Série de textos de JL durante seu acesso ao Absoluto: ABSOLUTO E PRESENTE EM UM RELATIVO - 27-03-2012

Clique aqui para comentar esta publicação




Série de textos escritos por Jean Luc Ayoun durante seu acesso ao Absoluto

*ABSOLUTO E PRESENTE EM UM RELATIVO* - 27.03.2012

O Absoluto é tudo o que não é uma consciência, seja qual for esta consciência, nem esta pessoa, nem aqui, nem em outros lugares, nem o Ego, nem o Si, é o não ser, de onde a angústia que apreende aquele que ousa, em um corpo tão relativo, aproximar-se deste Absoluto!

E, no entanto, eu afirmo, de maneira ponderada, que nós somos exclusivamente este Último, nenhum mundo é real, nenhuma vida deste mundo é real, todo este mundo, todas as vidas, todas estas consciências presentes são apenas Ego, e somente Ego!

Naturalmente o Ego, ele vai negar ferozmente que seja isso, porque ele é apenas, justamente, a negação do Absoluto. O Ego apenas reside em uma fantasia, em uma tragédia que não tem qualquer substância, qualquer essência, eis porque quando a Onda da Vida apreende vocês, ela faz ressurgir esta angústia da dissolução do Ego, pois o Ego apenas se mantém porque ele tem medo de perder alguma coisa, mas viver o Absoluto em um relativo é certamente tudo exceto uma perda, já que isso acarreta, definitiva e irremediavelmente, uma liberação completa de todo conhecido, o conhecido é, na verdade, transcendido totalmente pela Onda da Vida, ele, entretanto, não desaparece, contrariamente ao que sugere o Ego!

O Último é, na realidade, tão simples e evidente que em momento algum o mental pode aderir, porque ele apenas pode funcionar e existir no relativo, o Absoluto não pode nem ser experimentado por ele, nem mesmo conceituado, para ele isso é um absurdo, ou mesmo um contrassenso! Vocês não podem contar de nenhuma forma com ele para saírem do conhecido, ainda menos do seu relativo, isso é pedir muito para ele.

Vocês não podem mais ordenar para ele se calar pela meditação, basta ser o observador que observa o que, naquele momento, irá se tornar mais fácil de deixar a Onda liberá-los do seu relativo ou do seu Si, se ele já estiver presente. Permaneçam o máximo possível em paz, nada mais solicitem, nada mais projetem, nada mais esperem, tudo já está aí, desde a eternidade!

Não se preocupem com nada, a Onda da Vida como a Luz Vibral são a nossa Essência e, portanto, ambas sabem muito bem restituí-los a vocês mesmos, não se esqueçam de que devido ainda ao seu relativo e ao seu Ego, vocês não podem, vocês, limitados, fazer a experiência do ilimitado, é o ilimitado que vem a vocês, jamais o contrário!

Dito de outra forma, não são vocês que buscam a Luz, mas, sim, a Luz que os encontra, assim que vocês se apreenderem da futilidade e da pretensão desta procura da Luz. E isso requer uma única coisa: uma humildade plena e sincera, um esvaecimento total do Ego e do Si, esvaziar o que está em demasia para deixar todo o lugar ao que vocês são, além de todo estado, de todo ser.

Principalmente não concebam qualquer culpabilidade se o seu relativo ainda obstruir o acesso ao Absoluto, não se preocupem especialmente com isso, vocês leram essas palavras e, portanto, vocês sabem que isso, mesmo rejeitado em bloco, já está presente em vocês, é apenas uma questão de momento oportuno.

Sigam em paz a sua vida, façam o que vocês acharem ser o mais justo e o mais honesto, nada mais, e isso será, seja o que for que vocês desejarem ou recusarem, isso é natural, totalmente natural. DESFRUTEM.

fonte: http://absolultime.xooit.fr/t5584-Recueil-des-textes-ecrit-par-Phenix.htm
Tradução para o português: Zulma Peixinho
via: http://portaldosanjos.ning.com/

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário