Maria - 17 de dezembro de 2011

Clique aqui para comentar esta publicação







Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.
Filhos bem amados, rendamos Graças, juntos, à nossa Comunhão.

Eu venho, neste tempo e neste espaço, a fim de avançarmos juntos, para sua Consciência.
Avançarmos juntos, para esta Liberdade, esta Liberação.
Desde muito tempo, meu Filho lhes disse que vocês não eram deste mundo.
Desde muito tempo, Ele lhes disse que foi prometido para vocês, de algum modo, uma vida Eterna.
De qual vida Ele queria falar?
Da verdadeira Vida: aquela que não é efêmera.
Aquela que não se inscreve entre um nascimento e uma morte.
Aquela que não se inscreve, absolutamente, em um sofrimento, em uma falta, em um medo.
Ele lhes falou de uma vida que não é limitada, onde não existe qualquer medo.
De uma vida que não é condicionada pelo que quer que seja ou por quem quer que seja.
Vocês pensam, realmente, que esse seja o caso, em sua vida, hoje?
Mesmo se muitos, entre vocês, vivem estados particulares da Consciência, permitindo-lhes, às vezes, aproximar-se e viver estados não ordinários.

***


Os Anciãos lhes falaram, longamente, sobre este estado particular do Ser quando se alcança um outro estado.
Eu não voltarei sobre isso.
O que eu quero dizer-lhes, simplesmente, é que, doravante, vocês terão a possibilidade de viver, sempre cada vez mais numerosos, cada vez de maneira mais intensa, esses estados que vocês saem do ordinário de sua vida e que, no entanto, não são tão extraordinários assim.
Mas que os levam, simplesmente, a conscientizar, sempre mais, o que vocês são: Seres de Amor, Seres de Paz, Seres de Verdade, Ancoradores de Luz, Semeadores de Luz, que, admitam-no, não tem grande coisa a ver com as próprias condições, hoje, deste mundo sobre o qual vocês estão.

***


O que se abre a vocês não é mais realmente uma Passagem, mas uma Comunhão.
E este estado de Comunhão com a verdadeira Vida, quaisquer que sejam os Portadores, entre vocês, aqui, ou entre nós, ou em meio mesmo à Luz, sem mais qualquer possibilidade de existência pessoal, tudo isso contribui para fazê-los descobrir o estado real e verídico do que vocês são.
Bem longe das contingências do mundo onde vocês estão.
Bem longe de qualquer imagem, de qualquer projeção.

***


Seus espaços de Alinhamento e de Comunhão levaram-nos, cada um ao seu ritmo, a aproximar-se, em Verdade, do que vocês são.
Isso, vocês o vivem, todos, de uma maneira ou de outra, quaisquer que sejam as palavras que vocês emitiram para portar sua vivência nova, quaisquer que sejam as palavras que puderam empregar as Estrelas, ou os Anciãos, ou os Arcanjos, elas permanecerão apenas palavras.
Porque vocês sabem bem que, o que é o mais importante, não é tanto fazer a experiência disso, mas Ser isso.
E isso está prestes a concretizar-se, a conscientizar-se, aqui mesmo, sobre este mundo.

***


A verdadeira Vida, que põe fim ao efêmero, e, portanto, ao sofrimento (a verdadeira Vida, não aquela que eu criei nesse corpo, mas aquela que é a sua de toda Eternidade, bem antes da sua presença sobre esta Terra), deve revelar-se, agora.
O desdobramento da Luz permite ajudá-los a revelar-se, à visão do Coração, de revelar-se e, então, dá-lhes a viver a Verdade do que vocês São.
Mesmo se vocês nem sempre têm os elementos permitindo-lhes, em consciência, viver a totalidade do que é revelado e vivenciado, o que importa.
Vocês conhecem os efeitos em vocês mesmos, não, talvez, em suas circunstâncias de vida, mas, sobretudo, em seu Ser Interior, no que isso criou em vocês, como estado, como Alegria, como Verdade.
É a única maneira de sair da Ilusão.
Não há outra.
É a única maneira de tornar-se Livre, por vocês mesmos.

***


Lembrem-se de que as civilizações passam, sobre esta Terra.
Existem vários vestígios, conhecidos e ainda desconhecidos, daqueles que os precederam.
Mas aqueles que os precederam nada são senão vocês mesmos, em outros momentos, confinados no tempo e na Ilusão da vida, aqui embaixo.

***


Hoje, vocês descobrem, para muitos, que o verdadeiro mundo não é esta projeção da consciência.
Que a verdadeira Vida não é este sofrimento, esta falta e estas dores.
Que existe um espaço fora do espaço, e um tempo fora do tempo, onde vocês têm acesso ao que vocês são: à sua Essência.
Muitas coisas foram iluminadas, por vocês mesmos.
Cada um de vocês percorreu o que tinha a percorrer.
Hoje, resta-nos agora, juntos, Comungar ainda mais, de maneira mais intensa, e, sobretudo, mais longamente.
Contribuindo, de alguma forma, para apoiar a Terra que os carrega, a fim de ajudá-la em sua própria Passagem.

***


Vocês se lembram, no ano passado, de que o Arcanjo URIEL, àquela época, falou-lhes sobre uma primeira Passagem.
Pouco tempo depois, foram realizadas as Fusões dos Éteres, em seus Céus, depois em seus corpos.
O Comandante dos Anciãos disse-lhes que tudo estava consumado, para a Consciência.
E que era apenas um detalhe temporal de atualização da Vida Eterna.
Isso está em andamento.
E isso acontece, desde este instante, em vocês, se vocês aceitam largar todas as suas bagagens, tudo o que não é vocês, tudo o que os tornou mais pesados.
Isso não é um sonho, porque vocês fazem a experiência, cada vez mais frequentemente.
Passar de uma realidade à Verdade pode, por vezes, ocorrer em um instante, em um piscar de olho.
Mas ninguém sabe se este piscar de olho ou este instante seja oriundo de muitas vidas buscando a Essência.
Para a maior parte de vocês, foi-lhe dado, durante esses anos, ir, passo a passo, para o seu Coração.
Nós, umas e outras, uns e outros, os guiamos, através das Vibrações desta transformação que ocorre na carne que vocês habitam.

***


Hoje, a Consciência encontra-se, cada vez mais, e vai se encontrar, cada vez mais, não localizada, neste corpo, nesta vida ou em outra vida.
Mas, cada vez mais, a Consciência vai se expandir, até alcançar estados de Graça, tais como os vivenciou, durante sua vida, minha Irmã GEMMA (ndr: GEMMA GALGANI) ou, ainda, o que lhes descreveu HILDEGARDA (ndr: HILDEGARDA DE BINGEN), ou outras Estrelas, outras Irmãs.
Por isso, hoje, mais do que nunca, é claro, este mundo vai buscar, de uma maneira ou de outra, mantê-los na resistência, na luta, na oposição.
Ora, vocês sabem, agora, que a Consciência não tem de se opor.
Que a Consciência é Vida e que ela não está vinculada ao que quer que seja, deste mundo.
E, no entanto, vocês estão sobre este mundo.

***


Então, nós iremos, juntos, o conjunto de minhas Embarcações, o conjunto de minhas Irmãs, nesses espaços unidimensionais onde nós estamos, que são multidimensionais e unidimensionais, porque eles não estão limitados e confinados.
Assim como todas as Consciências Livres, não submissas a qualquer confinamento, estamos, agora, muito perto de vocês.
Muitos de vocês nos percebem, de diferentes maneiras, confirmando, assim, que os Véus que separavam, não estão tão fechados quanto antes.
Dando-lhes a viver esta não-localização do que vocês são.
Permitindo-lhes aceder a algo que nada mais tem a ver com o que pode se apresentar, ou ser apresentado, na superfície deste mundo.

***


Isso não deve confundi-los porque, lembrem-se de que, se vocês são Luz, a Luz é Inteligência e de que esta Inteligência, que é a sua, não está subordinada a qualquer mental, a qualquer compreensão, a qualquer desejo, mas é, simplesmente, um estado de Ser: um estado de Ser onde tudo é perfeito.
Tudo isso, vocês estão, ainda uma vez, meus Filhos, uns e outros, prestes a conscientizá-lo, à sua maneira, porque isso é sua Liberdade e isso é sua Liberação.
O que nós desejamos, simplesmente, é reunirmo-nos na Comunhão.
E nós iremos efetuar isso durante este período: a cada semana, no mesmo dia, na mesma hora, do mesmo modo que hoje.
Para, ao mesmo tempo fortalecer nossa Comunhão e, sobretudo, entre todos nós, começar a viver esta Fusão e esta Dissolução da Consciência, em sua natureza profunda onde vocês poderão verificar, por vocês mesmos, que nós somos todos Um, que não há distância, nem separação entre cada um (cada Um) de nós.

***


Quaisquer que sejam as palavras que eu use para vocês, eu me dirijo bem além desta noção de filiação ou de Criadora.
Eu me dirijo a todas as Consciências em via de Liberdade sobre esta Terra.
No Amor (vocês sabem) e na Luz, nada há a temer porque, neste estado, não há faltas, não há sofrimentos, não há medos.
Não há, sobretudo, nem passado, nem amanhã, porque tudo está inscrito no Eterno e na Eternidade do Presente.
É este Presente que nós iremos oferecer-lhes, uns e outros.
Dessa maneira, durante as próximas quatro semanas, eu voltarei, então, aos sábados, depois do seu Espaço de Alinhamentos e do nosso espaço conjunto de Comunhão, a fim de entregar, também, algumas palavras, mas definindo para vocês, desde já, esses objetivos que estão ao alcance do seu Coração, que é viver a experiência que os libertará, definitivamente, e que irá devolver (mesmo sobre este mundo) sua Liberdade total.
Ou seja, não mais serem tributários, nem de um corpo, nem de um tempo, nem de um espaço.

***


Então, é claro, cada um de vocês irá viver ao seu ritmo e à sua maneira.
As palavras que poderão ser colocadas nesses estados da Consciência (ou que poderão ser descritas), serão, é claro, profundamente diferentes segundo, ainda, o olhar da pessoa que os habita.
Esta tomada de consciência é, eu diria, desejável e salutar, não para vocês, mas eu penso, sobretudo, para o conjunto dos meus Filhos.
Eu penso no conjunto dos nossos Irmãos e Irmãs que não tiveram, ainda, a oportunidade (pelo medo, pela resistência ou por uma razão que lhes é própria) de viver o que vocês têm vivenciado.
É a todos aqueles que é preciso se dirigir a fim de que, todos (além dos momentos de Graça e de Comunhão que vocês conhecem), eles possam colocar-se, também, a questão essencial: “quem são eles?”.
A partir do momento em que a Consciência coloca a questão do que Ela é (principalmente no estado atual deste mundo), é dado um passo enorme em direção à Liberdade e à Liberação.

***


Deste modo, passado a primeira etapa do Alinhamento (das 19h00 às 19h30 [das 16h00 às 16h30 – hora de Brasília; das 18h00 às 18h30 – hora de Lisboa]), eu estarei, com vocês, em Comunhão.
Mas, sua Comunhão irá se dirigir ao conjunto da Terra e ao conjunto das Consciências separadas e fragmentadas.
Não busquem personalizar esta Comunhão.
Esta Comunhão deve conduzir à Fusão e, portanto, ela não tem de ser pessoal nem personalizada.
A Luz é Inteligência.
Comunguem, com quem vocês são, com a Luz, e deixem a Luz Comungar com o conjunto das Consciências.
Nós iremos realizar isso, das 19h30 às 20h00 [das 16h30 às 17h00 – hora de Brasília; das 18h30 às 19h00 – hora de Lisboa] e, em seguida, às 20 horas do seu tempo terrestre (ndr: hora francesa no relógio), eu irei pronunciar (se for necessário) algumas palavras, convidando-os, sempre mais, à Liberdade, à Liberação, ao Amor e à Luz, porque elas são sinônimos.
Não pode haver Amor sem Liberdade.
Não pode haver Luz sem Liberação.
Tudo isso está em andamento.
Vocês estão prestes a viver, cada um ao seu modo, de maneira individual, sua Liberdade, sua Liberação.
Resta, agora, viver isso, em nível coletivo.
E eu entendo por “coletivo”: o conjunto das Consciências sobre esta Terra, o conjunto das Consciências que nós somos, a fim de preparar o que foi denominado, parece-me, as Núpcias de Luz, não mais individuais, mas coletivas.
É, portanto, a este trabalho, a este estado de Ser e de não fazer, ao qual eu os convido, vocês todos que irão ler minhas palavras: a estabelecer a Comunhão.
Não mais para uma pessoa ou para realizar uma Unidade de Consciência em 24, mas, bem mais, para Comungar, diretamente, à Luz porque a Luz tem uma Inteligência e, sobretudo, na falta de outro termo, eu nomearia, uma capacidade particular para autocriar-se e para autoproduzir-se.

***


A Luz não conhece limites: nem de propagação, nem de tempo, nem de distância.
A deposição da Luz (sobre o Manto da Terra, como em vocês) torna, agora, possível, esta nova forma de Comunhão, levando à Fusão individual e, em seguida, coletiva.
Naturalmente, vocês irão, também, notar (como nós lhes dissemos, já, em várias ocasiões, por várias vozes) que muitas Consciências confinadas têm medo: medo da Luz.
Porque isso lhes é desconhecido.
Porque a Luz não é deste mundo.
E quando ela irrompe na vida de uma pessoa, e bem, sua vida (é claro, vocês sabem) transforma-se mais ou menos rapidamente.
Existe, obviamente, em cada ser humano, o que os Anciãos lhes nomearam um “corpo de desejo” e esse corpo de desejo tem apenas uma ideia: é a perpetuação da Ilusão deste mundo.
Fazê-los crer, de algum modo, que vocês são tributários deste efêmero e que há alguma coisa a realizar neste efêmero, que há alguma coisa a conduzir (gradualmente e à medida das encarnações sucessivas), que há alguma coisa a melhorar.
Mas, o que melhorar já que vocês são perfeitos, por toda Eternidade?
Há apenas que conscientizar.
E os tempos chegaram de conscientizar a Luz como, nunca, isso foi possível, mesmo nas fases que foram nomeadas (pelos Anciãos): “a Fusão das Lareiras” (ndr: ver a coluna “protocolos a praticar” do nosso site) (*) ou como isso lhes foi comunicado no Yoga da Unidade (ndr: descrito, em três partes, por UM AMIGO, nos dias 17, 18 e 19 de setembro de 2010, nas colunas “mensagens a ler” e “protocolos a praticar” do nosso site) (**) ou, ainda, nas explicações magistrais (que lhes foram dadas por IRMÃO K) (***) sobre o Desdobramento da Luz ao nível das Portas.
Tudo isso foram etapas, de algum modo, intermediárias, de acendimento, se o podemos dizer, do que vocês são.

***


Agora, é tempo de realizá-lo, na totalidade, bem além dessas referências corporais, bem além dessas Portas, dessas Estrelas e dessas Lâmpadas (que vocês chamam de chakras), bem além das suas células.
É-lhes preciso reinvestir na totalidade do que vocês São.
Para isso, é necessário não mais estar localizado, nem em um corpo, nem em um tempo, nem em um espaço.
Descobrir e viver que a Consciência é Una e que, fundamentalmente, vocês são tanto o outro, como vocês mesmos, vocês são tanto a árvore, como a folha da grama, é uma experiência que os conduz ao indizível.
É a isso que nós os convidamos e é a isso que nós iremos atrelá-los, se vocês bem o quiserem, a cada sábado: estabelecer uma Comunhão, não de Coração a Coração, não do Coração do UM ao Coração de todos, mas, sim, agora, do Coração de cada um (cada Um) à Luz.
E, aí, a Luz (como isso foi dito) autocriar-se-á e autoproduzir-se-á.

***


Ela irá se tornar cada vez mais luminosa, para vocês, porque ela é a mesma, na realidade, por toda Eternidade.
Mas ela penetrará, cada vez mais, os interstícios deste mundo e das Consciências que ali estão.
Ela irá se revelar, então, para o que ela é: uma malha de Amor que é a trama da Criação, a trama dos mundos e a trama de tudo o que é criado.
Esta tomada de consciência é salutar para a Terra, como ela o é a título individual e, mais uma vez, sobretudo, para o coletivo.
O trabalho empreendido da Realização do Si, do Estado Eterno que vocês são, permite considerar esta última etapa como uma leveza importante, mesmo se, é claro, os elementos de resistência poderão parecer, eles, cada vez mais pesados.
Mas não são os elementos de resistência que se tornam cada vez mais pesados, são vocês que se tornam, então, cada vez mais leves.
E, tornando-se cada vez mais leves, vocês apenas podem constatar que coisas resistem, que Consciências se opõem, mas elas não são mais pesadas do que antes, elas não são diferentes de anteriormente, são vocês que se tornam diferentes.
E é o Éter deste mundo que se transforma, que se torna diferente, levando a pensar, a crer ou a ver, que existem zonas de sombra cada vez mais densas, mas isso não é verdadeiro.
É, simplesmente, seu olhar que se torna aquele do Coração que está elevado além de seus limites e que dá a ver, ao seu Coração, a Verdade.
Pouco importa, não se apeguem ao que é pesado.
Não se apeguem ao que resiste.
Vivamos, juntos, esta Comunhão de cada Coração à Luz, permitindo à Luz responder pela sua cocriação espontânea e pela sua autocriação, e se multiplicar sobre este mundo, preparando, então, o momento coletivo da Terra.
Nós trabalharemos, portanto, durante essas cinco semanas.
Eu irei intervir em um total de cinco vezes, e durante essas cinco semanas, nós iremos trabalhar, juntos, na Luz e para a Luz.

***


Aqueles de vocês que ainda têm, apesar de sua vivência Vibratória, interrogações, questionamentos quanto às datas, quanto à hipotética realidade da Ascensão, vocês jamais poderão duvidar do que vocês irão viver, porque o que vocês irão criar, vocês mesmos, e o que nós iremos criar, nós mesmos, nós iremos criar a Verdade, a Beleza, o Amor e a Luz.
A fim de que o reino da Luz se torne evidência e não mais, simplesmente, uma experiência de alguns instantes.
Mas isso deve se tornar a experiência total de toda vida sobre este mundo.
Então, sirvam-se, nos nossos reencontros, do que é bom para vocês.
Que isso seja o Yoga da Unidade, entre às 19h30 e 20h00 (hora francesa), que isso seja a Comunhão através dos três Pontos, que isso seja um Alinhamento simples, permaneçam, simplesmente, no Ser, não emitam qualquer vontade, qualquer ‘vontade de bem’, qualquer desejo, contentem-se em estabelecer-se no que vocês são.
Nada a aguardar, nada a esperar, mas ser, simplesmente, a totalidade do seu Ser, com este simples pensamento: Comungar com a Luz.
Da simultaneidade da nossa reunião, da sincronia da nossa reunião, irão resultar muitas coisas para sua consciência, cujo maior interesse é, naturalmente, o que eu nomeei ‘deslocalização’.
Então, é claro, como vocês o sabem, como vocês o veem, aqueles que resistem à Luz irão se servir, sempre, daqueles momentos para tentar criar outra coisa que a Luz.
Mas, obviamente, isso é em vão.
Eles vão acabar dando conta de que tudo isso é vão e ilusório, de que o Amor é a única força, a única Verdade e de que não há nada a temer do Amor.
Há, apenas, que temer aquele que tem medo, nele mesmo.
O Amor é um bálsamo.
A Luz é um bálsamo.
Ela vem acalmar e curar todo sofrimento, mesmo daqueles que têm resistido até o extremo limite da sua pessoa, à Luz.
O Amor é Graça também, e perdão.

***


É a isso que a Terra é chamada, agora.
Como nós lhes dissemos, vocês já amorteceram, grandemente, o ‘choque da humanidade’, vocês já amorteceram, grandemente, o que foi anunciado pelos profetas.
Hoje, resta viver a Consciência.
Resta realizar esse ‘momento coletivo’ da Terra, tal como meu Filho falou e tal como foi entregue àquele que foi João.
Mas toda esta história é do passado.
O passado, hoje, não deve mais obstruí-los.
A Liberdade não está nem no passado, nem no amanhã, ela está no seu instante e na sua qualidade de Alegria, de Paz, de Amor e de Luz.
Nós iremos nos tornar, como vocês sabem, vocês e nós, corresponsáveis de nossa cocriação.
E o que nós criaremos, é a Liberdade e a Liberação da Consciência.

***


Eis, meus Filhos bem amados, as algumas palavras que eu tinha para dar-lhes e o pedido que eu faço a vocês.
Se, em relação a esse processo que vai se estabelecer a partir da próxima semana (mas que se instala a partir desta noite), mesmo se, durante o Alinhamento que eu lhes propus, de Comunhão às 19h30 (hora francesa), vocês não emitiram este pensamento de Comunhão, vocês têm toda sua semana de tempo para formular isso em vocês, da maneira a mais clara e a mais simples.
Dependendo do que, isso irá se produzir, já, e irá se reforçar, semana após semana.
Se existem, portanto, em relação a esse processo, questões suplementares, então, eu quero bem ali responder, se vocês tiverem necessidade de outros esclarecimentos.


Nós não temos perguntas, nós lhe agradecemos.

***


Meus Filhos bem amados, então, como tudo está claro, juntos, neste espaço, aí, logo mais, deixando-os, eu lhes peço, simplesmente, para Comungar à Luz.
Não pensem em mim, não pensem em vocês, não pensem em um outro, mas, simplesmente, em vocês e para a Luz.
E comecemos, juntos, este estado de fusão da Consciência.
No Amor e pelo Amor, na Verdade da Luz, eu lhes digo: até a próxima semana.

... Efusão Vibratória / Comunhão ...



************
ÁUDIO:
************


NDR:
As próximas intervenções de MARIA ocorrerão em:
Sábado, 24 de dezembro de 2011
Sábado, 31 de dezembro de 2011
Sábado, 7 de janeiro de 2012
Sábado, 14 de janeiro de 2012
Elas irão acontecer, a cada vez, em duas partes:
das 19h30 às 20h00 (hora francesa): efusão Vibratória
às 20h00 (hora francesa): partilhas
Nenhuma canalização pública será organizada nessas datas.
Cada intervenção será divulgada nas colunas “mensagens a ler” e “mensagens a escutar” nas horas que se seguirão.
Os horários indicados correspondem à hora francesa, no relógio.
O link Décalage Horaire(http://www.lolo.free.fr/Divers/DecalageHoraire.html) permitirá deduzir o seu horário local.

***


(*) – ‘Série **PROTOCOLOS** - a contar de 7 de novembro de 2011
*

(**) – UM AMIGO – Mensagens de 2010

- ‘YOGA da UNIDADE’ – UM AMIGO
*

(***) – Mensagens do IRMÃO K

***


Mensagem da Amada e Divina MARIA no site francês:
17 de dezembro de 2011
(Publicado em 17 de dezembro de 2011)

***


Tradução par o português: Zulma Peixinho


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário