SILO - 26 de novembro de 2007 - Autres Dimensions

Clique aqui para comentar esta publicação





Sejam abençoados, irmãos e irmãs na humanidade, irmãos e irmãs em Cristo.
Meu nome é SILO.
Eu venho como entidade curadora não, esta noite, em relação a uma cura física (isso ficará para amanhã), mas, se vocês o permitem, eu venho para assisti-los, dar-lhes elementos que podem permitir-lhes, em sua vida, encontrar mais facilmente o que chamaria, aquele que me apresentou como seu colega, essa dimensão Crística que está em vocês.

Eu venho assisti-los, ajudá-los nessa diligência que lhes permitirá, cada vez mais, eu o espero, alinhar-se com o que vocês são, alinhar-se, cada vez mais, com essa dimensão de Unidade, essa dimensão de eternidade que é sua, para que nunca mais haja, no desenrolar de sua vida, outra coisa que não a paz do coração e a paz de Cristo.

Então, antes de dar-lhes os exercícios que são desejáveis para cada um de vocês, eu quero responder a uma pequena dezena de questões sobre tudo o que participa da evolução.

***

Questão: há uma relação entre Shamballa e a Jerusalém Celeste?


Algumas relações de vibrações, mas são duas coisas que são profundamente diferentes.
A Jerusalém Celeste é a embarcação de cristal, a embarcação de Luz que vaga nos espaços intersiderais, mas, sobretudo, nos portais intraterrestres, para aportar transmutações vibratórias nos sistemas solares vivos.
É algo que é móvel.
O reino de Shamballa é um reino atemporal, fora desse espaço dimensional e que está, sempre, no mesmo lugar é, já, uma diferença notável.

A Jerusalém celeste viaja, sempre, de mundo em mundo, e aporta a vibração que permite a elevação ou a criação.
Shamballa é mais uma obediência que reúne diferentes forças e diferentes correntes, que intervêm nos destinos de mundos encarnados.
Shamballa é constituída de seres no sento o mais nobre.
A Jerusalém Celeste é uma estrutura mineral, não constituída de seres, mesmo se seres viagem graças a ela.
São, portanto, duas coisas extremamente afastadas em suas funções, em seu funcionamento e seus atributos.

***

Questão: a Jerusalém Celeste tem relação com a cidade que é chamada Jerusalém?


Obviamente.
Não é um acaso se essa cidade chama-se Jerusalém sobre este Planeta.
Jerusalém, Yerushalaïm, corresponde a uma dimensão específica de uma embarcação de Luz, de uma embarcação de cristal.
Os homens têm, sempre, em todas as civilizações, procurado, nessa dimensão terceira, materializar arquétipos.
Assim nasceu a Jerusalém terrestre.

***

Questão: se tudo é ilusão, o que significam as dores, bem reais, por vezes, do corpo?

A dor é resistência, a dor é inflamação, ela é o que mantém na ilusão, ela é criada pela alma que está apegada e que recusa desfazer-se de seus últimos apegos.
Assim, a personalidade cria o apego ao corpo.
A solução está, certamente, por vezes, em medicamentos, quaisquer que sejam, mas a solução é, antes de tudo, compreender onde se situam as resistências, onde estão os apegos.

Liberar-se de dores é uma visão agressiva.
Não se libera de uma dor, faz-se apenas deixá-la atrás de si, mas, para isso, é preciso que a alma compreenda o que são os apegos vividos.
Há, consciente ou inconscientemente, pouco importa, veleidade de permanecer apegado ao que nos entrava, por medo do desconhecido, por medo da novidade, entretanto, há apego.

O corpo faz apenas ilustrar e apresentar a lição que é necessária à sua alma.
Ele os põe em face da conscientização do problema e do conflito entre a alma e a personalidade.

Meus queridos filhos, irmãos e irmãs de Luz na humanidade e em Cristo, eu lhes peço para receber toda a minha paz.
Eu lhes peço para querer aceitar meu amor e eu lhes desejo um bom alinhamento com o que vocês são, no mais profundo de seu ser.
Sejam abençoados, sejam amados e, talvez, até breve.


************

Mensagem de SILO no site francês:
26 de novembro de 2007

***

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

***

Transcrição e edição: Zulma Peixinho


************


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário