas dando vontade de abandonar tudo?

Mas isso é perfeitamente normal.
São as últimas dúvidas e os últimos medos.
É quando a Onda da Vida, ela chega ao nível dos dois primeiros chakras.
Isso foi explicado na semana passada, eu creio.
Isso explica, perfeitamente, o que acontece.
Quando a Onda da Vida chegar aos dois primeiros chakras, vai explodir, na cara, não somente as suas feridas, mas a ferida fundamental da humanidade que é o medo da carne (o isolamento da carne): todas as máculas (reais ou supostas) às quais a humanidade, na totalidade, deu peso e corpo, em um determinado momento.
Então, é claro, o que vai lhes sussurrar o ego na Onda da Vida?
Que isso não é verídico.
Mas, obviamente porque, mesmo quando a Luz descia, o ego, ele estava aí.
Ele podia, até mesmo, desabrochar: “ah, eu vivo o efeito do Coração, eu vivo a Luz, eu vivo o Si, eu sou o Si”.
Era verdade.
Mas, a Onda da Vida, ela põe fim a todas as Ilusões.
Portanto, o que é Ilusório não tem outra solução senão dizer que isso que se vive é uma ilusão.
Esta é a última etapa, quando a Onda da Vida chegar ao nível dos dois primeiros chakras (ao nível do períneo e ao nível do umbigo).
Porque ela lhes dá a ver as últimas dúvidas, os últimos medos que não são, necessariamente, os seus (mesmo se isso os faz lembrar das feridas).
Mas é, sobretudo, a ferida fundamental da humanidade.

***


Pergunta: uma dor, mesmo antiga, ao nível do umbigo, participa desse processo?

De maneira indireta.
Porque a Onda da Vida pôde nascer, para algumas pessoas, de forma episódica, desde alguns anos.
Mas, naquela época, nenhum ser que vivenciou esta Onda da Vida pôde atualizá-la.
Pelo contrário, isso dava um sentimento de urgência, de alguma coisa contrária à espiritualidade, contrária ao Coração.
E isso foi relatado.
Obviamente, vocês podiam ter manifestações, já, desde vários anos.
Há ensinamentos (muito, muito antigos) que descrevem, aliás, o percurso da Onda da Vida.
Mas, jamais foi anunciado como isso se produz agora.
Portanto, são as últimas dúvidas, os últimos medos porque o ego (a personalidade e mesmo a individualidade), ele vai dizer-lhes que ele quer sobreviver.
Que isso não é verdade.
Que o Absoluto não pode existir.
A Unidade, sim.
Porque podemos reivindicar a Unidade, mas vocês não podem reivindicar a Onda da Vida porque é o que vocês São.
São as últimas retrações da Alma (como falou uma Estrela, na semana passada) (ndr: intervenção de MA ANANDA MOYI de 10 de março de 2012) (**).

***


Pergunta: e sobre o som da Onda da Vida?

É um som, efetivamente, também.
Vocês sabem, nos diferentes Samadhi, há diferentes sons.
O som da Onda da Vida é o som da Terra, do Céu.
São as Trombetas.
São as Trombetas e, em breve, isso será o quê?
O grito ensurdecedor da Fênix, o grito da Ressurreição: aquele que vai apreender o conjunto da humanidade.
Esses sons foram-lhes anunciados desde quase um ano.
Eles apareceram, de maneira transitória, efêmera, temporária, em alguns locais.
Se vocês se interessarem pelas notícias, vocês irão ver que esses sons estão progredindo, de maneira extremamente importante, em vocês como no exterior de vocês.
Naturalmente, a Onda da Vida foi liberada.
A Terra está liberada.
Ela está prestes a viver, neste momento mesmo, a sua Ascensão.
Então, é claro, como eu sempre disse, vocês, vocês estão na Europa Ocidental.
Vocês trabalharam intensamente para evitar todas essas etapas que os profetas tinham anunciado.
Portanto, como eu disse: regozijem-se.
Fiquem felizes.
Vocês têm toda a oportunidade e a facilidade para viver a Onda da Vida.
Vocês acham que, quando algumas dificuldades se apresentarem, se a Onda da Vida não estiver instalada (ou se ela não tiver nascido, se vocês não tiverem se aproximado), vocês acham que isso será mais simples ou mais difícil?
Eu os empenho a reler o que disse o IRMÃO K, o seu próprio testemunho sobre o acesso a este Absoluto: o indizível sofrimento.
De qualquer maneira, é mais agradável viver o Indizível Êxtase ao invés de viver, em primeiro lugar, o indizível sofrimento para descobrir o Indizível Êxtase.
É mais agradável para a personalidade.
É mais agradável para a individualidade.
Mas, para isso, é preciso aceitar nada mais fazer em meio à personalidade (pela personalidade), em meio à individualidade (pela individualidade).
Isso não significa que é preciso absolutamente nada fazer nesta vida.
Isso foi divulgado.
Em última análise, se a Onda da Vida não tiver se manifestado, isso quer dizer que vocês não estão, vocês mesmos, suficientemente alinhados com esta Onda da Vida que é, eu os lembro, nossa natureza, de todos.
Agora, foi-lhes dito ainda, desde algumas semanas (seja por UM AMIGO, seja por outros, pelo Mestre PHILIPPE): permaneçam tranquilos.
Fiquem em paz.
UM AMIGO lhes disse: “deem-se a paz”.
Todas as estratégias que vocês possam elaborar (atualmente) não são destinadas a trabalhar na Onda da Vida.
Isso é impossível.
Mas vocês podem continuar a ocupar o seu ego, a viver a Paz, a aproximar-se da Paz, a Alinhar-se, a ir para a natureza (como dizia SNOW), a caminhar no orvalho (como dizia um Arcanjo).
Vocês vivem-no, muito exatamente, no momento certo.
Lembrem-se desta frase: “os primeiros serão os últimos; os últimos serão os primeiros”.

***


Pergunta: quais são os elementos que vão entrar em resistência?

O que entra em resistência será, sempre, a personalidade e o ego.
Porque, para a personalidade, a personalidade apenas pode existir se houver um combate, se houver uma Dualidade, se houver um objetivo, se houver necessidade (para o ego, sempre) de restabelecer a Verdade.
Porque o ego vai, sempre, projetar no exterior.
Então, o ego vai acreditar que há um deus malvado, um deus bom, um diabo, para justificar suas próprias insuficiências e, portanto, sua própria luta contra ele mesmo.
Mas, tudo isso não existe.
Isso é infantil.
Mas o ego é infantil por Essência.
Portanto, há elementos humanos e não humanos, ou seja, todas as egrégora que foram pesando, tudo o que se tornou pesado: o medo, o medo da falta, a noção de dinheiro, a noção de propriedade, a noção de marido e mulher (mesmo na união a mais perfeita, isso permanece uma união da personalidade, não é?, e de dois corpos).
Não há Liberdade aí dentro.
Portanto, esses elementos humanos e não humanos vão se opor, ferozmente (até o último minuto), à Onda da Vida.
Isso é lógico.
A sua própria existência é apenas a negação da Onda da Vida que, no entanto, não pode ser negada porque, se a Onda da Vida não estivesse aí (mesmo um traço), ninguém poderia experimentar o que quer que seja.
Mas, a experiência não é a Onda da Vida.
Vão, dois últimos.
Depois eu vou, hein?

***


Pergunta: a noção de primeiros e de últimos está ligada ao ciclo de 52.000 anos?

Primeiros e últimos é uma noção de Consciência.
Obviamente, é uma noção temporal, também.
É uma noção de preeminência (superior / inferior).
Agora, em relação a 52.000 anos, é um ciclo que termina, um ciclo que foi iniciado pelos Elohim, ou seja, esses Seres (essas Consciências superiores) que se cristalizaram na Terra para evitar que não morresse o quê?
A Onda da Vida.
Ela podia não morrer, mas ela podia, até, fazê-los sofrer.
Do mesmo modo que, desde as Núpcias Celestes (e, antes, desde aqueles que viviam, já, as primeiras descidas da Luz, nos anos 90), vocês Ancoraram a Luz: vocês iluminaram a Terra.
Lembrem-se: o karma pertence à personalidade, à ação / reação, à Dualidade.
Além disso, há a Unidade onde tomamos Consciência, no Si, de que tudo isso é apenas uma grande farsa (para empregar uma palavra simples).
E depois, vocês têm o quê?
O Absoluto.
E quando eu digo depois, isso não é depois.
Isso sempre esteve aí.
É um outro olhar.
No Absoluto, tudo é perfeito.
É aquele que sai da matriz e que se apercebe de que ele estava confinado em um frasco (no frasco onde havia os amendoins, vocês se lembram: a mão que segura os amendoins, para aqueles que me leem).
É exatamente a mesma coisa.
Mas, é claro, enquanto vocês não tiverem saído do frasco, para vocês, é a única realidade.
A Onda da Vida vem fazê-los lembrar.
A FONTE disse: “lembre-se do Juramento e da Promessa”.
A Terra lhes disse: “lembre-se do que você é, desde toda Eternidade: a Vida, a Onda da Vida, a Ação da Graça”.
Ação / reação, na personalidade.
Descoberta da Unidade, no Si.
E passagem da ação / reação para a Ação da Graça.
E, em seguida, vocês são a Ação da Graça, a Onda da Graça, a Onda da Vida, a Onda do Éter, o Manto Azul da Graça.
Vocês são este Êxtase permanente.
Vocês são esta União permanente, mística.
Vocês são este Casamento Místico.
Vocês não são nada mais.
Mas se eu lhes dissesse isso, à queima-roupa, ao chegar: “vocês são isso”, não haveria mais ninguém para escutar o que eu tenha a dizer.
Simplesmente, agora, aqueles de vocês que o vivenciaram, através de uma série de processos (mesmo se isso foi desconcertante, nas primeiras semanas), esta é, efetivamente, a única Verdade.
O ser humano que não estiver habituado vai encontrar-se a fazer o quê?
A viver um estado de prazer como se ele fizesse amor, muito mais intensamente.
Evidentemente, ele nada vai compreender.
Isso acontece o tempo todo, em qualquer circunstância.
Vocês falam que é aborrecido, efetivamente, cumprimentar o seu chefe, pela manhã, no escritório.
Isso soa um pouco estranho, não é?: de sacudir uma mão e de sentir algo que os leva a outros lugares que aí onde vocês sacodem a mão.
Isso faz interrogar.
Mas, dentro de algumas semanas, vocês irão rir de tudo isso, mesmo se, por enquanto, vocês riem amarelo.

***


Nós não temos mais perguntas. Nós lhe agradecemos.

***


Então, caros Amigos, caros Irmãos, eu lhes transmito todas as minhas Bênçãos.
Vocês são o Amor.
Vocês nada mais são.
Então, sorriem.
Não amarelo.
Branco.
Eu lhes digo até muito em breve e boa Onda.
Até muito em breve.



************


(*) – IRMÃO K (07.07.2011)
*

(**) – MA ANANDA MOYI (10.03.2012)

***


Mensagem do Venerável OMRAAM (Aïvanhov) no site francês:
24 de março de 2012
(Publicado em 26 de março de 2012)

***


Tradução para o português: Zulma Peixinho


************


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário