ANAEL - 14-02-2012 - AUTRES DIMENSIONS

Clique aqui para comentar esta publicação






Eu sou ANAEL, Arcanjo.

Bem amados Filhos da Luz e bem amadas Sementes de Estrelas, que a Graça e o Manto de MARIA estejam em vocês.
Eu saúdo vocês.
Eu venho, neste espaço, acompanhado de outros Arcanjos a fim de estabelecer a Graça.
Eu falarei sobre uma série de elementos referentes a esse Manto Azul da Graça, sem, no entanto, alterar as prerrogativas de MA ANANDA MOYI, expressando-lhes, de maneira muito mais específica, isso ao que corresponde esse Manto da Graça, e o que pode ser esperado. 
Eu venho, em um primeiro momento, a fim de responder às suas interrogações e questionamentos com relação a todas as coisas.
Eu irei exprimir, se suas perguntas me permitirem, certo número de elementos que, talvez, estejam prestes a ser vivenciados ou estarão para viver, por vocês mesmos, no que eu denominaria um ‘face a face’.
Esse face a face é o face a face da Luz ou do que eu chamaria de Si Luz, por oposição ao que eu denominaria o Eu da personalidade ou o Eu - Sombra.
O que está em jogo, hoje, não é mais, somente, uma iluminação de algumas Sombras, mas, bem mais, o posicionamento da sua Consciência em meio ao Estado de Ser ou em meio à personalidade.
E, isso, em última análise, quanto às suas orientações, quanto às suas Vibrações, e quanto ao estado de quem vocês são.
Nós podemos, se vocês o desejarem, começar a responder às suas perguntas.

***


Pergunta: por que a Luz parece, às vezes, aumentar as manifestações da Sombra?

Bem amada, existe, em meio ao que eu acabo já de enunciar, a própria característica do que é visto, vivenciado por alguns ou por outros.
Na realidade, durante este período, pela adição do Manto Azul da Graça, foi-lhes dado o conjunto dos elementos (que isso seja através dos ensinamentos progressivos que nós realizamos juntos, para aqueles de vocês que seguiram o que nós dissemos) a fim de levá-los a esta Porta Estreita que alguns de vocês começam a passar, que outros, entre vocês, temem passar.
Esta Porta Estreita, como vocês sabem, representa o Abandono Final de tudo o que constitui a personalidade Ilusória, ou seja, tanto esse corpo, como suas emoções, como seu mental, como seus apegos, como suas crenças, em resumo, tudo o que é efêmero, por oposição ao que é eterno, ou seja, sua Dimensão de Sementes de Estrelas.
Ninguém pode penetrar o Reino dos Céus se não se tornar, de novo, como uma criança.
Através desta Porta, alguns seres percebem, de maneira Interior, de hoje em diante (não mais pela Visão Etérea, não mais pela Visão do Coração, não mais pela percepção, mas, diretamente, na Consciência), algumas manifestações.
Algumas dessas manifestações vêm se opor à realidade do que é dado a ver, à realidade do que é apresentado por seus Irmãos e Irmãs.
Portanto, isso pode induzir certa forma de desequilíbrio.
Hoje, nenhum de vocês pode enganar.
Nenhum de vocês pode escapar.
Aonde vocês querem ir?
O que acontece em vocês corresponde à estrita Verdade do estabelecimento da Presença (ou do não estabelecimento da Presença) em meio à sua manifestação sobre este mundo.
Portanto, nós concebemos, perfeitamente, nós, Arcanjos, que isso possa ser, nos primeiros momentos, um processo desestabilizador de aperceber-se de que há uma distância (por vezes, incomensurável) entre a personalidade e o Estado de Ser.
Isso os remete a elementos que lhes foram comunicados (desde, já, numerosos meses, ou até mesmo numerosos anos) com relação ao Abandono à Luz e, sobretudo, à noção de Autonomia e de Liberdade.
O que é Autonomia?
O que é Livre?
Certamente, não a personalidade.
Certamente, não o efêmero, mas, simplesmente, a Eternidade.
Hoje, mais do que nunca, cada dia que os aproxima de acontecimentos cósmicos e terrestres, ligados à Dissolução em meio à Luz, leva-os a posicionarem-se.
Alguns de vocês têm a capacidade para ver além das aparências, para ver além do que é dado pela Visão do Coração, para ver além da própria Unidade, na própria Essência da manifestação de quem vocês São: nisso se encontra, às vezes, elementos problemáticos.
E o que é observado no exterior (lembrem-se) acontece, também, no Interior de vocês.
Isso os coloca frente à sua responsabilidade individual, e não pessoal, levando-os a reajustar, mais rapidamente, o que deve sê-lo.
O Estado de Ser não conhece qualquer desejo.
O Estado de Ser não conhece qualquer paixão.
O Estado de Ser não conhece qualquer falha.
O Estado de Ser não conhece quaisquer inclinações da personalidade.
Através do Manto da Graça é-lhes dada a Graça de viver a Luz.
Viver a Luz permite-lhes tornar-se a Luz, na condição, não de se desviar do que faz as inclinações da personalidade, mas, sim, de transcendê-las.
Lembrem-se: o Estado de Ser não tem qualquer desejo, o Estado de Ser não tem qualquer vontade pessoal.
O estado de Ser é.
Em meio a este Ser e em meio a esta Presença, não podem subsistir quaisquer falhas da personalidade.

***


Pergunta: o que fazer em relação às falhas observadas em nossa personalidade no cotidiano?

O importante é observá-las.
A segunda etapa, bem amados, consiste em não nutri-las.
Ora, vocês nutrem a menor de suas falhas, doravante, assim que sua Consciência se focar nisso.
Busquem o Reino dos Céus e o resto ser-lhes-á dado de acréscimo.
Vocês não são esta personalidade.
Vocês não são este corpo.
Vocês não são suas emoções.
Vocês não são seus pensamentos.
Vocês não são suas crenças.
Com o que vocês são confrontados (como observador ou em sofrimento) corresponde, estritamente, não ao que há para fazer, mas, estritamente, ao que há para Ser, a fim de não mais parecer.

***


Pergunta: como superar as resistências que nós sentimos em nós?

Bem amada, minha resposta será sobreposta àquela que eu acabei de dar.
Não é mais tempo de querer fazer.
É, simplesmente, tempo de vestir-se com o Manto da Graça e deixar esta Graça trabalhar.
Porque a Graça é a sua Essência.
Porque a Graça é a sua natureza.
Tudo depende do ponto de vista.
Enquanto você observa, do lado da personalidade, suas próprias resistências e suas próprias falhas, isso, em última análise, significa apenas uma coisa: é que a sua Consciência está instalada em meio à personalidade.
A partir do momento em que a Consciência se instala em meio ao Estado de Ser, tudo o que pareceria como Sombra, como resistência ou como falha, desaparece instantaneamente.
Isso não é algo a fazer.
Isso não é um trabalho.
É exatamente o oposto, de hoje em diante.
Essas falhas, elas não são mais, como dizia o Comandante (ndr: O.M. AÏVANHOV), para colocar sob o tapete ou para serem iluminadas: elas têm, simplesmente, elas também, que ser abandonadas, como vetor da Ilusão e como motor da sua própria personalidade.
Sem culpa, sem arrependimento, mas, com firmeza.

***


Pergunta: a que corresponde a sensação de Fogo vivenciada durante a Presença?

Bem amada, a Presença é Fogo.
Esse Fogo é aquele que permite a Dissolução total da personalidade, de suas crenças, de seus desejos e de suas Ilusões.
O Fogo é, às vezes, a natureza e a Essência da sua Presença.
O Fogo é o elemento purificador vindo pôr fim, na totalidade, à Ilusão.
Viver o Fogo é viver a Liberação.
Viver o Fogo é tornar-se Livre e Autônomo.
Não há alternativa.
Todo o resto faz apenas manter a Ilusão da personalidade, a Ilusão de um fazer, a Ilusão de uma ação que é apenas, por Essência, reação.
Os mecanismos do Manto da Graça, como isso que irá se desenrolar dentro de pouco tempo, é a chegada do Fogo neste mundo.
Esse Fogo é um Fogo de Amor e de Luz.
Obviamente, a personalidade não pode considerar desta maneira porque ela foi construída, justamente, na ausência de Fogo e, unicamente, nesta ausência de Fogo: o Fogo é o elemento Liberador, por Essência.
Viver o Fogo corresponde à Passagem da Porta Estreita.
Esses mecanismos (ou, de preferência, essas experiências) vão se fortalecer e aumentar (em seus momentos de Presença, em seus momentos de Alinhamento) até um momento em que esse Fogo irá se tornar permanente, em vocês, permitindo, então, de assentar-se na Alegria da sua Eternidade, na Alegria da sua Presença.
Naquele momento, vocês irão constatar, por vocês mesmos, que não pode mais existir, nem falhas, nem Sombras, nem resistências, porque, naquele momento, vocês terão se tornado a Eternidade.
O Fogo do Éter corresponde ao Fogo do Céu.
É aquele manifestado, também, pela Terra, através de seus Sons, de sua lava e de sua expansão, que corresponde, muito precisamente, à sua própria expansão, à sua própria Dissolução de tudo o que é efêmero a fim de instalarem-se em sua Presença.
Não pode ali ter acesso ao Ser, à Presença, sem o Fogo.

***


Pergunta: o sopro (ou a respiração) pode nos ajudar?

Bem amada, o sopro destina-se a atiçar o Fogo.
A respiração é aquela que poderia ser chamada de respiração consciente, ou seja, o momento em que a Consciência se coloca no próprio sopro e em nada mais (qualquer que seja esse sopro).
O importante não é mais a localização, no corpo, do sopro, nem seu ritmo, nem sua frequência, nem sua amplitude, mas, sim, tornar-se lúcido desta respiração que, como isso foi dito, desde muito tempo, por SRI AUROBINDO, irá se instalar no Coração (ndr: canalização de 17 de fevereiro de 2010, na coluna “mensagem a ler”) (*).
A respiração do ar, passando pelos pulmões, irá se tornar a respiração do Coração e irá abrasar o Coração que, por sua vez, irá abrasar a personalidade, para o que resta de desejos, para o que resta de emoções, de crenças, de erros, se tal for o seu caminho.

***


Pergunta: como contatar este outro espaço que não está ou não é mais a nossa personalidade?

Bem amada, isso corresponde, totalmente, aí também, ao que eu chamo de aplicação do face a face que não é mais, propriamente falando, um confronto, mas, sim, um ‘face a face’ entre o Si - Luz e o Eu - Sombra.
Tomar Consciência do que atua nesse nível é, já, uma etapa importante, a fim de não rejeitar esta parte nova que se instala, de maneira definitiva, que é, de fato, a única Verdade de quem vocês São.
Para isso, há necessidade de identificação dessas duas partes.
Isso corresponde, exatamente, à ação do Manto Azul da Graça.
Nada há a fazer.
Há, apenas, que Ser.
A partir do momento em que alguma ação da personalidade, doravante, quisesse agir sobre o que você iria se opor, isso a reforçaria de maneira inexorável.
Não há, então, efetivamente, estritamente nada a fazer, mas, de preferência, deixar fazer.
Isso conecta, ainda uma vez, à Autonomia e à Liberdade.
Isso conecta, ainda uma vez, ao princípio de Abandono à Luz.

***


Pergunta: é útil alertar uma pessoa sobre aspectos da sua personalidade?

Bem amada, o que é visto no Interior, se é dado no exterior, do mesmo modo, irá reforçá-lo, não nele, mas no exterior dele.
Esse trabalho (se o podemos nomear assim) consiste, simplesmente, para cada Consciência recoberta com o Manto Azul da Graça (a partir do momento em que isso tiver sido ativado pela terceira vez, correspondendo, então, a essa 5ª-feira), em decidir, com lucidez, Clareza e Precisão, se ela se estabelece em sua Profundez, ou seja, no Estado CRISTO, ou se ela persiste em manter a personalidade (seus desejos, quaisquer que sejam, e todos os seus apegos).
Esse mecanismo irá se desenrolar sem nada fazer.
Cada um, para aceder à Autonomia e à Liberdade, para aceder à Eternidade, deve viver sua responsabilidade.
Nós não podemos mais, quanto a nós, agir em relação a isso porque, como isso foi dito, há apenas vocês, e vocês sozinhos, que podem passar a Porta Estreita.
Nenhuma técnica, nenhuma ação da própria personalidade, fará passar a Porta.
Enquanto vocês estão identificados a uma das parcelas da sua personalidade (qualquer que seja a expressão de desejo, de frustração, de ódio, de falta, ou do que quer que seja) vocês não podem realizar essa Passagem porque isso não é vocês que o realizam.
Mas, justamente, a partir do momento em que vocês se apreendem de que vocês não são nada de todos os seus desejos, nada de todas as suas emoções, isso corresponde ao que tinha dito a pessoa anterior com relação às duas partes: há, efetivamente, duas partes e dois caminhos, e não um terceiro.
É muito importante, não definir, ou redefinir, mas estar conscientes disso ao que vocês estão apegados.
Qualquer que seja a Luz presente em meio à Alma, a Liberação deste plano acontece, de maneira mais ou menos fácil e evidente, conforme a presença, ou não de apegos (qualquer que seja este apego).
O apego (que seja a uma pessoa, a um corpo, a um desejo, ao que quer que seja pertencente à personalidade) será, no momento oportuno, um obstáculo ao estabelecimento em meio ao Estado de Ser.
É nesse sentido que o Manto da Graça, que lhes foi proposto, é um meio de viver isso, de maneira serena, eu diria, por antecipação.
Os estados de Comunhão, de Fusão, de Dissolução ou de deslocalização da sua própria Consciência, são, de algum modo, experiências e um aprendizado, permitindo ver as duas partes em vocês: a parte efêmera (e ilusória) e a parte Eterna.
Cabe a vocês saber: onde vocês estão?
Outras frases, correspondendo a isso, foram ditas (pronunciadas e inscritas em seus Livros) pelo próprio CRISTO.
Por exemplo: “deixe os mortos enterrarem os mortos”.
Isso não quer dizer não se ocupar dos seus Irmãos.
Isso quer dizer, simplesmente, deixar morrer, em vocês, o que não é vocês: em primeiro lugar, o conjunto dos apegos (quaisquer que sejam).
No momento da Passagem (qualquer que seja o seu futuro), o que não estiver iluminado, o que não estiver apagado, transmutado e transformado, será resistência.
Vocês têm a oportunidade, por intermédio do Manto Azul da Graça, de ver as duas partes.
Ninguém poderá dizer que não sabia.
Suas Vestimentas vão ser, em breve, lavadas no Sangue do Cordeiro.
O retorno de CRISTO (ou KI-RIS-TI) corresponde a isso.
O que eu posso acrescentar é: “vão para o essencial”.
Não há outras maneiras de perceber quem vocês São em meio à sua Presença.
É nesse sentido que lhes é dada a Graça de ver (de perceber) as partes de vocês.
Não para combater, doravante, porque não é mais tempo de combater, mas, bem mais, de se estabelecerem, vocês mesmos, na Graça.
Quanto melhor e mais vocês penetrarem em seu Alinhamento e em sua Presença, melhor vocês poderão assumir a responsabilidade de quem vocês São, na condição, entretanto, de não se aproveitar desses Alinhamentos e de suas Interioridades para nutrir, incansavelmente, a personalidade.
Coloquem-se a questão: o que é importante?
Qual é o seu objetivo?
Qual é a sua finalidade?
A Luz poderá, cada vez menos, ser compatível com a personalidade.
O que vem é um Nascimento (ou, de preferência, um Renascimento), uma Ressurreição: a lagarta se torna Borboleta.
Será que a Borboleta tem algo a fazer com a manutenção de uma lagarta?
É tempo, agora, de não mais ser ambíguo, de não mais dar-se um álibi ou, então, de fazer outras escolhas.
Como lhes disse e repetiu MARIA: o Manto Azul da Graça é a última etapa final, permitindo-lhes ressuscitar.
Vocês estão liberados, ou vocês não estão liberados da sua própria personalidade?
Vocês têm respondido ao apelo da Luz?
Vocês se tornaram Luz?
Vocês passaram a Porta?
Vocês realizaram o Si?
Vocês realizaram a eternidade, antes do momento coletivo?
A partir do momento em que o Si é totalmente revelado, a partir do momento em que você penetrou sua Eternidade, mesmo se este corpo está presente, as coisas serão, então, diferentes porque não existe, naquele momento, qualquer resistência, qualquer falha, qualquer sombra.
O Ser, naquele momento, tornar-se Livre e Autônomo, mas não antes.

***


Pergunta: assistir a filmes nos traz de volta à Dualidade?

Bem amado, como eu tive a ocasião de dizê-lo, com relação às imagens e à informática, desde que o olhar se volta para o exterior, há, obrigatoriamente, Dualidade.
Isso é inexorável porque o eixo da falsificação está fundamentado, justamente, no eixo ATRAÇÃO / VISÃO.
A Visão, tudo o que seduz pelo olho, a satisfação de um prazer pelo olho, é a pior das armadilhas que existe.
O filme conta uma história para você, esta história é falsa.
Ela exercita, então, sua Alma, sua psique, seu corpo emocional, seus corpos ilusórios para manter-se em meio à Ilusão, quer você queira ou não, quer você tenha a impressão ou não.
É o mesmo para todos os vícios, quaisquer que sejam, sem qualquer exceção.
Não há acordo possível com a Luz: é a Luz ou a personalidade.
Os tempos de ajustamento, correspondentes à ignição das Lareiras, às Vibrações, à ativação dos Novos Corpos, terminou.
Compreendam bem que não há qualquer julgamento nisso que eu digo, porque cada um de vocês é totalmente livre e amado da mesma maneira, onde quer que vá.

***


Pergunta: como fazer para parar um vício, sem colocar um ato voluntário?

Naturalmente, isso não deve ser um problema de vontade porque, se for uma vontade, isso é, efetivamente, uma coação.
Enquanto a sua Consciência estiver projetada em um desejo, em uma imagem, em uma projeção, qualquer que seja, você não pode estar centrado nem alinhado em si mesmo.
É a personalidade que fará crer, indefinidamente, que você tem todos os direitos, todas as possibilidades, enquanto permanecendo na Luz.
Mas em qual Luz?
Aquela do ego e não aquela do que você É.
Agora, se o seu Ser prefere o prazer da imagem à Luz, isso é a sua escolha, ela é respeitável, mas isso não pode, em caso algum, ser os dois, por razões que são independentes da sua vontade, correspondendo, aí também, às palavras de CRISTO: “que te seja feito segundo a tua fé”.
E Ele dizia bem “tua fé” e não “tuas crenças”, ou seja, o estado Interior de tensão para a Luz na qual você está.
Você não pode tender para a Luz e tender para a imagem.
Você não pode tender para a Luz e tender para um vício.
É impossível.
Ainda mais agora.

***


Pergunta: o que acontece em se “divertir”?

Bem amado, divertir-se não é viver a Alegria.
Cabe a você, aí também, saber.
Você quer se divertir ou você quer estar na Alegria?
Divertir-se é o oposto de estar na Alegria porque o prazer, por Essência, é efêmero e ele necessita de uma reprodução, qualquer que seja esse prazer, resultado tão lógico na encarnação.
Mas vocês não estão mais na encarnação, mesmo se sua Consciência não tem ainda, totalmente, percebido.  

***


Pergunta: o que significa “não se aproveitar do Alinhamento para nutrir a personalidade”.
 
Bem amada, isso faz parte da diferença do que foi explicado, muito longamente, pelo IRMÃO K, referente ao fogo do ego e o Fogo da Luz (ndr: canalizações de 07 de julho de 2011 e de 03 de dezembro de 2011, na coluna “mensagens a ler”) (**).
O fogo do ego é a Ilusão da Luz.
O ego se nutre também, é claro, de Luz, mas ele transforma a Luz em avidez, em desejo, em prazeres e dá uma iluminação do mental, mas não permite o acesso ao Si.
Dessa maneira, então, a Luz Vibral pode, perfeitamente, ser desviada para o ego.
Isso se chama o fogo do ego, dando a Ilusão espiritual.
Os processos Vibratórios e do fogo são, então, transferidos ao nível do que foi nomeado os corpos de desejo, ou o corpo emocional, ou o corpo mental, e não nutre a Essência de quem você É (ou seja, o Si ou a sua Presença), mas nutre o complexo inferior.
Não se esqueçam jamais de que a personalidade irá encontrar sempre boas razões.
Ela também, ela tem suas responsabilidade para afastá-los da Luz.
É, aliás, seu papel e sua função.

***


Nós não temos mais perguntas, nós lhe agradecemos.

***


Bem amados Filhos da Luz, bem amadas Sementes de Estrelas, eu disse o suficiente com relação ao Manto Azul da Graça.
Dentro de poucos dias, MA ANANDA MOYI irá lhes dar elementos referentes à sua vivência, em ressonância direta com esse Manto Azul da Graça e irá entrar nos detalhes sobre localização, função e efeitos obtidos, muito mais avançados do que eu pude dizer esta noite.
 Apreendam-se bem desta última frase de CRISTO: “ninguém pode servir dois mestres ao mesmo tempo”.
E, quem é o mestre nesse momento, em sua manifestação?
São suas falhas?
São suas sombras?
São seus desejos?
Ou é a Luz?
Além disso, enquanto Arcanjo da Relação e da Comunicação, revestido com o mesmo Manto Azul que MARIA e MIGUEL, eu lhes proponho viver um momento de Graça, de Comunhão, em meio ao Manto Azul da Graça.
E eu posso, já, dizer-lhes: “Bem-vindos na Eternidade”.
Até breve.

... Efusão Vibratória / Comunhão ...



************


(*) – SRI AUROBINDO (17.02.2010)
*

(**) – Mensagens no IRMÃO K (2011)

***


Mensagem do Bem Amado ARCANJO ANAEL no site francês:
14 de fevereiro de 2012
(Publicado em 15 de fevereiro de 2012)

***


Tradução para o português: Zulma Peixinho


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário