Série de textos de JL durante seu acesso ao Absoluto: MEU CORAÇÃO EXULTA E SE VERTE EM CADA UM - 10-04-2012

Clique aqui para comentar esta publicação




Série de textos escritos por Jean Luc Ayoun durante seu acesso ao Absoluto

*MEU CORAÇÃO EXULTA E SE VERTE EM CADA UM* - 10.04.2012

A Onda da Vida continua a trabalhar nos ateliês da criação, este indizível Amor que além de abrasar o coração, o faz vibrar em uma tonalidade de uma potência tal que cada Sopro é deleite e morte, juntando-se ao sublime perfume da Morada da Paz Suprema.

O Absoluto submerge qualquer forma, qualquer vontade de ser ou de não ser, eu não sou mais mestre deste coração, ele age à sua maneira inundando de Amor tudo o que a consciência vê, no mesmo Fogo que libera e ama sem restrições, mais nenhum limite pode se manifestar nesta dança da Onda, mais nenhum conhecido pode ali aparecer, esse fluxo verte-se em permanência, noite e dia, sobre tudo o que é adjacente e notado, nenhum obstáculo, nenhuma construção, nenhuma hostilidade pode perturbar o que é vivo e vida!

O próprio sentido de toda vida inscreve-se nesta dança da Onda que é renascimento permanente do Amor a ele mesmo, nenhum problema, nenhum embaraço pode sustentar-se diante da majestade do indizível Último.

Então, escapa deste peito que foi o meu, um único grito, um único apelo “Ame!” e venha então abrasar o coração dos outros, de cada Um, despertando-o à sua indizível Alegria de si mesmo, o mesmo coração, o mesmo Amor flui então de Você para mim e de Mim para você, nenhuma barreira, nenhuma prisão, nenhuma carne pode nos restringir ou nos limitar no ato de amor, porque nós somos Amor, Absoluto, Último!

Nós somos a Liberdade, nós somos a Alegria infinita.

Nenhum limite pode alcançar o Amor, nenhum freio pode alterar a Onda da Vida, nós oferecemos nossos vasos e nossos templos em gratidão por esta Dádiva.

Nenhum pensamento pode imiscuir-se na vibração dos nossos corações entrelaçados e, livre, eu canto a sua liberdade, eu canto a minha liberação, unidos no mesmo canto do Último, no mesmo Sagrado das nossas presenças neste mundo como em qualquer mundo, nenhuma estrela pode ignorar a nossa sagração, pode negar a evidência do Amor.

Eu não me pertenço mais, eu não pertenço mais a você, porque os nossos corações pertencem ao Único, nenhum pertencimento pode imobilizar o Amor e a Liberdade, eu canto a sua Vida, como você canta a Minha, que não estão mais em nós, mas estão inscritas no frontispício do infinito!

Eu o amo além de todo eu, de toda pessoa, eu sou o Amor honrando o Amor que você é, esqueçamos nossas pessoas e entremos no indizível do Absoluto, não há outra via, não há outras possibilidades senão ser este sorriso, este olhar preenchido da Graça, esta mão que aberta oferece a você a Dádiva de si mesmo, o olhar preenchido da promessa eterna do seu Amor, eu estimo cada coração, cada chama, não importa que ela acolha ou não, porque todo coração é bom para tornar-se livre, para tornar-se vibrante com a nossa união e a nossa liberdade!

Ele nos falou: “quando vocês forem dois reunidos em meu nome, eu estarei entre vocês!”, Ele vem confirmar isso.

Eu conheço o seu Amor, você não pode esconder o seu coração, nenhuma muralha pode ser invencível para a Graça do Amor, não negue mais, não rejeite mais a sua essência, o que quer você combater, o que quer você esperar de mais belo do que o que você é, atrás desta pessoa, atrás de cada pessoa, abra-se! Porque nada pode fechar de novo o seu coração à sua Divina Presença, nada pode alcançar o Amor, exceto o Amor. DESFRUTEM.

fonte: http://absolultime.xooit.fr/t5584-Recueil-des-textes-ecrit-par-Phenix.htm
Tradução para o português: Zulma Peixinho
via: http://portaldosanjos.ning.com/

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário