Série de textos de JL durante seu acesso ao Absoluto: QUANDO SOMOS APENAS O AMOR - 26-03-2012

Clique aqui para comentar esta publicação




Série de textos escritos por Jean Luc Ayoun durante seu acesso ao Absoluto


*QUANDO SOMOS APENAS O AMOR* - 26.03.2012

O Amor nos toma, nenhuma resistência pode tocar de leve, o coração excitado inunda-se de Paz e de Graça, sem decidir, sem querer, sem recusar. Cada ser, cada coisa é percebida nesta Graça infinita do Amor, nada mais pode ser senão a doação da Vida, mesmo a negação é apenas o sofrimento da sua não consciência. O Amor preenche tudo porque ele é o todo, ele está em qualquer forma, como em qualquer sem forma. O Amor é este êxtase contínuo e perpétuo preenchendo de Alegria e de Luz toda consciência que se oferece a essa Doação. A vida está instalada na beleza, na imperiosa dança da doação de si mesmo a todos, nenhuma exceção é possível, porque o Amor é assim, sem exceção, é excepcional reviver na simplicidade da sua ação e no presente, porque nenhuma questão é possível, tudo é evidência além de uma possível dúvida. A certeza interior é vivenciada, o que quer que chegue é aceito no mesmo ímpeto espontâneo da doação, nenhuma barreira pode ser erigida entre você e eu, o enunciado do ‘nós somos Um’ assume toda a sua dimensão, toda partilha é Amor, toda troca é comunhão à Graça.

Este corpo participa desta dança da comunhão, ele é regenerado a cada inspiração, tornando-se o perfeito receptáculo da Vida, cada célula cintila da onda, tudo é pretexto para esta manifestação sublimada do Amor. Cada olhar dirigido torna-se transcendência e transparência onde aparece a trama da eterna ronda da vida, cada olhar cruzado retrata a mesma intensidade, cada coisa, cada objeto, cada ser está vivendo a mesma Unicidade que nenhuma diferença pode alterar.

Então, capitulando toda possibilidade de negar a evidência, o Amor faz deste corpo um eterno braseiro à sua própria presença, o inalterável Amor tornado diamante adorna-se de milhares de lareiras, estilhaçando toda veleidade de interdição ou de limites, o Êxtase ondeante instala-se sempre mais ampla e majestosamente, como a única possibilidade, como a única verdade permanente. Cada tempo daqui é conectado além desse tempo, inscrevendo-o na eternidade da Graça, o Amor reina em si mesmo, estrito de pureza, de beleza, de evidência. DESFRUTEM.

fonte: http://absolultime.xooit.fr/t5584-Recueil-des-textes-ecrit-par-Phenix.htm
Tradução para o português: Zulma Peixinho
via: http://portaldosanjos.ning.com/


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário