ANAEL - 1ª PARTE - 16 de abril de 2010 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação




- Ensinamentos do Arcanjo da Relação e do Amor -


Bem amados Filhos da Luz, bem-vindos a este espaço Vibratório.
Eu estou entre vocês.
Eu sou ANAEL.

Bem-vindos a este dia, enfim, que, na sua Terra, representa a influência da minha esfera de eleição, o planeta Vênus e o Amor.
Eu venho a vocês para falar-lhes da Unidade, para falar da Verdade, para falar do que vocês são.
Então, Bem amados, eu lhes dou a palavra e estou à sua escuta, a fim de tentar avançar, juntos, para a Unidade, para a Verdade, para a autenticidade.
Vocês vivem os tempos anunciados pelos Arcanjos, pelos profetas, pelos mensageiros.
Vocês estão diretamente, a partir de amanhã, nesses tempos.
Então, fiquem felizes, pois, quanto mais entrarem na sua interioridade, quanto mais entrarem no seu Coração e na sua Essência, mais vocês irão encontrar a Alegria, a Verdade, a Unidade e irão se extrair, sem qualquer preocupação, dos acontecimentos que serão vividos de maneira diferente para aqueles que não tiverem conectado a Coroa Radiante do Coração ou uma das três Vibrações do Fogo no Interior do seu Templo Interior.
Assim, nós os engajamos, nós, Arcanjos, a trabalhar cada vez mais nos seus espaços Interiores Vibratórios a fim de acender em vocês o que deve ser aceso e despertado, pois a hora chegou.
A hora chegou do nosso encontro, a hora chegou do seu retorno à Unidade, à multidimensionalidade.
No ano passado, em conversei com vocês sobre o abandono à Luz e a Luz está agora de volta entre vocês.
O Mestre da Luz manifestar-se-á no seu Ser interior, no seu Templo Interior, a partir do momento em que vocês ali derem o lugar para acolhê-lo na Verdade e na Unidade.
Os dias que vocês vivem, os próximos dias, até o final do seu mês de abril, assinalará para o advento de novas transformações importantes, onde vocês vão viver a reunificação do Fogo da cabeça, Fogo do Coração e do Fogo do seu sacro, a fim de reunificar essa Tripla Lareira em uma Fonte radiante de Amor e de contato com o Mestre da Luz.
Assim, eu me ofereço, hoje, pela Vibração e pelas palavras, para ajudá-los a trabalhar nesse sentido, se houver em vocês questões às quais eu posso trazer a minha modesta contribuição.
***

Questão: um médium me disse que encarnei para conectar com um parente, mas isso não pôde acontecer. Isso explica o meu sentimento de revolta e de me encontrar presa?

Bem amados Filhos da Luz e Sementes de Estrelas, a revolta é simplesmente a tomada de Consciência do seu isolamento da Fonte.
Algumas Almas guardaram em si, na sua encarnação, a lembrança e a memória desta Aliança, deste pastoreio da Fonte, que lhes faz tanta falta nesta humanidade.
Agora, é necessário, Bem amada, não acreditar em nada além do que você vive.
Nenhuma palavra exterior, seja ela de um Arcanjo, deve guiar os seus passos.
Somente a condução Interior, o seu Estado de Ser, é preponderante.
O que foi dito por uns e outros, mesmo pelos Arcanjos, não tem qualquer valor, se você mesmo não experimentar isso.
Assim, esse sentimento de revolta está unicamente ligado à privação da Fonte e a este impulso para reencontrar a Fonte.
Então, o fato de se encontrar presa, eu poderia dizer que é o mesmo para cada Alma humana em encarnação, presa desde tempos imemoráveis nesta matriz.
Alguns se voluntariaram para ajudá-la, quando chegar a hora, a se dissolver.
Assim como anunciou o Arcanjo Miguel, todas as Almas que participaram, nesta densidade, dos Casamentos Celestes, de uma maneira ou outra, são os Guerreiros da Luz, os Guerreiros pacíficos, aqueles que trabalham no estabelecimento da Luz e na dissolução da Ilusão e da matriz.
Então, obviamente, isso pode se acompanhar de um sentimento de revolta Interior, bem justificada.
Esta revolta não deve conduzir a qualquer reação, mas, bem mais, a ir ainda mais próximo da Verdade e da Unidade.
***

Questão: podemos considerar o Mestre da Luz como nosso irmão mais velho?

Bem amado, isso é também uma crença.
Quer O considere como um irmão mais velho ou como um irmão mais novo, isso não tem qualquer espécie de importância.
Ele é, antes de tudo, o Mestre da Luz, o Mestre da Verdade.
Ele é a Verdade, a Via, o Caminho, a Vida, a Unidade.
É isso.
E Ele é também o seu irmão.
Ele é também uma Luz como você.
Não O veja abaixo, não O veja acima, mas veja-O no seu nível.
Todo o resto são apenas palavras e crenças.
Cada palavra e cada crença o afasta.
A simplicidade é aquela que irá conduzi-lo a Ele.
Nada há que considerar.
Há simplesmente que ser para vivê-Lo.
Todas as palavras e todos os rótulos que você colarem, irão afastar você.
É no Silêncio que o Mestre Interior é encontrado.
***

Questão: poderia falar da simplicidade?

Bem amado, a simplicidade consiste em estar Aqui e Agora.
No Aqui e Agora, no abandono à Luz, não há questionamento, nem sobre o passado nem sobre o futuro.
Há Ser, há Consciência, há Vibração.
Em meio a este espaço da Consciência lúcida de si mesma, da Consciência consciente de si mesma, realiza-se a Transcendência.
Nesta Transcendência, tudo é simplicidade.
Nada é complicado.
Não há espaço para o questionamento.
Não há lugar para raciocínios mentais.
Não há mais espaço para as emoções, tampouco.
Há espaço para a Presença a si mesmo.
O Anjo da Presença permitiu-lhes, desde alguns meses e desde alguns instantes, viver esta Comunhão, porque é uma Comunhão com si mesmo, antes de tudo.
É a simplicidade.
Descobrindo esses espaços Interiores, não há mais nem questionamento, nem resposta, porque tudo é resposta.
O Ser não precisa de questão.
O Ser não precisa de questionamento sobre o amanhã.
Ele está no Aqui e Agora, no coração da Vibração, no coração da Alegria, no coração do Samadhi.
Samadhi é simplicidade.
Neste Samadhi não há espaço de questionamento.
Não existe questionamento, apreensão ou Alegria projetada.
Há Alegria do instante, Alegria da reunificação com a Luz.
A simplicidade é isso.
O « fazer » pode decorrer nesse momento, de maneira muito natural, momentos de Ser vividos na simplicidade.
Mas « fazer » por si mesmo os faz sair deste estado de Unidade.
Entretanto, vocês podem guiar os seus passos e agir nesse mundo sem estarem submissos à lei de ação e de reação, dado que viveram o Estado de Graça no Aqui e Agora, no instante da Presença, e a lembrança deste instante de Presença é relembrado a vocês nos seus espaços Vibratórios, nos seus espaços sutis, permitindo-lhes então realizar a Unidade apenas no « fazendo ».
O que quer que vocês façam, que gostem ou que não gostem, isso se fará na Unidade e na Verdade.
Procurem o Reino dos Céus e o resto lhes será acrescentado.
Se vocês « fazem », sem estarem ligados ao Céu e à Terra, se vocês « fazem » sem estarem ligados à Unidade, nenhuma alegria pode daí sair.
Ou então será apenas contentamento de um prazer ou efêmero.
O « fazer », na Unidade, é uma Alegria permanente prosseguindo fora dos espaços e dos tempos do Samadhi, para manifestar-se nas suas atividades, quaisquer que sejam, sejam elas agradáveis ou desagradáveis, porque vocês estão destacados da ação que os leva, em Verdade, no instante e na Presença.
Isso é completamente diferente do que você enunciou.
***

Questão: entrar no Silêncio Interior é entrar no Samadhi?

Bem amado, existem muitas formas de Samadhi.
O maior dos Samadhi, chamado de Maha Samadhi, não lhes está aberto, salvo para alguns de vocês.
Ele corresponde à dissolução no grande Todo, como viveram grandes Seres e, em particular, aqueles que vocês chamam de Melquisedeques.
Eles o viveram em suas vidas.
Eles realizaram a sua Unidade.
Alguns foram até o final, outros não, mas eles tiveram acesso a múltiplas reprises de Maha Samadhi.
Mas se vocês permanecessem no Maha Samadhi, vocês iriam se dissolver unicamente e instantaneamente na Fonte.
Esse não é o objetivo, dado que vocês estão ainda aí.
Entretanto, certo número de Samadhi lhes é oferecido.
Eles lhes são oferecidos quando das Radiâncias Arcangélicas, eles lhes são oferecidos quando dos seus períodos de meditação.
Esses períodos de Silêncio Interior, onde nada mais existe além da Presença a si mesmo.
Isso é o Samadhi.
Isso se acompanha de espaços Vibratórios, de espaços de Luz e, sobretudo, de espaços de Unidade e de Unificação.
Obviamente, isso passa por um aprendizado.
Este aprendizado necessita voltar a sua Consciência para este Estado, a fim de que, após certo número de experiências, vocês possam ser capazes de viver no mesmo estado, mesmo nas ações, no Fogo do Coração, no Fogo do Amor, no Fogo da cabeça e agora no Fogo do sacro.
Em meio a este espaço de unificação chamado de Samadhi, o exterior não tem mais tomada sobre vocês.
São vocês que agem no exterior.
Não pelo querer, mas simplesmente pela sua Presença.
Se a sua Presença fosse suficientemente grande, vocês poderiam mudar a face do mundo instantaneamente.
Vocês poderiam deslocar montanhas, vocês poderiam parar o curso do Sol no céu.
É isso que, hoje, vocês são levados a realizar coletivamente.
Assim como irá anunciar o Arcanjo Miguel muito em breve, dentro de alguns meses, quando vocês irão viver isso de maneira coletiva em uma data extremamente precisa do seu calendário terrestre.
Toda a preparação dos Casamentos Celestes, toda a preparação da ascensão das sete Etapas tinham esse objetivo, este único objetivo: fazê-los reencontrar a Unidade, a Alegria, o Samadhi.
***

Questão: uma reconciliação com alguém basta para pacificar definitivamente a relação?

Bem amada, nos espaços multidimensionais da Unidade, as relações tais como a definem nesta humanidade, não têm qualquer sentido.
Essas relações apenas serviram para estabelecer laços de ressonância, de atração, laços de ação-reação no que foi chamado de Lei do Carma.
A Lei do Carma foi criada pelos Arcontes, em caso algum pela Fonte.
Assim, portanto, vocês serão muito em breve liberados dessas relações que chamam de cármicas.
Quer refiram-se a pessoas, quer refiram-se a laços, quer refiram-se mesmo ao sentido da sua encarnação.
Hoje, quando lhes é solicitado para se liberarem, obviamente, a reconciliação permite a liberação, mas não há qualquer necessidade de manter alguma relação que fosse contrária ao seu espaço Vibratório.
Hoje, vocês devem se liberar literalmente de todas as relações aprisionantes, de todas as relações que os perseguem e que os fecham nesses mundos da dualidade, porque hoje a Unidade se abre a vocês mais do que nunca, e viver na Unidade necessita deixar cair o que é dual em suas vidas.
E vocês chegaram agora nesses momentos.
E nada mais há a manter.
E tanto melhor se uma relação terminar em uma reconciliação, se isso permitir e puder ajudar uma Alma em curso de liberação desta matriz, partir de corpo leve.
O resto não tem mais qualquer importância.
***

Questão: a que corresponde a bolha em que me encontro por vezes, na meditação?

Isso corresponde a passagens, Bem amado, nas esferas de regeneração.
Essas esferas de regeneração são por vezes chamadas, na sua humanidade, de orbes.
Essas orbes são Entidades conscientes da própria Luz.
Não habitadas por Consciências humanas, mas servem para vocês, nos seus espaços intermediários, de espaços de regeneração.
Alguns de vocês guardaram na memória.
Algumas orbes são redondas, outras orbes tem formas piramidais.
São disposições da Luz criadas pelas Hierarquias Espirituais e enviadas à sua matriz, em diferentes tempos da história desta matriz, a fim de lhes permitir não serem cortados definitivamente da sua Fonte.
***

Questão: ouço o som Si em alguns períodos, depois mais nada... De onde provém isso?

Esse processo é completamente normal.
A variação do som Si da Alma está ligada às variações de pressão que existem na matriz, ligadas ao afluxo da Luz nesta ilusão.
Há variações espontâneas ligadas aos ciclos cósmicos, mas também aos ciclos lunares como aos outros planetas.
Isso é completamente normal. 
***

Questão: por vezes sinto o lamento de ter sido presa tanto tempo na matriz e de que esta crença tenha durado também tanto tempo. Por quê?

Bem amada, não é unicamente uma questão de crença.
Obviamente, a crença desempenhou um papel para o conjunto da humanidade.
Porque vocês estão, nesta matriz, sujeitos às crenças do conjunto da humanidade.
Mas houve outros elementos.
A Luz não pôde, até agora, penetrar inteiramente, como é o caso hoje, nesta matriz.
Nós jamais pudemos nos aproximar suficientemente perto do seu nível Vibratório sem correr riscos, seja de destruição para vocês, seja de destruição para nós.
Hoje, as coisas são diferentes.
Os lamentos não têm razão de ser.
A experiência terminou, ela termina.
Vocês devem, pelo contrário, sentir-se, como dizia Miguel, como Seres de coragem, Seres que completaram uma viagem que certamente foi dolorosa, mas que lhes permitiu, como irão descobrir em breve, crescer em meio à Luz e à Verdade.
E também, esta experiência irá lhes permitir, quando irromperem em meio aos multiversos, e em meio às suas dimensões espirituais, terem a memória do que foi vivido e do que jamais deverá ser reproduzido nos Universos.
Vocês serão, de algum modo, os Guardiões da Unidade.
Nesse sentido, como Filhos da Lei do Um, nós sempre os olhamos com admiração.
***

Questão: a extinção do som Si marca a entrada no Supramental?

Em certa medida, a resposta é sim, Bem amado.
Mas, antes de tudo, como lhes disse Sri Aurobindo, o Bem amado, quando vocês entram em meio aos espaços de Samadhi, em meio aos espaços da Unidade e do Estado de Ser, a Consciência está totalmente presente em si mesma, consciente de si mesma e também se dissolve no Todo.
O som da Alma cruza os últimos espaços que o separam dos Coros Celestes e do Silêncio Interior.
Mas, entretanto, reside nisso, além dos sintomas, se o pudermos dizer, reside nisso, a ínfima e a íntima convicção de que esse switch de Consciência, assim como foi nomeado, é bem real.
A experiência vivida não pode enganar.
Não pode haver questionamento quanto ao acesso ao Estado de Ser.
Porque, a partir do momento em que vocês o viverem, vocês estão plenamente conscientes do que isso é e de que isso nada mais é senão isso.
***


Bem amadas Almas humanas, eu lhes proponho agora para compartilhar, no silêncio, um espaço da minha Radiância, durante alguns minutos.
Eu lhes peço assim, se o desejarem, para acolherem a minha Irradiação e a minha Ressonância.
Como diria Um Amigo « do meu Coração ao seu Coração ».
Quanto a mim, eu vou empregar a expressão « da minha Consciência Arcangélica à sua Consciência de Semente de Estrela ».
Acolham.

... Efusão de energia ...

Nesta Vibração eu lhes digo até muito em breve.
Que a Luz guie os seus passos e que a Unidade seja a sua Morada.
************
Mensagem do Bem Amado ARCANJO ANAEL no site francês:
16 de abril de 2010 - 1
***


Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com.br
Postado por Célia G..
***
Transcrição e edição: Zulma Peixinho
************


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário