MARIA – 27 de novembro de 2007

Clique aqui para comentar esta publicação





Eu sou Maria, rainha dos céus e da Terra.
Meus bem amados filhos, eu venho a vocês para reafirmar o que vocês são, para iluminar a Luz que vocês são, de toda a eternidade.
Essa Luz, que vocês revestiram de véus da aparência, de véus de sua encarnação, de véus de suas vidas.
Vocês não devem ter medo de nada, porque vocês são imortais, são eternos, são, de toda a eternidade, os filhos bem amados do Pai, os filhos bem amados da Fonte e são, vocês mesmos, uma parcela dessa Fonte.
Tão distante quanto vocês peregrinem, tão distante que vocês chegam a esse instante presente, houve a promessa desse retorno à Unidade, a promessa do retorno à sua Divindade total, para além das experiências da encarnação, para além dos campos da manifestação e da criação nos quais vocês evoluem.

Essa promessa é inscrita no mais profundo de seu ser, porque não pode haver afastamento da Fonte sem retorno à Fonte.
Em toda centelha de vida, em toda alma encarnada essa promessa é inscrita.
Mas, do mesmo modo, o planeta que os porta também fez, um dia, esse juramento, quando de sua criação, de afastar-se da Fonte e de voltar à Fonte, de fundir-se a ela.

Em sua linearidade do tempo há períodos específicos, períodos propícios ao desvendamento de sua Luz, ao desvendamento completo de quem vocês são.
Assim, não se deixem, jamais, invadir pelo alarido do mundo, não se deixem, jamais, desviar do que vocês são, da Luz que está em vocês, da Luz que lhes cabe irradiar, do amor que vocês são, que convém transmitir a tudo o que vem ao seu encontro.
Vocês não devem separar, não devem julgar, isso foi dito em numerosas reprises, quando meu Filho andou nesta Terra.
Vocês devem amar além das aparências, devem amar além do que seu mental quer, efetivamente, dizer-lhes, devem amar além das emoções que demasiado frequentemente guiam seus passos e sua vida.

O Amor é ser, o Amor é Unidade, o Amor é perdão, o Amor é transcendência, o Amor é ausência de julgamento, o Amor é reunificação à Fonte.
Vocês são Amor.
A alma que os anima aspira a esse retorno à Luz.
A personalidade que vocês vestiram pode levá-los a seguir caminhos desviados, isso não tem qualquer importância porque, além de suas experiências temporais, permanece, em vocês, o sopro de sua eternidade, a certeza de sua eternidade.

A vida passa, as experiências passam, mas o amor permanece.
Cabe a vocês, nessa época que vive seu planeta, deixar transparecer sua Luz.
Algumas experiências que vocês vivem, uns e outros, e que vocês se preparam para viver, são experiências inesperadas para permitir-lhes desvendar a Luz que vocês são.
Estejam, também, certos, queridos filhos, de que a cada sopro que os porta nessa encarnação, vocês são guiados, vocês são acompanhados.

Oh! Jamais vocês estão sós, como queria, por vezes, fazê-los crer sua personalidade.
De todos os tempos, vocês são apoiados, sustentados, guiados em seus caminhos.
Apenas o obscurecimento da Luz é que pode fazê-los crer que estão isolados, que estão sós, que estão privados de amor.
Mas vocês não têm que encontrar o amor, vocês são amor.

Eu venho por minha presença, minha irradiação, minhas palavras, dizer-lhes, ainda uma vez, da certeza que deve ser a sua, não nas circunstâncias felizes ou infelizes de sua vida ou de suas experiências, mas da certeza que deve ser a sua em sua Unidade e em sua Divindade.

Meus bem amados, mais do que nunca, é importante encontrar a essência do que vocês são, a essência de seu centro.
Mais do que nunca lhes é solicitado fazer um esforço e abrir seu templo interior para a divina presença.
O sopro do Espírito bate à sua porta, o sopro do Espírito abate-se sobre a Terra, como uma nuvem fecundante.

Esse sopro não é destruição.
Esse sopro é apelo e lembrança da promessa da Luz.
Convém, mais do que nunca, estar à escuta ao nível do coração e não ao nível do que acontece no exterior, porque isso faz apenas passar e não durará.
Em contrapartida, sua eternidade é a joia suprema, que permite e que sustenta os mundos, os universos.
É um tempo para a experiência, e isso, inúmeros de vocês viveram, de alma em alma, de corpo em corpo, eu disse, efetivamente, de alma em alma.

Mas além de tudo isso, além desses jogos de encarnação, vocês são Espírito, vocês são sopro de verdade.
Em alguns momentos precisos do relógio cósmico, é permitido à maioria de almas em encarnação em dimensões pesadas poder aliviar-se, poder encontrar a alegria inefável do retorno à casa, a alegria inefável de reencontrar o que se é, inteiramente.
E vocês estão no limiar de um ano novo, em seu tempo linear, que é, também, um limiar para outro espaço, para outra realidade de vida, uma realidade de consciência que está bem além de suas expectativas e de suas esperanças as mais loucas.

O que fazer para chegar a isso?
Simplesmente, meus caros filhos, abrir seu templo interior para sua dimensão essencial, para sua dimensão Crística, para sua dimensão divina.
O sopro do Pai vem bater à porta de seu ser.
Vocês O sentem?
Pressentem-nO?
Seja pela alegria, seja por alguns medos, seja por alguns pesos, cabe a vocês, entretanto, abrir bem as portas de seu coração.
Não temam, eu estarei ao seu lado, individualmente, para cada alma que fizer esse pedido.
Eu virei, também, pessoalmente, no momento oportuno, informá-los por uma locução interior, por um sentir interior, que o momento chegou de acolher o sopro do espírito, inteiramente.

Desviem-se do alarido do mundo, do que faz seus problemas quotidianos.
Voltem-se com firmeza para sua Divindade, voltem-se com certeza, não se esqueçam, jamais, de que uma promessa foi feita.
Essa promessa é aquela que os seguiu em suas peregrinações, em suas encarnações nessa dimensão tão pesada, na qual tudo é divisão, na qual tudo é separação.
Essas experiências foram úteis à fortificação de suas almas.
Vocês se tornarão cada vez mais ricos de experiências vividas, felizes como infelizes, alegres como tristes, mas isso não tem qualquer importância.
Tudo isso passa e morre.
Só permanece a promessa de sua Divindade.

Meus bem amados, eu lhes peço, neste período que se anuncia, acolher, totalmente, quem vocês são, olhar-se, com retidão e precisão e, sobretudo, com verdade.
Não se julguem, tampouco.
Suas experiências não são vocês.
Os eventos que sobrevêm são apenas tramas de ações e reações.
Para além desses mundos de ações e reações existem os mundos de pura Luz.
Vocês estão, meus bem amados, nesse limiar.

Cabe apenas a vocês abrir a porta.
Cabe apenas a vocês aceitar, acender, totalmente, a Luz que vocês são.
Para isso, não há necessidade de coisas complicadas.
Há necessidade, simplesmente, de escutar seu coração e de aceitar abrir seu coração.
Lembrem-se de que vocês jamais estão sós.
Nos momentos de pior solidão, nos momentos de desespero, como nos momentos intensos de alegria, qualquer que seja a fonte dessa alegria, nós estamos aí, atentos aos seus apelos, atentos às suas orações.
Nós esperamos apenas uma única coisa: é a abertura para sua Divindade, ir além do que é chamado o despertar para ir para a plena realização de sua Divindade.

Meus bem amados, aí estão as algumas palavras que eu queria transmitir-lhes.
Ainda uma vez, recebam o meu amor de Mãe e toda a minha bênção.
Vocês são filhos da Unidade, filhos da Luz, filhos da Fonte, Luz e Fonte, vocês mesmos.
Sejam abençoados.
Eu os amo e eu lhes digo até muito em breve.
______________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Traduzido para o Português por Célia G.

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário