Modos de Funcionamento da 5D - Parte II

Clique aqui para comentar esta publicação




Leia antes a Parte I: Modos de Funcionamento da 5D - Parte I

Questão: Você tem informações sobre as novas formas de vida?

As formas de vida da quinta dimensão são tão diversas e variadas quanto às formas de vida de terceira dimensão tanto no interior deste sistema solar quanto em outras galáxias.

O modelo no qual eu vou entreter-lhes concerne a um dos modelos que os humanos podem escolher após sua ascensão.

Este modelo corresponde à troca de um corpo de terceira dimensão por um corpo de quinta dimensão cujas estruturas celulares, vibratórias, atômicas, orgânicas, metabólicas são profundamente diferentes, mas outras formas de vida na quinta dimensão são possíveis.

Não há só uma forma de ascensão e uma destinação, mas múltiplas.

Entretanto pode-se propor uma linha diretiva nas diferentes evidências entre uma vida em terceira dimensão e uma vida consciente em quinta dimensão, qualquer que seja o elemento de origem e qualquer que seja a filiação genética existente.

O primeiro elemento manifestado na vida em quinta dimensão, que é fundamentalmente diferente da vida em terceira dimensão, é a não existência da sombra e de todos os fenômenos inerentes à sombra.

Trata-se também da ‘sombra contida’ (porque a claridade não virá mais de um ponto, mas da totalidade dos pontos dos céus).

A alternância dia/noite não pode, portanto, existir.

Não pode não mais ali haver alternância vigília/sono.

A ‘comunicação’ faz apelo à radiação, à vibração.

A única ‘tecnologia’ possível, se tanto que esta palavra seja aplicável, é a tecnologia da Luz.

Com efeito, a Luz em quinta dimensão é o pensamento, eu diria mesmo que a Luz é a concretização do pensamento.

Algumas características da terceira dimensão não existirão mais.

As diferenças são importantes segundo o meio de vida e os éteres frequentados pelos humanos em fase ascensional e não pode então ser desenhado um quadro unitário das manifestações orgânicas.

De uma maneira mais global as ‘necessidades’ inerentes à existência em terceira quase não existem mais nos corpos ascensionais quer se tratem de necessidades nutritivas, necessidades afetivas, necessidades sexuais que são mais ou menos extintas nos mundos diversos de quinta dimensão.

As ‘regras sociais’ de grupo não são mais em função de linhagem no sentido genético, mas de filiação no sentido espiritual.

A ligação entre os indivíduos é uma ligação de grupo no sentido disso que vocês chamaram de alma/grupo animal com, entretanto, um sentido agudo de individualidade posto em proveito da coletividade.

Nesse sentido os ‘valores de trocas’ conhecidos no mundo de terceira dimensão baseados sobre noções de competição, sobre a ordem de precessão, sobre a filiação, não têm absolutamente mais curso.

Os meios de troca tecnológicas que vocês chamaram de dinheiro no sentido de compra, propriedade, venda, não podem simplesmente mais existir em quinta dimensão, qualquer que seja o modo de manifestação, porque a criação é instantânea e não depende de um poder qualquer mas antes de uma realidade comum.

A ‘interrupção de consciência’ ligada a isto que vocês chamam, em terceira dimensão, de a morte, não pode mais existir.

Quando um veículo (corpo físico) de quinta dimensão está gasto (o desgaste não sobrevindo sobre uma mesma escala de tempo quaisquer que sejam os mundos de quinta dimensão) a consciência se transfere simplesmente a um novo veículo.

A partir da vida em quinta dimensão o acesso e a percepção mais ou menos consciente das outras dimensões é praticada, é conhecida.

A quinta dimensão pode se definir como um lugar de vida intermediária entre a terceira dimensão e a nona dimensão.

Assim, a quinta dimensão é um mundo de passagem e de transição em direção aos mundos densos de terceira dimensão e em direção aos mundos de luminescência mais ágeis de nona dimensão, onde se comunicam entre si diferentes sociedades de grupo vivendo nas diferentes dimensões dos éteres de quinta dimensão.

Estas informações não devem confundi-los.

Elas estão aí simplesmente para mantê-los informados.

Segundo alguns walk-in tendo existido entre a intra-Terra e o mundo de superfície, o que lhes parece mais diferente é a ausência de sombra, a ausência de doença e a imanência da Luz e ao mesmo tempo sua impermanência e sua permanência.

A Luz é a base da quinta dimensão, coisa que vocês não conhecem.

Salvo no momento de algumas experiências chamadas de morte ou ‘experiência de morte iminente’.

Eis a trama de vida global nos mundos de quinta dimensão, mas existem diferenças fundamentais, como na terceira dimensão, entre os povos primitivos e grupos hiper mecanizados.

Se há dúvidas que restaram onde eu possa ir, eu quero muito tentar ajudá-los.

Questão: Existe comunicação entre as diferentes formas de vida em quinta dimensão?
Sim.

Da mesma forma que vocês têm diferentes modos de comunicação.

Simplesmente eles não são técnicos, mas telepáticos, diretos e instantâneos de um extremo ao outro dos mundos de transições da quinta dimensão.

Questão: Existe uma forma de hierarquia?

Não há mais ordem de precessão.

A hierarquia não é entendida no sentido em que vocês entendem, mas simplesmente nós temos delegados, estes são enviados a nos representar, mas eles fazem mais que nos representar por causa do eixo de comunicação telepática.

Eles emprestam seus veículos a nossos pensamentos.

Há, no entanto, ‘estruturas de controle’, não de nossa liberdade, não de nossa dimensão, mas de outras dimensões das quais somos encarregados.

É o único momento em que uma linha hierárquica qualquer está presente.

Não há diferença hierárquica entre um governador, um administrador de estruturas geodésicas e um simples meditador ou um simples artesão de Luz.

Eles são todos simples.

Cada um se ocupa de seu pólo de interesse de maneira total.

Questão: O que você chama de “artesão de Luz”?

Estes são nossos artistas que são capazes de construir com a Luz de maneira mais fácil e mais alegre que alguns outros habitantes.

Questão: O que você chama “meditador”?

Os meditadores poderiam corresponder a isto que vocês chamam de seus sacerdotes.

Simplesmente nossos sacerdotes para nós são bem evidentemente ligados a dimensões superiores de maneira, eu diria, mais direta que o conjunto de nossa coletividade.

Eles se ocupam disso que nós não queremos nos ocupar e de transmitir fielmente os propósitos e os pensamentos.

Questão: Isto significa que os seres não pensam por eles mesmos?

Eles pensam por eles mesmos, mas o pensamento é um pensamento de Luz.

Não podem existir pensamentos de divisão, pensamentos não voltados em direção ao coletivo.

O pensamento se difunde ao conjunto da coletividade.

A soma de pensamentos individuais não é uma adição, mas, antes, uma harmônica diferente cuja síntese é captada por outras coletividades.

Questão: A desarmonia pode existir?

A partir do momento em que as emoções (no sentido de vosso cérebro de ser humano de terceira dimensão desta dimensão) não existem, a partir do momento em que não há senão um canto comum de Luz, não pode ali haver desarmonia.

Questão: O que se torna o corpo quando está gasto?

Ele é entregue à Luz.

Não há sepultura no sentido em que vocês entendem porque não há morte.

Questão: Há crianças e casais?

Nós não chamamos isto de casais, mas de pares.

Eles não têm as mesmas relações que os outros.

Bem evidentemente, não há posse.

As crianças não pertencem a um par.

O nascimento existe, mas o nascimento apenas se cria quando um corpo está desgastado.

Não há aumento, não há diminuição.

As noções de multiplicação apenas existem na terceira dimensão, isso representa que quanto mais elevadas são as dimensões, mais vocês encontram as mesmas pessoas.

Questão: Segundo que critérios são emparelhados os pares?

Segundo múltiplos critérios que vão sempre ao sentido da coletividade.

É uma liberdade total.

Não é como com vocês.

Muitos seres decidem ficar sós ou funcionar a três ou quatro.

E quando eu digo funcionar não se trata de vida estruturada assim como as suas, mas bem do momento em que os seres têm necessidade de compartilhar, eu diria, certa forma de intimidade (não de isolamento) com relação à coletividade, mas uma forma particular de modo de relação.

Questão: Como os novos corpos são gerados?

Há procriação por via sexual, se é que se pode falar de sexualidade, que não tem nada a ver com o que vocês praticam.

A procriação recorre àqueles que desejam, no momento oportuno, dar nascimento a um novo corpo para a consciência que deve se separar.

Mesmo se há continuidade da consciência, há necessidade de reformatar, de alguma forma, a nova consciência, um pouco como se vocês educassem as crianças salvo que, lá, as crianças são tão velhas como os que as educam.

Tem-se que educar um corpo, o que necessita um amadurecimento.

A consciência está consciente totalmente do corpo que foi deixado e consciente de seu novo corpo instantaneamente, mas há, entretanto, um período de aprendizagem ou de reaprendizagem ligada à nova estrutura do corpo que (sobre uma escala de tempo que não tem nada a ver com sua escala de tempo) deve crescer e se estabilizar.

Questão: Há uma forma de alimentação?

A alimentação é um ritual que é um rito diferente segundo os diferentes modos de vidas da quinta dimensão.

Para nós, nós decidimos manter uma forma de nutrição que parece mais a um ritual, não indispensável, mas muito amistoso, através de uma planta, se é que se pode utilizar esta palavra, da qual nós absorvemos alguns nutrientes de tempo em tempo.

Nós nos alimentamos mais frequentemente de Luz e de pensamentos que são Luz.

A nutrição e a alimentação do veículo corporal se fazem através da Luz.

Questão: O que são suas habitações?

Trata-se de ‘estruturas em ninho de abelha’ [favo de mel] de seis lados que são mais como ilhotas.

Compreendam bem que nós não temos que nos proteger de nada.

A Luz está por toda parte.

Essas pseudo paredes são constituídas de Luz.

Elas permitem ao pares ou aos trios se isolar por certo tempo.

Questão: Vocês conhecem o conceito de destruição?

Eu não compreendo este conceito.

O que vocês chamam de destruição?

A partir do momento em que nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

Isso que era parede de Luz se torna Luz.

A parede, no sentido em que vocês a entendem, pode se tornar nutriente.

Questão: Os artistas de terceira dimensão permanecerão, eles, artistas na quinta dimensão?

Em quinta dimensão, em todos os mundos, nós somos todos criadores.

Questão: Mas eles escolhem particularmente este papel de artista?

É seu desejo durante certo tempo.

Questão: Eles podem mudar de função?

Evidentemente, mas vocês buscam um pouco em demasia estabelecer corolários com isso que vocês vivem.

Questão: Suas individualidades são polarizadas?
Sim.

Tendo as duas polaridades, um indivíduo pode decidir experimentar a polaridade que lhe convém, seja tomando outro corpo, seja mudando de corpo.

A plasticidade é a regra.

Questão: O pensamento permite se deslocar?

Evidentemente.

Não há outras tecnologias.

A tecnologia de Luz é a regra na quinta dimensão.

Questão: Quando a Terra passar a quinta dimensão qual será sua destinação?

Que questão engraçada.

Perder uma atmosfera, se tornar aos olhos que estarão em terceira dimensão um mundo desértico, frio, não povoado de vida, já que a vida é colocada no interior.

Isto é difícil de compreender.

A Terra existe em múltiplas dimensões e em múltiplos exemplares.

Mas isto é eminentemente complexo, pois vocês o tentam compreender com seus olhos de carne.

Questão: O que se chama “nova Terra”?

Eu gostaria muito de saber.

Questão: Na quinta dimensão nós veremos as estrelas?

Nos mundos no qual eu vivo, nós vemos a Luz.

O que torna visível as estrelas?

A noite.

Questão: Há sons em seu mundo?

O pensamento é som.

A Luz é som.

Eu retorno a meus espaços de vida.

Saudações a vocês e certamente até breve.

Mensagem do Venerável INTRA-TERRA no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=170
12 de agosto de 2007
Versão do francês: Shylton Dias
Postado por Shylton Dias
Transcrição e edição: Zulma Peixinho

Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário