MA ANANDA MOYI – 6 de setembro de 2008

Clique aqui para comentar esta publicação




DO SITE AUTRES DIMENSIONS

Eu sou Ma.
Recebam todo o meu Amor e minha Bênção, caros filhos.
Recebam o Amor de minha presença.

Filhos da Unidade, filhos da Luz, paz às suas almas, paz às suas vidas, paz em seu coração bem amado.

Filhos da Luz, eu venho a vocês a fim de comunicar-me com vocês, a fim de comungar com vocês.

Como vocês sabem, já há algum tempo que vocês vivem e esperam, num mundo que espera um futuro luminoso.
Vocês vivem num fim de alguma coisa.
Esse fim não é um drama, mas, ao contrário, um regozijo.

Vocês vão, enfim, reencontrar a totalidade de seu ser, a totalidade de sua Essência e a totalidade do que vocês são.
Vocês vão renascer no Amor, pelo Amor e para o Amor.

De toda a eternidade vocês são os filhos da Luz e os filhos do amor.
Somente alguns véus, necessitados pelas experiências desejadas e desencadeadas por vocês, afastaram-nos dessa Verdade essencial.

Entretanto, se vocês soubessem como vão sair crescidos e luminosos dessa ausência de Luz que vocês experimentaram!
Não tenham medo.
Tentem amar o mais possível.
Vejam, em cada um de vocês, a totalidade do Amor.
Vejam, em todas as manifestações da vida (sobretudo se elas lhes pareçam privadas dessa qualidade de Luz e de Amor), a intensidade do Amor e da Luz.
A Sombra é apenas um olhar levado por um olhar que põe a sombra.

Vocês devem cultivar em seu interior o Amor.
Lembrem-se de que o Amor é doação, de que jamais o Amor é posse.

Qualquer que seja a relação de Amor que vocês vislumbrem, isso deve permanecer presente em seu espírito.
Assim é do Amor entre os seres.

O Amor é algo que torna livre.
O Amor é algo que não força, jamais.
O Amor é algo que vocês devem dar.

Bem amados filhos da Luz, neste fim de ciclo vocês devem provar sua fé no que vocês são, sua fé no Amor e sua fé na Verdade, porque nada mais subsistirá além do Amor.

Tudo o que não é Amor perecerá, tudo o que não é revelado a si mesmo não terá mais razão de existir, porque a Luz estará por toda a parte.
Vocês devem perceber isso, vocês devem crer nisso, para além da crença e para além de um mecanismo mental.

Vocês devem aceitar isso como uma lei essencial e uma Verdade essencial, mas, além de aceitar, vocês devem, sobretudo, viver, vocês devem, sobretudo, criar isso.

Vejam vocês: vocês estão em igualdade do criador.

Como eu dizia em minhas numerosas intervenções, entre vocês e eu não há mesmo a espessura de um cabelo, entre vocês e eu há uma defasagem do que vocês chamam o tempo de um ínfimo bilionésimo de segundo.
Vocês e eu somos os mesmos.
Vocês e eu somos o mesmo Amor.

Você, e o outro você, e seu inimigo são o mesmo Amor.
Simplesmente a experiência da encarnação afastou-os e pôs, entre vocês dois, uma distância que existe apenas em seus filtros e em suas construções e, entretanto, não há nessa oposição aparente entre vocês e o inimigo qualquer distância.

Há tanto Amor em seu inimigo como em você mesmo.
Não há inimigo, não há amigo, há apenas uma Verdade, há apenas uma essência, há apenas uma manifestação que é Amor.

O mundo que vocês percorrem não existe; o mundo que vocês percorrem é apenas uma projeção.
Nós chamamos a isso, em minha tradição de origem: maya, a ilusão.

Vocês estão na ilusão, na ilusão da separação.
Na ilusão de que o Amor pode apenas ser exclusivo.
Na ilusão de que vocês são limitados.
Há, no entanto, apenas os limites que vocês põem, vocês mesmos, para a expressão do Amor.

O Amor engloba tudo.
O Amor engloba todas as coisas.
O Amor está por toda a parte.
O Amor deve revelar-se tal como ele é.

Só a ausência de certa Luz os faz vislumbrar a ausência de Amor em manifestação e, no entanto, vocês são seres de Amor e, no entanto, vocês são seres generosos e, no entanto, vocês são seres de exceção.

Vocês são seres de Unidade de Verdade.
Vocês são seres imensamente corajosos por terem se aventurado nesses lugares e nessas crenças.

O Anjo deseja que experimentem o que vocês experimentam: a distância, a separação, o sofrimento.
Nós podemos mesmo medir a grandeza de seu Amor manifestado pelo sofrimento que vocês suportam.
Certamente, o sofrimento não é desejado pelo Amor; ele é desejado apenas porque vai permitir-lhes realizar o Amor num estágio ainda maior, ainda mais belo.

Vocês devem perceber que o Amor não é jamais uma imposição, que o Amor é liberdade.
O amor não impõe jamais, o Amor se dá sem refletir, sem cálculo, sem emoção.
Vocês devem fazer de sua vida a totalidade do Amor, porque vocês são seres generosos e belos.

Bem amados filhos da Luz, vocês devem gravar em vocês a Verdade desse Amor nos momentos (e eles podem ser numerosos nessa manifestação) em que vocês podem provar o que se chamam dúvidas ou faltas de Amor.

Vocês devem compreender que a falta de Amor que vocês sentem em alguns momentos está aí apenas para fazê-los crescer na intensidade de Amor, e absolutamente nada mais, nada mais.
Quanto mais vocês crescerem em Amor, mais vocês receberão o Amor, mais vocês darão o Amor, mais vocês o receberão.
Quanto mais vocês derem, mais ele lhes será dado.
Quanto mais vocês aceitarem essa Verdade essencial, mais vocês se aproximarão da Verdade, ao mesmo tempo mantendo esse veículo ilusório no qual vocês estão.

Essa prisão não é uma prisão; essa prisão, que é sua forma, é a ocasião inconcebível que vocês se deram para crescer na Verdade do Amor.

O Amor não julgará jamais.
O Amor está em tudo, ele não pode opor-se a uma de suas partes, qualquer que seja.

É o ser humano que opõe, que separa e que afasta, não o ser de beleza interior que vocês são, mas alguns atributos de sua forma que tomaram o poder, de maneira extremamente injusta.

Vocês são a Essência da própria Verdade; vocês são a Essência da pureza, então, adotem um olhar puro, porque nada está sujo, vejam em sua encarnação.
Cabe apenas a vocês, nesses mundos privados da Luz absoluta, manifestar essa Luz, manifestar a pureza, manifestar a beleza, a alegria a mais total.

Vocês devem estar à escuta do que diz seu coração e não do que diz sua cabeça.
A cabeça mentirá sempre, o coração, jamais.

A Verdade é a Unidade do Amor.
A Verdade situa-se no que vocês são e não nas manifestações exteriores que são, necessariamente, ilusões criadas por outros seres de ilusão, manifestando, com isso, as deformações do Amor.

O ódio é apenas uma manifestação deformada, ao extremo, do Amor, ligada ao medo, o medo da exclusão, da diferença.
Somente os olhos e o mental veem uma diferença entre tal ser e tal outro ser, entre tal energia e tal outra energia.
Mas digo-lhes, efetivamente, que, mesmo a mais negativa das energias está aí apenas para fazê-los crescer no Amor e que, se vocês a experimentam, isso corresponde a um pedido importante de seu ser interior para crescer no Amor e na Verdade.

O Amor é tudo o que é; o Amor é tudo o que não é.
Não há outra realidade que o Amor; não há outra Verdade que o Amor.

Todos os sentimentos, todas as gamas de sentimentos que podem ser provados por um ser humano em encarnação são apenas deformações do Amor.

O Amor não é um sentimento; o Amor é um estado.
O Amor não é uma ação; o Amor é ação de graça, de Verdade e de Luz.

A cada vez que vocês tenham a impressão de andar na Sombra, lembrem-se de que vocês são seres de beleza, de grandeza e de esplendor e de que apenas algumas partes inerentes à sua experiência querem fazê-los crer o inverso, porque elas querem existir por si mesmas.

São quimeras que foram criadas por vocês mesmos, para fazer face aos seus próprios medos porque, fundamentalmente, o medo não existe, ele é apenas uma criação na negação.

A criação na aceitação é Amor total e doação total.

Vocês não devem pôr limite algum à sua potência de Amor, à sua realização de Amor.
Nenhum dos entraves da ilusão, que vocês criaram, é suficiente para apagar seu Amor.

Parece-lhes, por vezes, que as vicissitudes de suas vidas, nos mundos diferentes onde vocês manifestam suas ilusões (na família, em suas profissões, em suas relações) chegam, por vezes, a fazê-los duvidar.
Mas lembrem-se de que a dúvida é o maior húmus e o maior adubo do Amor, porque é através dela que vocês descobrem o Amor.

Vocês devem ir totalmente nessa dimensão porque, nesse lugar, onde se encontra seu esplendor e sua beleza, não pode haver dúvidas, não pode haver medos, não pode haver sofrimentos, não pode haver ilusões.

Bem amados filhos da Luz, quaisquer que sejam as circunstâncias exteriores de suas vidas, sejam elas felizes ou infelizes, isso não tem qualquer espécie de importância, porque vocês têm todos a mesma finalidade e o mesmo objetivo, mesmo e, sobretudo, se vocês dizem o contrário ou pensam o contrário.

O Amor sustenta e mantém toda a vida.
Não pode ser de outro modo, porque o Amor é tudo.
O Amor é o Tudo.
Vocês não podem ignorar mais muito tempo isso.

Vocês devem perceber seu potencial de Amor; vocês devem perceber a grandeza que vocês são.
Todo o resto são apenas ilusões e projeções.

O outro mesmo, seja o ser amado ou o ser odiado, é apenas uma projeção.
Tudo o que vocês veem no exterior está presente em seu interior.
Não há diferença entre o interior e o exterior.

Vocês devem tudo julgar, pesar, apreciar com o mesmo olhar, porque o fato de julgar com o mesmo olhar todas as coisas conduz à ausência de julgamento.

Aquele que não vê diferença entre o Cristo e o ladrão compreendeu o essencial da Verdade.
Ele não está separado pela divisão do que se chama aparência da ilusão.
Ele está centrado e afirmado em seu olhar interior; ele não está sujeito às diferenças de forma e aos julgamentos de valores ligados às diferentes formas, objetos ou concepções.

Vocês devem impregnar-se totalmente, crescendo na fé do Amor na Verdade, do Amor na irradiação do Amor.
Isso é algo que se constrói a cada instante e que, no entanto, já está construído inteiramente.
Simplesmente, o que vocês colocaram diante de seus olhos os impedem de contemplá-lo; o que vocês colocaram diante de seus olhos são, obviamente, os medos, as crenças, as ilusões, mas vocês não devem, tampouco, julgar isso, vocês devem englobá-lo na mesma realidade, na mesma Verdade do Amor.

Lembrem-se: o Amor é inclusivo e não exclusivo.
Todo Amor que se quiser exclusivo já não é o Amor, mas a posse.

O Amor é liberdade; o Amor é doação; o Amor é gratuito.
Então, por que vocês querem restringi-lo?
Por que vocês querem confiná-lo no ser amado?
Por que vocês querem confiná-lo nas circunstâncias felizes?

O Amor está absolutamente por toda a parte.
Sem Amor vocês não poderiam mesmo ver a ilusão que vocês criaram.
Sem Amor, esse mundo não perduraria um bilionésimo de segundo de seu tempo.

Vocês são essa eternidade de Amor.
Vocês são essa centelha de Luz e vocês são a Luz que criou a centelha.
Vocês são tudo isso ao mesmo tempo.

Vocês são o anjo; vocês são a criança que morre de fome; vocês são também aquele que vocês tiveram, talvez, vontade de matar.
Tudo isso são apenas ilusões, construções, aparências.

O Amor os engloba.
Mesmo essa forma ilusória na qual vocês estão pôde ser construída apenas pela vontade de Amor.

A negação do Amor conduz à não-vida, conduz ao sofrimento, conduz à exclusão, conduz ao confinamento, conduz ao errante e conduzirá, um dia, necessariamente, à grandeza e à ressurreição do Amor.

Vocês estão numa época na qual lhes é pedido para parar o caminho e, simplesmente, abrirem-se à totalidade do Amor, porque esse é o momento.
Esse momento é raro, esse momento é importante, esse momento é grande: é o momento dos reencontros, é o momento dos casamentos, é o momento para a reconexão ao que vocês são, de toda a eternidade.

Vocês são além da forma, vocês são além da manifestação, vocês são além do criado, vocês são além da criação, porque vocês são o criador e a criatura exteriorizada em si mesma.
E, entretanto, vocês são a Fonte, e nada pode existir sem essa Fonte.
Tomem cada vez mais consciência dessa Verdade, porque é a única.
O resto é apenas vaidade, o resto é apenas negação.

O Amor é soma.
O Amor é multiplicação.

Bem amados filhos da Luz, quando vocês tocarem a realidade do Amor que vocês são vocês viverão num estado permanente de Amor.
Nenhuma circunstância interior ou exterior poderá alterar essa Verdade essencial nesse mundo e nos outros.

Esse Amor já está aí, inteiramente, na eternidade.
Vocês devem viver nessa santidade, não a santidade das imagens que algumas tradições e religiões traduziram a vocês, de maneira ilusória.
A santidade não é a perfeição, na acepção humana.
A perfeição espiritual é apreciada e medida na qualidade da intensidade do Amor.

Bem amados filhos da Luz, vocês devem superar os véus da aparência, vocês devem superar os medos de todas as espécies, porque o medo é apenas uma projeção.

Fora do estado de Amor que vocês são, se vocês estão estabelecidos no Amor, o que vocês querem que aconteça?
O que vocês querem que se passe?
Porque, no Amor, nada se passa, nada acontece que não seja o Amor.

Bem amados filhos da Verdade, vocês são amados, de toda a eternidade, para além mesmo das ilusões que vocês criam.
Para além da encarnação na qual vocês estão nós, seres multidimensionais percebemos essa grandeza que os anima e os sentidos do sacrifício que lhes permitiram ousar entrar nessa ilusão.

Lembrem-se, bem amados filhos, que o Amor ignora o medo, que o Amor ignora a separação, que o Amor ignora as dores e as alegrias, porque o Amor é a Alegria, o Amor é plenitude.

Como, nesse estado de plenitude, poderia existir lugar para a incompletude, para o sofrimento, para a falta?

Aí está, bem amados filhos da Luz, algumas palavras simples sobre o Amor, que eu tinha vontade de comunicar-me com vocês.

Bem amados filhos da Luz, eu os agradeço por seu instante de comunhão comigo, por seu instante de confiança, de Verdade.

Bem amados filhos da Luz, eu não os deixo, porque eu estou em vocês.

Sejam abençoados, vão na Paz, vão no Amor, sejam a Verdade, sejam a Unidade.

Paz a vocês.
Eu os amo.
___________________________

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário