O.M. AÏVANHOV - 16 de julho de 2011 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação







- E BEM, CAROS AMIGOS... -

“Nada há a mudar para Ser, é uma tomada de consciência. Vocês não estão mais nos momentos em que é preciso mudar.”



E bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.
Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos e, é claro, escuto tudo o que seu Coração tem para me dizer, em todo caso, para me perguntar.

***

Questão: para estar no AQUI e AGORA havia sido preconizado ativar os dois pontos HIC e NUNC da cabeça. É o mesmo com os pontos HIC e NUNC do sacro?

Será muito mais difícil para perceber, tanto como é muito fácil, para a maior parte de vocês, perceber os níveis altos e senti-los Vibrar e sentir Vibrar (como vocês sentiram, e vão sentir, mesmo depois) os Pontos ligados ao estágio mediano.
Mas, para os Pontos no estágio inferior, é muito mais difícil.
Vocês vão sentir o sacro, mas tudo isso vai misturar-se entre os quatro Pontos, dois na frente, dois atrás e um embaixo, e um que está ao centro (um pouco acima).
Não importam os nomes, mas tudo isso se mistura, é uma alquimia.
Portanto, é muito difícil individualizar.

***

Questão: o que é a Transparência?

A Transparência, aqui, não existe.
Porque, se você fosse Transparente, eu poderia passar através de você ou você poderia passar através de mim.
De momento, enquanto você não passa através de uma porta, você não é Transparente.
Nas Dimensões Unificadas, a Transparência é total; a Luz não pode ser parada.
Portanto, o que explica, de alguma forma, o movimento aparente da Consciência ou do Universo, porque tudo é sincrônico.
A Transparência é um estado no qual nada mais há a tomar, nem nada mais a possuir, nem nada mais a reter.
Portanto, nada mais há a compreender, uma vez que, quando a Transparência é, não há mais imagem no espelho.
Você se torna totalmente Transparente, como o cristal, se preferir.
Quer dizer que a Luz atravessa você sem ser parada e sem ser alterada.
A Transparência, de algum modo, é como se nada mais houvesse, mas que, de fato, há tudo.
E esse tudo é totalmente Transparente.
No nível do olho, por exemplo: o vidro está transparente.
Se ele estiver limpo, vocês veem exatamente o que há do outro lado.
E se ele estiver muito limpo, você pode mesmo bater, avançando para ele.
Isso quer dizer que, nesse plano material, a transparência não é a possibilidade de atravessar.
O que atravessa são apenas os fótons, não é?
E as calorias, o calor.
Se tomarmos a analogia da Transparência nos Planos Unificados, tudo se interpenetra.
Não há diferença entre você e não importa o que mais.
Em suma, não há mais ego.
Isso quer dizer que não há mais sentido de apropriação de uma identidade, qualquer que seja.
Na encarnação, vocês jogam, geralmente, de espelho a espelho.
E retornam, através de sinais, permanentemente, aos jogos de espelho.
É o princípio de Lúcifer, de crer que, viajando no espelho, vocês serão Transparentes.
Mas não, pois, quando vocês olham em um espelho, vocês se veem, vocês não veem a Transparência, não é?

***

Questão: eu tinha projeto de ir ao túmulo de Irmã YVONNE AMADA DE MALESTROIT, sem intenção específica, mas eu me pergunto se, de fato, não seria necessário que eu tivesse uma?

Alguns seres, que deixaram essa matéria, que eram seres especiais, digamos, deixaram a emanação de sua Unidade, vivida em sua vida.
E Irmã YVONNE AMADA está nesse caso.
Mas isso existe em todas as tradições e em todos os povos.
Por exemplo, há túmulos, na Índia, nos quais se pode sentir a imanência e a Presença Eterna de alguns seres que ali viveram.
Portanto, você os verá, efetivamente, indo ali.
Pois, o que fez colocar a questão, se eu devo colocar uma intenção ou não?
É sempre similar, mesmo através de um impulso que lhes chega, vocês têm necessidade de descascar e de colocar objetivos, ao invés de vivê-lo.
Viver a Fluidez da Unidade, viver a Sincronia da Luz Vibral é ir ao sentido da menor resistência.
Sempre.
Assim que o mental intervier (por vezes, ele intervém antes do impulso, e pode-se dizer que há uma confusão com o impulso), o que vai acontecer?
É muito simples fazer a diferença.
Não vale a pena colocar-se a questão de saber se era um impulso ou se era o ego.
Se é algo que vai ao sentido da Luz, isso se fará de maneira natural.
A partir do instante em que vocês entram numa projeção, mesmo em relação ao que é natural em sua vida, o que isso quer dizer?
Que o ego está em ação, assim que vocês saem de HIC e NUNC, como diz o Arcanjo (ndr: o Arcanjo ANAEL).
Há uma Vibração, uma informação que lhes chega.
Por exemplo, você teve a ideia, que lhe veio assim, de ir ver o túmulo da Irmã YVONNE AMADA.
Bem, vá, não se pergunte.
Por que você quer preparar, construir, imaginar que isso será assim ou assado?
Nove vezes em dez isso jamais acontece como crê o mental.
Tudo o que se faz de maneira espontânea e natural não põe problema algum.
Portanto, vá, espontaneamente.
E se, chegando diante do túmulo, naquele momento, há uma questão a colocar-se, aí também, ela virá sozinha.
Não há necessidade de refletir, é preciso tornar-se Transparente.
O que é que reflete?
É o espelho.

***

Questão: poderia voltar a falar das três Passagens, das três Portas?

As três Passagens foram ilustradas pela vida, tal como ela foi falsificada, de CRISTO, digamos.
Há, de início, uma primeira etapa que é a abertura para a Luz.
Quer dizer que a personalidade toma consciência de que existe um além.
Um além dos sentidos.
Naquele momento, instaura-se uma série de mecanismos, no nível da alma, que vão se revelar.
E isso vai dar, é claro, vocês compreenderam, toda a Ilusão Luciferiana, ou seja, a necessidade de fazer o bem, a necessidade de salvar os outros, a necessidade de sentir as energias astrais, de vê-las em ação, de falar de luz.
Isso é a primeira Porta.
Depois, vem a segunda Porta, a segunda Passagem, que é o primeiro guardião do limiar.
É a Transfiguração.
Naquele momento, a Luz Vibral (e não mais o fogo do ego) começa a queimá-los.
E a Crucificação é quando vocês vivem o Abandono total à Luz e o mental não está mais na dianteira da cena, e o ego não está mais na dianteira da cena.
Naquele momento, o que se manifesta?
A Humildade, a Simplicidade e, sobretudo, o acesso às outras Dimensões, o que não lhes é possível enquanto existir um controle da alma sobre o corpo e enquanto existir uma Ilusão Luciferiana, enquanto o ego quiser se apropriar da Luz.
Enquanto houver apropriação da Luz pelo ego, o ego continua a inflar-se como uma bolha.
Na finalidade última, digamos, naquele momento, a Consciência compreende, e vive, que ela não é nem o mental, nem a personalidade, nem a identidade que vocês portam nesse mundo, mas que ela é muito mais ampla e que, de fato, é a Totalidade.
Portanto, naquele momento, vocês realmente tomam consciência (é o caso de dizê-lo) da vaidade de toda a busca exterior.
Vocês tomam consciência da vaidade da alma que quer, a todo custo, encontrar um sentido, uma explicação e que quer compreender.
Vocês podem passar essa terceira Porta, essa terceira Passagem apenas passando entre os dois guardiões: Ahriman e Lúcifer, quando vocês se despojarem, quando vocês voltarem a se tornar uma criança (mas isso já foi dito, parece-me, várias vezes).
Mas dizer isso a você não é vivê-lo, eu repito.
Não é porque você terá a impressão de compreender perfeitamente que você irá vivê-lo.
Pois o ser que vive isso, em Verdade, ele vai exprimir isso, para além da alma, mas no Espírito, portanto, em Verdade.
Mas o que vai acontecer?
O ego vai recusar, porque, para ele, isso não pode existir, tanto mais que há a Ilusão Luciferiana: «Como assim? Você se dá conta? Eu vivo a Luz, eu vejo a Luz, eu vejo os outros, eu ajudo aos outros».
E, enquanto houver isso, a alma não pode se desviar do Corpo de Desejo e ser fecundada, inteiramente, pelo Espírito.
É, verdadeiramente, a Renúncia.
Mas não é a renúncia do ego que vai dizer: «eu quero renunciar a mim mesmo».
Se não, isso dá seres (sobretudo nos tempos mais antigos) que passaram sua vida a renunciar e que apenas se afogaram em seu próprio ego.
Há o exemplo, com aqueles que se fecharam na alma e que creram ter chegado ao sumo da Luz.
Eles haviam chegado ao sumo de Lúcifer.
Portanto, enquanto vocês não rejeitarem tudo o que lhes é conhecido, como dizia IRMÃO K, vocês não podem viver o Desconhecido.
E, é claro, aquele que está no ego vai bater a cabeça na parede, porque, para ele, isso nada quer dizer.
É claro que isso nada quer dizer, uma vez que é algo ao que ele não tem acesso e, portanto, o ego rejeita tudo o que não é da possibilidade de sua própria experiência.
É isso o Sacrifício do ego.
Enquanto vocês crerem que seu mental, seu ego, mesmo seu afetivo vai poder apreender a Luz, ela se afastará de vocês, permanentemente.
Nós lhes falamos disso, porque é agora o momento preciso (como eu disse desde março) da Ascensão.
Vocês estão nos Tempos finais.
E é agora que é preciso cruzar o Rubicon [cruzar o limite], ou seja, realmente Abandonar-se.
Isso se junta, uma vez mais, a algumas parábolas de CRISTO que lhes foram dadas.

***

Questão: o que mudar em minha vida, agora, para me tornar Transparente?

Nada há a mudar para Ser, é uma tomada de consciência.
Vocês não estão mais nos momentos em que é preciso mudar.
Então, é claro, entre vocês, muitos viveram impulsos para mudar algumas coisas que, realmente, liberaram-nos no nível de sua alma.
Por exemplo, mudar de lugar, mudar de atmosfera, mudar de profissão ou parar profissões, ou viver isso, ou viver aquilo.
Mas, agora, a única coisa que há a fazer é Abandonar-se.
E Abandonar-se não é a vontade de mudar alguma coisa.
É Ser.
Mas vocês serão ajudados, eu já disse, através desse espaço de consciência intermediária entre a consciência de vigília, a consciência de sono e a consciência de sonho.
E, nessa interface entre esses três estados, há brechas que vão rachar.
Como dizia NO EYES, vocês verão a trama Etérea, vocês perceberão como Consciência.
É isso o Abandono à Luz.

***

Questão: o importante é viver a Vibração com consciência?

Como viver uma Vibração, quando ela não é consciente?
Em contrapartida, portar a consciência na Vibração reforça a consciência, sim.
Mas não se pode estar consciente de algo que não é Vibrado.

***

Questão: por que, por vezes, portar a consciência numa Vibração a faz desaparecer?

Porque é o mental que ali é portado.

***

Questão: qual a diferença entre portar a Consciência ou portar o mental na Vibração?

Por exemplo, se você tem uma Vibração em algum lugar e você começa a percebê-la, você diz que vai levar sua consciência nisso.
Mas antes que a consciência se revele, é o mental que vai dizer: «aí está, sinto isso aí e porque sinto entre aí e lá?».
Acabou, a Vibração desaparece.
Quando a Consciência é portada sobre a Vibração não há interrogação, é apenas a atenção da Consciência que é portada na Vibração.
Não há mecanismos mentais que se movimentam para dizer: «isso vai aumentar, isso vai fazer assim, por que sinto isso ao mesmo tempo que aquilo?».
Você verá, muito facilmente, a diferença entre os dois.
Assim que existir, no nível do mental, uma apropriação da Vibração, é claro que a Vibração desaparece.
A Luz não pode ser capturada, de maneira alguma.
Isso faz parte, também, de tornar-se Transparente.
Se você leva, como diz, sua consciência sobre um Ponto de Vibração, saiba que é primeiro o mental que intervém, especialmente se você não estiver em meditação ou num estado de quase adormecimento.
Naquele momento, o que vai acontecer?
Vocês todos viveram isso, nós todos vivemos isso.
Você quer compreender ou, então, você quer elucidar o que acontece e, naquele momento, você perde a Vibração, porque o que estava presente, naquele momento, era a consciência ou o mental, que tentava observar algo de exterior.
Não houve uma Fusão, uma identificação entre a Vibração e a Consciência.

***

Questão: o objetivo da Vibração é fazer-nos experimentar a diferença entre o mental e a Consciência?

Pode-se dizer assim, perfeitamente.
Pois, enquanto você diz: «eu levo minha consciência sobre uma Vibração», ou para tentar compreendê-la, ou para experimentá-la no nível do mental, bem, o que acontece?
Ela não se revela; ela se retrai e desaparece.
E é o meio de fazer a diferença entre a Consciência e o mental, porque o mental tem sempre tendência a tomar-se pela Consciência.
Chama-se isso de consciência de vigília.

***

Questão: por que não ouço mais som, desde algumas semanas?

Foi efetivamente dito, já durante os Casamentos Celestes, que, após um momento, ou em algumas fases, vocês chegariam ao quê?
Ao silêncio.
É o mental que vai se perguntar: «ei, o que me acontece?».
É preciso que vocês aceitem que, a partir do momento em que os chacras estiverem abertos, que o Canal do Éter estiver aberto (ou seja, no instante em que a Coroa Radiante da Cabeça e, sobretudo, se a Coroa Radiante do Coração estiver ativa), o Canal do Éter é constituído.
Resta, apenas, abandonar o mental.

***

Questão: eu não tenho muito mental, mas não sinto sempre as três Coroas.

Não confunda o mental e o intelecto.
E não há apenas o mental, há também as emoções.
Há, também, como foi explicado, o mental dito negativo.
O que é o mental negativo?
Seria à imagem desse mental, que nada quer tomar, porque ele tem medo de tomar e, portanto, ele tem medo de soltar.
E, portanto, ele se põe na inação.
Isso dá uma impressão de intelecto que não funciona.
Mas eu jamais disse, e ninguém jamais disse que o mental era unicamente o intelecto.

***

Questão: nesse caso, o que fazer?

Esperar que a Luz se revele mais, com mais intensidade e mais força.

***

Não temos mais perguntas, agradecemos.

***

Então, caros amigos, meus Irmãos e minhas Irmãs, eu lhes transmito todas as minhas Bênçãos e que sua Consciência descubra a Felicidade.
Que a Luz seja o que vocês São.
Até muito em breve.


************

Mensagem do Venerável OMRAAM (Aïvanhov) no site francês:

***

Versão para o português: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com/
Postado por Célia G.

***

Transcrição e edição: Andréa Protzek e Zulma Peixinho


************


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário