MA ANANDA MOYI - 27 de novembro de 2011

Clique aqui para comentar esta publicação





    

Eu sou MA ANANDA MOYI e eu os amo.
Irmãos e Irmãs, eu venho entre vocês, e em vocês, como Vibração da Estrela AL.

Vou completar, ao meu modo, pela Vibração de minha Presença (em vocês e, para alguns de vocês, em seu Canal Mariano), a fim de Ressoar e de Vibrar, em vocês, o papel da Estrela AL.

Essa Estrela AL, que eu porto em Vibração, corresponde, em vocês, à revelação na Porta AL, que é o momento no qual o fogo da encarnação é substituído pelo Fogo do Espírito.

A Alma, naquele momento, desvia-se das funções limitadas da vida para Abandonar-se e permitir sua Crucificação e sua Ressurreição nos mundos da Alegria, do Amor e da Verdade.

AL é, também, uma das cinco Chaves Metatrônicas.
AL é a realização dessa Passagem do ego ao Coração, que permite viver a Verdade, inteiramente, viver as Núpcias Místicas com a Luz Branca, com CRISTO.

Esse momento e essa Passagem correspondem, precisamente, ao instante em que vocês não têm mais necessidade de realizar as idas-e-vindas entre a consciência dita comum e a Consciência Turiya ou Consciência do Estado de Ser.

Naquele momento, a alma consome-se, na Alegria e no Fogo do Amor, dando-lhes a viver o que eu manifestei em minha vida: o êxtase o mais arrebatador e o mais total, a felicidade a mais maravilhosa que a Consciência possa viver no momento de sua Liberação.

Esse abrasamento (muitos de vocês dele aproximam-se, hoje, grandemente), através de suas imersões na Luz do Amor, através de seus Alinhamentos e através de seus períodos em que a Luz Branca toma-os e transporta-os, em Consciência e em Verdade, na Luz.
São esses instantes em que nada mais existe do que essa Luz.
São os instantes em que todo sentido da identificação desaparece.
Esse abrasamento da alma corresponde ao momento em que a Terra viverá, ela mesma, seu abrasamento de Luz.
Vocês estão todos convidados, sem exceção alguma, a viver isso.

Hoje (mais do que nunca, em termos terrestres), vocês não têm mais muita coisa a fazer, apenas Ser, porque esse «apenas», de fato, é, verdadeiramente, a única Verdade.

O abrasamento da alma, pelo Fogo do Espírito: esse momento o qual o Bem amado João chamou o Corpo Causal, desaparece, pondo a nu a alma e o Espírito, é um momento que será, efetivamente, marcado profundamente, se se pode dizer, na história da Consciência.

O que marca o Fogo da alma que se volta para o Espírito (esse abrasamento da alma) é a Alegria.
Uma Alegria que cresce e que vem fazer derreter tudo o que não é essa Alegria.
É o momento em que as experiências que vocês efetuam, em seu ritmo próprio, tornam-se o abrasamento da totalidade quando, aí, há uma irrupção total da natureza de cada consciência, na Luz, em Sua Luz.
É o instante do transporte Final da alma, no êxtase o mais absoluto, no qual se vive o que alguns de nós (tanto Estrelas como Anciões ou outros) descrevemos como oMaha Samadhi.
É o momento de plenitude o mais absoluto, no qual não existe mais qualquer interstício para a dúvida, para outra coisa que não a Alegria.
É o momento em que a consciência encarnada vive sua Transcendência a mais total e no qual nada mais pode existir que não essa Transcendência total, que dá a viver a Alegria e o Fogo.

Esse Fogo que consome, inteiramente, tudo o que não é Eterno, que consome, inteiramente, tudo o que não é ele mesmo.

Nós lhes dissemos que o Si era Alegria, que o Amor é Alegria e que a Luz é Vibração de Alegria.
Se vocês estão aí, e se vocês me escutam, é que, de uma maneira ou de outra, vocês viveram a aproximação e, sobretudo, a Verdade.
Resta, agora, estabelecer isso.
E esse momento será importante, porque vocês o estabelecerão de Coração a Coração.
A Comunhão, naquele momento (tal como lhes foi apresentada), tornar-se-á perpétua e eterna.
É o momento em que vocês não poderão mais ir e vir, é o momento que foi chamado, por alguns de nós, de Dissolução no Único, na própria Fonte da Alegria.
É um momento de reencontros que passa das palavras.
É, aliás, muito difícil dele falar, sem vivê-lo.
E, mesmo o fato de falar dele pode apenas fazê-los aproximar, devido à minha Presença em vocês, desse estado.

Eu terei o privilégio de acompanhá-los no Alinhamento, ao final de minha intervenção.
Vocês verão que a Luz e a Comunhão são as únicas consolações verídicas, reais; os únicos elementos que bastam para contentar a totalidade da Consciência.
Como os Anciões o disseram, e como nós, Estrelas, dissemos, tudo foi consumado, tudo foi entregue, tudo foi dado.
O que está a caminho – se se pode falar assim – é a Alegria.
Nada mais há senão a Alegria.
Quanto melhor vocês acolherem, melhor vocês se derem, melhor vocês serão preenchidos pela própria natureza do Amor.
Esse Amor, chamado de tantos modos, é a própria Essência da Consciência.

O Ponto AL é ligado, também, vocês talvez saibam, ao momento da Transcendência da dualidade, ao retorno ao que foi chamado – na falta de outros termos, nesta língua – a Androginia Primordial.
É o momento em que, com estupefação, a Consciência descobre que ela é, ela mesma, a Totalidade, o Tudo, que ela não é mais limitada pelo que quer que seja, tanto desse mundo como de outros mundos.
Essa Alegria não é comparável, absolutamente, a nada mais.
Mesmo o maior dos prazeres que possam existir na encarnação, absolutamente, nada é em comparação com o incomparável.
Esse abrasamento da alma é uma dilatação, ao infinito, do Coração e da Consciência, quando, com estupefação, todas as barreiras, todos os limites e todos os véus vão desaparecer.
Tudo o que vocês vivem, desde pouco tempo ou desde numerosos anos, para alguns de vocês, tinha apenas por objetivo prepará-los, o melhor que fosse possível para vocês, para viver essa Androginia Primordial.

É o momento em que vocês se imergem na Unidade, inteiramente, e no qual não pode mais existir a mínima dualidade.
O Corpo Causal abrasa-se.
Isso poderia ser como um gozo, mas multiplicado por um fator incomensurável e que, sobretudo, não é limitado ao que quer que seja, nem a qualquer causa, nem a qualquer objeto ou a qualquer assunto.
Lembrem-se de que, esse momento, vocês não têm que procurar, porque ele virá a vocês, no momento escolhido pela Terra.
Ele lhes será anunciado, porque os Sons da Alma e do Espírito fusionar-se-ão com os Sons do Céu e da Terra.
Isso não poderá ser confundido com absolutamente nada, porque o Coração estará em Fogo, porque o Corpo Físico estará numa Vibração inconcebível e, sobretudo, essa Alegria crescerá, de instante a instante.
O corpo não poderá mais mover-se, vocês serão a Luz, inteiramente, a Luz.

O que vocês vivem uns e outros, mesmo se isso lhes pareça, por vezes, difícil, é apenas sua preparação, a mais adaptada, ao Amor, para vocês.
O abrasamento da Coroa do Coração, da Cabeça, do Sacro a ativação do conjunto de Portas (como se ativaram, para vocês, a maior parte das Estrelas da Cabeça ou algumas delas), esses mecanismos de Vibração que os tornam leves, as Núpcias Celestes, as Etapas, as Núpcias de Luz: todos esses elementos que vocês têm vivido, talvez (à sua hora ou agora), são um convite para viver o UM, para ser a Verdade.

As Estrelas acompanham-nos.
Vocês sabem que vocês sozinhos podem cruzar essa Porta, mas que vocês não estão mais, jamais, sós.
Muitos de vocês começam a perceber, de diferentes maneiras, a Luz Unitária, as Consciências Unitárias.
A Androginia Primordial é o momento em que vocês se fundem no que não tem nem fundo nem cimeira.
Tornar-se o Tudo, tornar-se essa Alegria, sem começo, sem fim, viver o Êxtase e a Íntase os mais arrebatadores, é a evolução de cada um.

É claro, após, como vocês sabem, cada um será dirigido por sua própria Vibração, para seu domínio de eleição e de predileção.
Viver o fim da limitação é um instante que vai permitir-lhes reencontrar sua Essência primeira, aquela que nenhuma experiência – nos mundos carbonados, alterados – pôde permitir-lhes levar a seu termo.

Esse momento em que a Luz Branca revelar-se-á, inteiramente – não unicamente no Céu ou no Manto da Terra, mas no conjunto de consciências – é um momento único.
Sua preparação é, para isso, única, mesmo se, é claro, uns e outros, nós lhes falamos dos Novos Corpos, das Estrelas, das Portas, como testemunhos e marcadores de sua transformação de consciência.

Hoje, vocês chegaram ao limiar dessa Dissolução do Corpo Causal.
Vocês são levados, cada um, à sua Porta, por sua Vibração.
Vocês são levados, por si mesmos, a viver esse Fogo do Coração, a integrá-lo.

Diferentes nomes que lhes deram os Arcanjos vão corresponder, inteiramente, ao que vocês vivem e viverão.

Os momentos de Comunhão e de Graça que lhes foram propostos são, agora, o meio privilegiado para cruzar a Porta.
Vocês vão viver, cada vez mais, o mecanismo de levantamento e dissolução dos véus, que os levará a rir, sem fim, porque o Coração é um riso sem fim.
Tudo o que os Arcanjos, desde os Casamentos Celestes, disseram, tudo o que foi enunciado e anunciado pelo Comandante dos Anciões, como aquele que estava, aí, antes (Ndr: intervenções de O.M. AÏVANHOV e SRI AUROBINDO, de 27 de novembro, na rubrica «mensagens a ler») não tem sido enunciado e anunciado para fazê-los ter paciência ou esperar, mas, bem mais, para prepará-los para esse encontro que foi inscrito bem antes de sua precipitação – voluntária, consciente ou não – sobre esse mundo.
A Fonte nomeou a isso o Juramento e a Promessa.
Vocês entraram nesses tempos específicos que vão fazê-los sair do tempo.

Lembrem-se, também, de que, neste momento, vocês estão, muito exatamente, em seu lugar, para viver isso.
E, progressivamente e à medida que o Abandono à Luz, a Confiança na Luz estabelece-se e trabalha em vocês, progressivamente e à medida que vocês tomam consciência da Verdade a mais absoluta do que nós lhes dissemos – porque vocês não creem em nós, mas porque vocês o vivem – e, vivendo-o, vocês fazem sua essa experiência, porque é a única Verdade.

A Luz os faz sair de todas as ilusões, ela os faz entrar na completitude.
O Fogo que os consome, consome apenas o supérfluo, e põe a nu o Ser Consciente, o Ser Absoluto.

Como nós o dissemos (Umas, Outras, Uns e Outros), nós estamos ao lado de vocês e em vocês.
Então, abram-se a nós, como nós nos abrimos a vocês, porque nós somos a mesma Realidade, a mesma Unidade.

O que eu vivi, em minha última vida, vocês o viverão.
Muitos de vocês começam a suspeitar disso e a verificá-lo.
Isso não é inacessível, isso não está afastado, mas está inscrito nesse tempo.
Esse tempo que não tem data, porque ela se aproxima, ao mais próximo de vocês, de cada um.

Como nós o dissemos, vocês são os Filhos do UM, os Filhos do Único, vocês são os Filhos de Luz, as Sementes de Estrelas.
Todas essas palavras que, quando são vividas sem a Vibração e no exterior, nada querem dizer, que tomam, hoje, todo seu sentido, em sua Vibração.
E isso é uma Alegria, a única Alegria, que não dependerá, em nada, de qualquer outro do que dela mesma.
No abrasamento do Coração, na Androginia Primordial, vocês percebem que a separação é uma ilusão.

Em definitivo, quando nós lhes falamos desse mundo como uma Ilusão, isso era apenas a estrita Verdade e apenas a visão limitada da pessoa, da personalidade podia disso duvidar.
O Abrasamento da alma restitui-os a vocês mesmos, em sua Unidade.
E isso – ainda, eu o repito – cada ser tem a possibilidade de viver, porque não existe qualquer sofrimento, qualquer punição, qualquer deus vingador exterior, qualquer salvador.
Há apenas vocês, e vocês mesmos.
Há apenas a Liberdade de ser, enfim, Livre, a Liberdade de ser, enfim, Ascendido, Reunificado.
Talvez, entre vocês, haja algumas Consciências que se dão conta de que, quando de nossa vinda, diretamente a vocês (em seus Alinhamentos ou nesse momento mesmo), a Consciência abre-se, mais do que nunca.
Ela os transporta às moradas da Alegria e da Eternidade, nas quais não pode existir qualquer falta, qualquer sofrimento, qualquer oposição e qualquer contradição, porque é nossa Morada comum, porque é nossa Verdade comum.
E que, aliás, não são outros lugares que não no Interior de cada Coração, de cada Consciência.

Quando nós lhes dissemos, pela Voz dos Arcanjos, que estávamos na aurora de um dia novo e na orla de sua dimensão, vocês percebem – hoje, e a cada dia, mais do que nunca – que a distância nada quer dizer, que a separação existia, simplesmente, apenas porque vocês haviam esquecido.

As palavras que eu lhes dirijo, dirigem-se à alma e à Comunhão de nossos Espíritos.
Minhas palavras são postas porque permitem, neste instante de Comunhão, viver essa Alegria.
Então, vocês podem, talvez, constatar que não há mais necessidade de pôr uma distância, de utilizar uma ferramenta: há apenas que Ser no Instante.
E que, neste Instante, está escrita a totalidade dos tempos e a totalidade da Luz.
Que o Fogo do Coração é Alegria e Verdade, porque os Anjos e os Arcanjos estão, todos, em nós, porque a Fonte está aí, porque a Alegria está aí.
Então, a Consciência abre-se, cada vez mais, à Verdade que nos é comum.
Então, a Vibração coloca-se, naturalmente, no Coração do Ser, em sua Presença e em minha Presença, em nossa Presença comum.

Amados do UM, essa é a evidência de nossa Comunhão.
As palavras tornam-se música, elas se tornam Canto da Alma e do Espírito, Única Verdade.
A Beleza é aquela da Consciência.

Nesses instantes, tais como nós vivemos, não há mais nem questão nem procura, porque o Abrasamento da alma, o Fogo do Espírito revelam a natureza ígnea da Consciência e, nesses momentos, nós somos UM, nós estamos – como diria UM AMIGO – de Coração a Coração, do Coração do UM ao Coração de Todos e do Coração de cada UM a cada Outro.
A Alegria torna-se, então, uma evidência que demanda apenas tomar todo o lugar, porque não há lugar para outra coisa que não a Vibração da Alegria, do Amor, da Luz.
As primícias da Ressurreição, os estigmas da Ascensão vivem-se – agora e a cada dia – a cada sopro.
Nós comungamos no mais íntimo de cada um e, a cada dia, vocês comungam no mais íntimo das Estrelas, dos Anciões, dos Arcanjos e do conjunto de forças Unificadas na Unidade.

A Alegria é a solução para o alarido desse mundo.
A Alegria é a evidência da resposta à falta, ao medo, à separação.
Cada um será chamado, ao seu modo, para estabelecer-se, agora, na Verdade.
O tempo da Terra – ou o tempo coletivo – sincroniza-se ao tempo de cada um, porque cada um converge para a Mãe Terra.
O Sol responde.
O Coração abrasa-se.
A Alegria é o bálsamo.
A Alegria é a única Verdade.

Fogo de Alegria e Fogo do Espírito fazem apenas UM.
Naquele que rasgou todos os véus de suas próprias ilusões, como aquela do mundo, nada há a destruir: há, agora, a elevar.
Nada há a construir, tampouco.
Há apenas, simplesmente, que aceitar ser essa Comunhão e esse Fogo.

Quanto mais vocês forem numerosos a viver isso – a instalar-se nisso – mais vocês comungarão à Dimensão Nova da Terra, a ela mostrando sua alegria, a ela dando a viver seu Amor e sua Alegria, a ela mostrando, de algum modo, seu acordo para o abrasamento.

Então, ela poderá, por sua vez – porque é ela que decide, mas ela é sensível a cada um e a cada uma – decidir estabelecer-se na Alegria.
A Nova Aliança estará, então, consumada e estabelecida.

Nós sempre dissemos que o Coração era a resposta.
Não há outra resposta.
Que o Coração era a Porta, porque há apenas uma única Porta.

Então, nós nos aproximamos sempre de sua Consciência.
Nós estamos em vocês, para alguns de vocês, e muitos de vocês.

O que vem é Alegria e Comunhão.
Não há que duvidar disso, no espaço da Vibração do Sagrado, porque, naquele momento, vocês estão plenos e saturados de Alegria.
Os espaços e os tempos de medo e de dúvidas não existem, simplesmente, mais.

Irmãos e Irmãs bem amados, fiquemos aí: nessas algumas palavras, nesse espaço de Comunhão, nesse espaço de Alegria e de Fogo.

Cabe a vocês decidir: Vocês querem ser Alegria?
Vocês querem não mais deixar manifestar-se o medo e a falta?
Vocês querem Realizar e Finalizar a Verdade de sua Consciência?
Vocês querem seguir a Verdadeira Vida?
Vocês querem ser o Templo da Presença d’Ele?
Vocês querem tornar-se UM com todos os Uns, em Dimensões nas quais não existe qualquer Outro, nas Dimensões nas quais não existe qualquer exclusão, qualquer sombra e qualquer sofrimento?

Nós lhes estendemos nossas mãos e nossos Corações.
Nós realizamos o que havia a realizar.
Vocês realizaram, quase na totalidade, o que havia a realizar, para reencontrar a Essência e a Liberdade de sua Alegria, de seu Ser.

Amados do UM, o tempo da Comunhão do conjunto de Consciências da Terra chegou.
Então, isso é amanhã?
Isso é depois de amanhã?
Não, é na sequência, porque são vocês que decidem e, a partir do instante em que vocês tenham decidido, o tempo da Terra, para vocês, não é mais uma distância nem uma espera.

Vocês não são mais dependentes do tempo da Terra, vocês não são dependentes de nada mais, exceto de sua Consciência.
Então, o que importa o tempo, dado que tudo está consumado para vocês?
É possível hoje.

Muitas Estrelas batem à Porta: à Porta do Coração, é claro, mas, também, à Porta do Espírito.

Irmãos e Irmãs bem amados, permaneçamos no Silêncio e na Comunhão, a fim de Comungar, ainda mais, quando nossos outros Irmãos e Irmãs, aqui e em outros lugares sobre esta Terra, como em qualquer Dimensão, reunirem-se a nós, juntos, no mesmo Coração, no mesmo Canto.

Preparemo-nos, portanto, para estarmos ainda mais Conscientes da Alegria.

Junto-me ao seu Coração, mas sem minhas palavras, prosseguindo a Vibração da Alegria do UM, em cada um e em cada uma.
Eu nos Amo.

Eu lhes digo, até dentro de alguns instantes, para Comungar, ainda mais amplamente, à Graça, à Unidade.

Eu sou MA e, sobretudo, eu sou UM, porque eu sou Vocês.

... Efusão Vibratória / Comunhão...





************



Mensagem da amada MA ANANDA MOYI no site francês:
27 de novembro de 2011
(Mensagem publicada em
 28 de novembro)

***


 Versão para o português: Célia G.  



***


Colaboração de Rosa Amelia Muruci

***


Transcrição e edição: Andréa Cortiano e Zulma Peixinho

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário